Home Notícias Câmera Blackmagic entrega sua câmera 4K e baixa o preço para US$ 2.995,00

Blackmagic entrega sua câmera 4K e baixa o preço para US$ 2.995,00

A Blackmagic Design, em mais uma jogada surpreendente, baixa o preço da Blackmagic Production Camera 4K (BMPC) e começa a entregar as primeiras unidades.

Desse jeito fica mesmo difícil para a competição. Mal a Panasonic anuncia a GH4 4K, a Blackmagic baixa o preço de sua câmera 4K tornando-a mais barata que a competição e disponível imediatamente. Isso sem contar que ela grava em ProRes HQ e DNxHD – formatos bem mais robustos, sem compressão visível, que se encaixam imediatamente na edição sem a necessidade de conversões.

Aqueles que encomendaram previamente a câmera por US$ 3.995,00 – um preço já totalmente revolucionário – não têm com o que se preocupar pois o novo preço vale também para eles (que receberão a diferença de volta caso tenham pago adiantado). Apesar da queda de preço, a câmera continua incluindo, gratuitamente, a versão Full do DaVinci Resolve,.

Segundo Grant Petty, CEO da empresa, a otimização do processo de produção da câmera foi o que possibilitou a redução de preço, assim como aconteceu com a Blackmagic Cinema Camera 2.5K (BMCC).

A Production Camera 4K passa a integrar um sistema absolutamente inovador de produção de imagens ao vivo em 4K (UltraHD), juntamente com os  Switchers ATEM Production 4K, possibilitanto a gravação e transmissão de programas de TV, ao vivo, com cortes em tempo real. Os switchers ATEM custam a partir de US$ 2.495,00, o que significa que com um investimento bem modesto pode-se criar um sistema de produção ao vivo extremamente portátil com, várias câmeras, que cabe em uma mala grande. Foi-se a era em que era necessário um caminhão para esse tipo de trabalho.

Características Principais

•Resolução Ultra HD 3840 x 2160
•Gravação ProRes 422 (HQ)
•Sensor Super 35mm
•Global Shutter (Obturador Global)
•Bocal de lente compatível com os formatos EF e ZE
•Gravador SSD embutido
•Visor LCD de 5” com tela sensível ao toque
•Entrada de Metadados
•Saída 6G-SDI para HD 10-bit e Ultra HD

Com a BMPC 4K, a Blackmagic agora dispõe de uma linha completa de câmeras de altíssima qualidade, com preços muito acessíveis. Começando pela minúscula Pocket (BMPCC), com sensor tamanho Super 16mm, que filma em FullHD em ProRes HQ, DNxNH e RAW comprimido, por US$ 995,00 e passando pela Blackmagic Cinema Camera (BMCC), com sensor intermediário entre Super 16mm e Super 35mm, que filma em 2.5K em ProRes HQ, DNxHD e RAW sem compressão, com uma latitude incrível de 13 stops por US$ 1.995,00.

Qual câmera escolher depende muito do tipo de produção e não apenas do preço. A Pocket filma com quase a mesma qualidade da BMCC em FullHD e cabe no bolso de uma camisa, tornando-se a menor câmera de cinema digital de alta qualidade do mercado. A Cinema Camera de 2.5K continua sendo a principal câmera de cinema digital da empresa, filmando em RAW 2.5K com uma latitude incrível de 13 stops. E a Production Camera 4K, com uma latitude um pouco inferior, é a mais indicada para a gravação de eventos e produções semelhantes. Como possuem características de imagem bem semelhantes, os três modelos podem facilmente ser utilizados em uma mesma produção.

Gostou do artigo ?

Inscreva-se em nossa Newsletter para receber as atualizações do VideoGuru.

Artigos relacionados
0 6965

A O2 Filmes está utilizando várias Blackmagic Pocket Cinema Cameras (BMPCC) como câmeras principais nas gravações da nova comédia de sucesso da GNT, “Lili, a Ex”. A carga do conteúdo no set foi feita pela White Gorilla e toda a...
2 5466

Faz poucos dias que a Blackmagic lançou mais um firmware para suas Cinema Camera 2.5K (BMCC) e Pocket Cinema Camera (BMPCC). Esse firmware 1.9.7 adiciona a funcionalidade de poder formatar os cartões de memória nas próprias câmeras sem precisar...
37 comentários Nesse post
  1. Não é meio estranho por esse preço e oferecendo algo tão avançado?
    É como se a Ferrari colocasse no mercado um carro com tudo de mais tecnológico que existe mas pelo preço de um Uno.

    • Luigi, não é nem um pouco estranho quando o produto é feito pela Blackmagic. A empresa é conhecida há muitos anos por baratear radicalmente tecnoligias de ponta de vídeo digital, com altíssima qualidade. Tudo começou com uma placa de captura de imagens digitais que custava aproximadamente uma fração do preço do equipamento equivalente disponível no mercado na época. Foi um sucesso enorme. E daí pra frente foi uma sucessão de produtos da mais alta qualidade a preços inovadores. Para ter dar um exemplo do arrojo da companhia, eles adquiriam o sistema de correção de cor DaVinci (o líder do mercado profissional), que custava US$ 250.000,00 e, da noite para o dia, baixaram para US$ 30.000,00. Logo depois disponibilizaram uma versão para o Mac por apenas US$ 1.000,00 e uma versão gratuita que tem 90% da funcionalidade da versão paga. Isso não se vê acontecer com nenhuma outra empresa no momento.

      A Blackmagic fez uma coisa muito interessante com essa câmera. Ela já vendia um gravados de vídeo digital de altíssima qualidade por quase um décimo do preço da competição quando foi lançado. Ela já era dona de um conhecimento absurdo de ciência de cor proveninete do DaVinci e das placas de vídeo avançadas, cujos circuitos poderiam ser facilmente adaptados para o processamento de imagem de uma câmera top. Fois só uma questão de obter um sensor de altíssima qualidade e ampla latitude – requisitos que eles encontraram em um sensor usado para aplicações científicas de alta precisão. Utilizando um design moderno e prático, conseguiram juntar isso tudo em um pacote fácil e barato de fabricar. E, em vez de meter a mão no bolso do consumidor, prosseguiram com a tradição de cobrar preços extremamente razoáveis por tecnologia de ponta.

      Seguindo a lógica de sua analogia de carros, a Ferrari nunca lançaria um carro barato pois sua política é cobrar bem caro por um carro premium e diferenciado. Mas nada impede que um fabricante de componentes de carros de alta performance resolva aplicar todo seu conhecimento e tecnologia na construção de um carro que possa andar junto de uma Ferrari, só que custando uma fração do preço. Você não compra o status, mas compra o desempenho.

      É natural que a gente desconfie de algo que parece bom demais para ser verdade, mas raramente aparece um produto que realmente nos surpreende. Como colorista, trabalho com imagens captadas nas melhores câmeras do mercado como a ARRI Alexa, cujos filmes concorrem disparado das outras câmeras pelo Oscar de melhor fotografia. Tenho Uma Blackmagic Cinema Camera 2.5K e nunca vi material tão próximo da qualidade da Alexa. O que é uma loucura tendo em vista o preço dessa câmera. Tanto que muitas produções internacionais já a utilizam como câmera B para a Alexa e até como câmera A, com a RED como câmera B. É realmente uma revolução que uma ferramenta tão boa seja vendida a um preço tão acessível. O que já está dando muita dor de cabeça para fabricantes tradicionais que insistem em manter os preços altos.

      Claro que uma câmera top tem alguns requintes a mais. Mas a qualidade final da imagem é muito semelhante. Voltando à analogia do carro, é como se o carro barato tivesse o desempenho praticamente igual ao da Ferrari, mas com câmbio normal no lugar do sequencial por borboletas. Pela diferença de preço em relação à performance final, os pequenos inconvenientes valem a pena.

  2. Boa tarde!

    Se eu comprar a Blackmagic 4 k tenho que comprar os switchers tb? Ou ela vem completa como na foto? E filmando com ela posso editar no final cut? Minha intenção seria gravar casamentos e algum filme, docs, etc

    tks

    • Rosa, os switchers só são necessários para fazer cortes ao vivo entre múltiplas câmeras, como um estação de TV faz quando cobre um evento ao vivo. O preço inclui o corpo da câmera. Você ainda vai precisar comprar lentes, drives SSD e bateria externa. Se você ainda não tem um gravador de audio digital externo, também é aconselhável investir em um.

      Os arquivos ProRes HQ são diretamente compatíveis com o Final Cut pro, sem necessidade de conversão.

    • Victor, ela não grava em 2K, mas grava em 1920 x 1080, que é praticamente a mesma coisa.

  3. Olá Paulo!

    Estou de olho na Blackmagic há algum tempo. Estou interessado em comprar a production 4k e a pocket.
    Nessas câmeras é necessário passar na pós para ajustar cor? Pois estou querendo utilizar ela tanto para gravações de vídeo aulas em estúdio (não precisa de pós) quanto para publicidade (passa na pós).
    Para a publicidade ela deve ser fantástica, mas para as vídeo aulas ela vai agarrar nosso tempo?

    • Douglas, a Blackmagic é uma câmera que sempre exige um pouco de pós. Se você filma em modo vídeo, a pós é mínima, mas é um fato. Se você não deseja passar por pós nenhuma, é melhor utilizar uma câmera mais tradicional.

    • Bruno, infelizmente nenhuma revenda oferece essa informação. Quem entrou na fila antes tem recebido muito rápido. É uma questão de todos esses pedidos serem atendidos para a câmera ficar disponível para compra imediata.

  4. Gostaria de parabeniza-lo pelo seu grande conhecimento.Conheci seu blog há poucos dias. Trabalho na EBC e na TV RECORD.Acabei de vender uma 5dmkii vou fazer um curta daqui há dois meses e estou na dúvida se compro a Blackmagic 4k ou a 5dmkiii pois estou vendo algumas pessoas filmarem em RAW sou muito exigente com a qualidade de imagem não gostei do codec da 5dmkii gostaria da sua opinião será que devo esperar a 4k ou compro a 5dmkiii e instalo o magic lanter e filmo em RAW.Um grande abraço.

    • Alexandre, o RAW da 5D não é prático para uso profissional. Não passa de uma gambiarra. Fui um dos primeiros a divulgar o Magic Lantern no Brasil, mas quanto ao uso diário do RAW sou totalmente contra devido aos inúmeros problemas que apresenta. Como curiosidade vale, mas não para adotar como seu ganha pão. Para um curta, você vai enlouquecer pois o tempo de filmagem é muito pequeno, mesmo nos cartões maiores. E o fluxo de trabalho é bem complicado. Sai muito mais caro que filmar com uma Blackmagic.

      A Blackmagic 4K ainda não filma em RAW. Mas a Blackmagic Cinema Camera 2.5K filma e ainda por cima tem 1 stop a mais de latitude. E custa US$ 1.995,00. Essa é a câmera que eu recomendo, no momento, se RAW é tão importante para você. E o modelo EF usa suas lentes Canon. Mas devo observar que a 4K filma em ProRes HQ 4:2:2 10 bits, sem defeitos de compressão, e a diferença para filmar em RAW é insignificante. A latitude de cor é excelente e você consegue chegar ao mesmo resultado. Tenho comparado o RAW com ProRes HQ na minha 2.5K e tenho dado preferência para filmar em ProRes HQ modo Film. A diferença de ProRes HQ 4:2:2 10 bits para o H.264 4:2:0 8 bits da Canon é uma coisa absurda. Investir em uma HDSLR hoje em dia, depois das Blackmagic entrarem no mercado, só vale a pena se fotografia still é muito importante para você.

  5. Acho você de uma generosidade impar! Adoro sua coluna, leio sempre que posso. E fico impressionado como você tem uma visão ampla do mercado e das câmeras! Parabéns e muito obrigado pelas preciosas dicas! Abração!

  6. Muito obrigado! pelos os esclarecimentos. Quando você acha que estará disponível a 4k no mercado assim como a 2.5k Valeu! grande Paulo.Um abraço.

    • A 2.5K está disponível para entrega imediata. A 4K está sendo entregue apenas para aqueles que encomendaram com antecedência, por enquanto. Não dá para saber quando ela estará disponível para venda imediata. Pode demorar algumas semanas ou até alguns meses.

    • Por enquanto, não. Existe a especulação de que um firmware será lançado que possibilite a filmagem em 60 FPS. Mas não dá pra confirmar se isso é realmente possível. A solução é fazer o slow na pós, que aliás fica excelente usando a tecnologia de optical flow, ou usar outra câmera para slows. Se você utiliza slows na maior parte do tempo, como em vídeos esportivos, então é melhor procurar uma câmera específica para isso. Mas se o uso vai ser só esporádico, vale a pena considerar as Blackmagic pela qualidade superior da imagem e pelo preço bem acessível.

    • Optical Flow é uma tecnologia muito interessante que cria matematicamente os fotogramas extras necessários para se fazer uma câmera lenta ultra suave a partir de uma imagem filmada em velocidade normal.

      Quando você filma em câmera lenta, fotografa mais quadros por segundo que o normal. E, ao reproduzir na velocidade normal, o material demora mais para passar, o que dá o efeito de câmera lenta. Quanto maior o número de fotogramas por segundo, mais lenta fica a imagem.

      A vantagem de filmar diretamente em câmera lenta comparada aos métodos tradicionais de diminuir a velocidade na pós é que você tem todos os fotogramas presentes, enquanto que uma câmera lenta normal na edição resulta em uma imagem com batimentos, já que não existem os fotogramas intermediários. Quando você usa o recurso Optical Flow, no entanto, a tecnologia cria os fotogramas intermediários e o resultado é fantástico – comparável à câmera lenta feita na filmagem. Veja abaixo um vídeo a 1000 fps, feito no Motion com a tecnologia Optical Flow a partir de imagens de uma Canon 60D.

      Incrível, não?

      Pois é, se a gente comparar a câmera lenta filmada diretamente em uma câmera com esse recurso com a feita na pós em Optical Flow, observamos vantagens e desvantagens em cada opção.

      Na câmera temos sempre um limite de velocidade a não ser que sejam usadas câmeras especiais de alta velocidade. Em uma Sony FS700, por exemplo, passando de uma determinada velocidade a resolução da imagem cai e aparecem vários defeitos. Daí, embora o fabricante especifique uma velocidade alta, na prática ela é bem menor se você deseja manter a qualidade.

      Na pós, o Optical Flow permite velocidades só possíveis em câmeras específicas para slow motion. Como os 1000 quadros por segundo do vídeo acima. Outra vantagem é que você não fica preso a uma velocidade específica, como acontece quando a câmera lenta é feita na hora da filmagem. Pode colocar a velocidade que mais se adequar ao ritmo da edição. A desvantagem é que certas imagens podem ficar distorcidas se o algoritmo confundir o fundo com a imagem da frente. Isso só acontece em alguns casos específicos, mas pode acontecer, principalmente em velocidades extremamente altas. Em velocidades baixas como 60fps presente na maioria da câmeras, é raríssimo acontecer.

  7. Paulo seus artigos são excelentes, seus textos são muito bom, e você tem conteúdos muito relevantes pra gente da área de audiovisual. Você é foda! Já leio os seus artigos há um tempo e se precisar de algo estamos ai. Sucesso!

      • Professor Paulo,mais uma vez agradeço pela explicação.Andei pesquisando e encontrei a Blackmagic 4k para vender nos estados Unidos de algumas pessoas que já receberam a câmera.Também pensei em ir em uma feira no mês de abril.não tenho certeza se o nome da feira é ENAB. Estou com uma grade dúvida. Preciso de um Viewfinder para ela .Achei um 3.5″ LCD+Viewfinder eletrônico com entrada hdmi 720p 1080p (ebay). A pergunta é:por a blackmagic ser 4k o VF+monitor precisa também ser 4k.não encontrei nem um LCD+Viewfinder 4k.você poderia me ajudar?um grande abraço.

        • A feira é a NAB, que acontece em Las Vegas. Mas lá você não encontrará a câmera à venda para entrega imediata. Apenas alguns acessórios.
          Não existe viewfinder 4K, e nem é necessário, pois a utilidade do viewfinder é facilitar o foco e o enquadramento em ambientes muito luminosos.

  8. Professor Paulo,o LCD+Viewfinder que encontrei no ebey( Specification:
    Panel size: 3.5inch
    Panel type: COLOR TFT-LCD
    Resolution: 800×480 Pixels
    Horizontal Frequency Range: 30-60kHz
    Field Frequency Range: 60Hz ~ 75Hz
    Max Resolution: 1920*1440
    Dot pitch: 31.5 x94.5 um
    Display ratio: 16:9
    Brightness: 315 cd/㎡
    Contrast ratio: 800:1
    Response time: 15 ms
    Viewing angle: 80°/80° (L/R) 80°/80° (U/D)
    Backlight: LED
    Input signal: HDMI
    Signal output: HDMI
    Support signal format: 480i, 480p, 576i, 576p, 720/50p, 720/60P, 1080/50i, 1080/60i, 1080/50P, 1080/60P
    Input power voltage range: DC 6~18V
    Power consumption: ≤ 3 W
    Standby current: ≤ 50 mA
    Working temperature: -20°C~55°C
    Storage temperature: -30°C ~ 65°C
    Size: 100 x 78 x 48mm
    Weight: 302g

    Contains:
    1x 3.5″ LCD Monitor
    1x Viewfinder
    1x HDMI Cable.valeu!

    • Alexandre, esse viewfinder tem entrada HDMI. A saída da câmera é SDI. Daria para você usar um adaptador, mas seria mais uma coisa pendurada na câmera, consumindo energia de uma bateria. O ideal é um viewfinder SDI.

    • Gláucio, sem dúvida a 2.5K. Além de ter mais latitude e maior sensibilidade para pouca luz, filmar em 4K para TV é um desperdício de tempo e dinheiro. Você não vai acreditar na melhora da imagem em relação à HDSLR. E você pode rodar até 5 horas de material em ProRes HQ em um SSD de 480GB. E sem limite de tempo por tomada.

  9. Como se comporta a questão de foco infinito em ambas as câmeras 2 e 4k? Pretendo filmar cenas d esportes aéreos… Com grande possibilidade d filmar diretamente o sol… Elas são recomendáveis para o caso citado?

    • Para obter foco infinito basta fechar bem o diafragma, como qualquer câmera. Filmar diretamente o sol não é problema desde que a imagem não esteja muito super exposta. No entanto, para esse tipo de trabalho eu recomendaria mais a Pocket ou então uma GoPro Hero.

  10. Olá Paulo, acompanho sempre seus posts e cada vez mais me surpreendo com o seu pleno domínio em todos os aspectos na área profissional de vídeo. Muito obrigado pela passagem de experiência. Estou indo aos EUA agora em abril e já reservei a Black 4k. Será que realmente vale apena investir nela ou seria melhor a 2,5k ? Comprando a 4K com sensor super 35 posso utilizar minhas lentes EF e como possuo 7D, praticamente não sentiria diferença de crop. Já com a 2,5k necessitaria de um Metabones que custaria em torno de US$ 500,00 quando comercializado. Esse “1” stop a menos da 4k e a diminuição da sensibilidade representa muito negativamente em relação à 2,5K? Penso que adquirindo uma 4k demoraria mais tempo pra que eu precisasse atualizar equipamento. Estou certo?
    Queria saber também quais lentes você indica pra trabalhar com ela. Já possuo uma Canon 24-70mm f/2.8, Canon 50mm f/1.4 e penso na compra das Canon 8-15mm f/4 e sigma EX DC 10mm f/2.8.
    Por último, quero te agradecer pela dica do Mac Book Pro Retina. Penso que se você não tivesse detalhado tão bem aquele post, eu iria comprar-lo, agora na próxima semana.

    • Demilton, essa é uma resposta um pouco complexa. A 2.5K não “necessita” de um Metabones. Essa conversa de fator crop ser ruim não tem muito fundamento pois o que interessa é o ângulo de visão da lente. Uma Tokina 11-16 dá um ângulo de visão muito amplo na 2.5K. Se fator crop fosse importante, nenhuma câmera broadcast prestava, pois todas têm o sensor muito menor que da Blackmagic 2.5K. Inclusive as Sony/Panavision F900 que filmaram os Star Wars mais recentes têm um sensor menor que o da Blackmagic 2.5K, também. Essa coisa de fator crop veio da fotografia still e não é para ser aplicada na cinematografia digital. O que você necessita é de lentes mais abertas se, de fato, precisar de ultra grande angulares. Em uma produção cinematográfica comum esse tipo de lentes raramente é usado – geralmente apenas para efeitos exagerados. Mas se seu trabalho envolve filmar em ambientes muito apertados, sem controle, aí você pode precisar de uma lente dessas. Nesse caso, a Tokina já seria suficiente. Ou, no máximo, uma 8mm.

      Quanto ao 4K vs. 2.5K, já escrevi bastante a respeito. Hoje em dia não há exibição prática em 4K e 99% dos projetos filmados nessa resolução acabam em Full HD. Se um dia o 4K vai realmente virar um padrão de exibição amplamente adotado como o Full HD, só o tempo dirá. Mas, até lá, muita água ainda vai rolar e nada garante que sua câmera estará atual. A imagem da 2.5K é superior à da 4K. Um fato divulgado por diversos diretores de fotografia e pelo próprio presidente da Blackmagic, Grant Petty. Portanto, cabe a você decidir sua compra baseado em suas necessidades. Se 4K é importante para você, então a decisão está tomada. Se seus clientes estão exigindo 4K, hoje em dia, então também não há dúvida. Se o fato da câmera ser menos luminosa e ainda ter um stop a menos de latitude não faz diferença, então a 4K pode ser interessante. Mas se a melhor qualidade de imagem é seu objetivo, a 2.5K ainda é a melhor escolha. De qualquer forma, ambas as câmeras são infinitamente superiores a qualquer HDSLR ou câmera da Sony abaixo da F55. E muitos diretores de fotografia e coloristas também preferem suas imagens às das RED, por apresentarem tons de pele mais realistas e um fluxo de trabalho bem mais prático.

      Portanto, pense bem no seu mercado de trabalho, nos formatos de distribuição que você utiliza e nos orçamentos (4K sai sempre bem mais caro) para decidir se você vai realmente precisar de 4K no futuro próximo.

      Quanto às lentes compatíveis com as Blackmagic EF, aqui vai uma lista parcial compilada pelo Adam Roberts no fórum da Blackmagic Designs:

      Canon série L

      Fixas:

      • 14/2.8L (Deve funcionar – NÃO CONFIRMADA)
      • 14mm f/2.8 L II USM (parace OK)
      • 17/4L TS (Parece OK)
      • 24/1.4L (Parece OK)
      • 35/1.4L (Abertura fixa)
      • 40/2.8L STM Pancake (parece OK)
      • 50/1.2L (parece OK)
      • 85/1.2L (Abertura e foco não funcionam!)
      • 100/2.8L IS Macro (Parece OK)
      • 135/F2 (Parece OK)
      • 200/2.8L V2 (Deve funcionar – NÃO CONFIRMADA)
      • 300/2.8L IS (Deve funcionar – NÃO CONFIRMADA)
      • 300/4L IS (Parece OK)
      • 400/5.6L (Parece OK)

      Zooms:

      • 8-15/4L (Parece OK)
      • 16-35/2.8L V1 (Problemas intermitentes)
      • 17-40/4L (Abertura não funciona)
      • 20-35/2.8L (Parece OK)
      • 24-70/2.8L V1 (Abertura não funciona)
      • 24-105/4L (Parece OK)
      • 70-200/2.8L IS V2 + NON IS (Parece OK)
      • 70-200/4L (Abertura não funciona)
      • 70-200/4L IS (Parece OK)
      • 80-200/2.8L “mais velha” (Parece OK)
      • 100-400/4.5-5.6L V1 (Parece OK)

      ——–

      Canon NÃO-L

      Fixas:

      • 15/2.8 Fisheye (Possivelmente não funciona – NÃO CONFIRMADA)
      • 24/2.8 (Possivelmente não funciona – NÃO CONFIRMADA)
      • 28/1.8 (Abertura não funciona)
      • 28/2.8 (Possivelmente não funciona – NÃO CONFIRMADA)
      • 35/2 (Parece OK)
      • 50/1.8 MK1 (metal) (Parece OK)
      • 50/1.8 MK2 (plástico) (Parece OK)
      • 50/1.4 (Parece OK)
      • 50/2.5 Compact Macro (Possivelmente não – NÃO CONFIRMADA)
      • 60/2.8 Macro (Possivelmente não funciona – NÃO CONFIRMADA)
      • 65/2.8L MP-E Macro (Parece OK)
      • 85/1.8 (Parece OK)
      • 100mm 2.8 Macro (Parece OK)
      • 135/2.8 Softfocus (Possivelmente não funciona – NÃO CONFIRMADA)

      Zooms:

      • 10-22/3.5-4.5 (Parece OK)
      • 17-55/2.8L IS (Parece OK)
      • 17-85/4-5.6 IS (Parece OK)
      • 20-35mm F3.5-4.5 (Abertura não funciona)
      • 28-135mm f/3.5-5.6 IS USM (Parece OK)

      • Canon 2X Teleconverter (Funciona com lentes compatíveis)

      Não-Canon:

      • Carl Zeiss Distagon T* 1.4/35 ZE (Parece OK)
      • Carl Zeiss Planar T* 1,4/50 ZE (Parece OK)
      • Carl Zeiss Planar T* 1,4/85 ZE (Parece OK)

      • Sigma 30mm F1.4 (Parece OK)

      • Sigma 8-16mm F4.5-5.6 DC HSM (Parece OK)
      • Sigma 18-200mm f3,5-6,3 (Parece OK)
      • Sigma 24-70mm 1:2.8 DG HSM (Parece OK)
      • Tokina 11-16mm 2.8 (OK)

  11. Acho que nunca aprendi tanta coisa em tão poucas linhas lidas!
    Muito Obrigado por compartilhar seus conhecimentos.

Deixa seu comentário

GALERIA

1 4910

A interação entre ação viva e animação tem sido explorada ao longo da história do cinema, com muitos exemplos dos estúdios Disney e o inesquecível "Uma Cilada para Roger Rabbit", dirigido por Robert Zemeckis. O resultado, em geral, é estimulante. Pensando bem, a idéia...
8 5385

Esse vídeo fantástico, feito na Rússia para o lançamento de um projeto imobiliário, foge totalmente dos padrões tradicionais e utiliza a fantasia, com imagens incríveis, no lugar do uso tradicional de plantas e animações dos prédios em computação gráfica....
1 6021

Há algum tempo, publicamos um post com um vídeo do editor Piu Gomes, criado para responder a essa pergunta essencial para quem quer entender a linguagem audiovisual: o que é montagem? Também publicamos, há mais tempo ainda, outro post chamado...