Home Notícias Câmera Blackmagic lança câmera de cinema digital

Blackmagic lança câmera de cinema digital

Estava em dúvida sobre qual câmera comprar? Pois a Blackmagic resolveu contribuir com a sua confusão lançando mais uma câmera no mercado. Surpreso? Todos estão. Afinal, a empresa é famosa por seus excelentes produtos ligados à pós produção.

Mas por que entrar nesse mercado tão competitivo? Ainda mais quando o mercado está sendo inundado por outras câmeras de excelente qualidade. Será que uma de nossas empresas favoritas vai se tornar uma das líderes do mercado de aquisição de imagens, também?

Acho que é cedo para afirmar que sim, embora as chances sejam grandes. Ainda mais quando essa câmera de 2.5K, desenho tão interessante e especificações bem atraentes custará a bagatela de US$ 2.995,00. Mais barata que a Canon 5D Mark III. E tem mais, ao comprá-la você ainda ganha uma versão full do DaVinci Resolve que normalmente custa US$ 995.00,  além do software Ultrascope.

Descontando o preço destes programas, a câmera sai pela mais incrível ainda bagatela relativa de US$ 1.305,00. O que? Vai comprar uma agora mesmo? Sinto muito, mas você vai ter que esperar até julho. E, pelo jeito, a fila vai ser enorme, porque a Blackmagic parece mesmo querer dominar o mercado logo com seu primeiro produto do gênero.

As especificações são fantásticas. Ela grava diretamente em um cartão SSD em 2.5K, sem compressão, no formato CinemaDNG RAW 12-bits, assim como em 1080p nos formatos Apple ProRes e Avid DNxHD. Ou seja, você filma e o arquivo pode ser editado diretamente em seu programa favorito, sem conversões ou renders.

E tem mais. O visor de 5 polegadas, sensível ao toque, serve como painel de controle e ainda possibilita a entrada de metadados que são lidos diretamente por seu programa de edição. Além disso, a câmera aceita e controla as lentes do tipo Canon EF. Portanto, se você já tem uma HDSLR com um bom jogo de lentes, só precisa mesmo adquirir a câmera.

O corpo dela, feito de um bloco sólido de alumínio, e seu desenho clean parecem ter saído diretamente do fantástico departamento de design da Apple. E a Cinema Camera vem com saída de vídeo limpa em SDI, além de entradas diretas para audio balanceado e saída pra fones. Ah, e ainda tem uma saída Thunderbolt. Será essa a sua câmera dos sonhos?

Que tal adicionar uma latitude de 13 stops, desenhada sob encomenda para color grading em um dos melhores sistemas do mercado – o DaVinci Resolve da própria Blackmagic? Será essa a câmera para desbancar as HDSLR?…

Devagar aí, moço! Enquanto outras publicações são só elogios, nós Videogurus resolvemos dar uma olhada mais a fundo e descobrimos alguns pontos nem tão positivos. Em primeiro lugar, o tamanho do sensor. Só de ver os poucos vídeos rodados com a câmera, já deu pra notar que a profundidade focal é praticamente a mesma de uma câmera prosumer de vídeo tradicional.

Consequentemente, ficamos muito desconfiados que o sensor desta câmera é realmente minúsculo quando comparado a um sensor full frame. E não deu outra. O sensor da Cinema Camera mede míseros 16.64 mm x 14.04 mm, sendo que sua área ativa é de 15.6 mm x 8.8 mm. Um sensor full frame mede 36mm × 24 mm. Quer dizer, mais que o dobro do tamanho.

Até o sensor da HDSLR mais barata da Canon, a t2i (550D) mede 22.3mm x 14.9mm. Resumindo, diga adeus aos fundos desfocados que tornaram as HDSLRs tão populares e que dão a elas aquele look fantástico de película. E também diga adeus aos planos mais abertos de uma grande angular porque, pelos cálculos superficiais, dá pra deduzir que uma lente 28mm nesta câmera equivalerá aproximadamente a uma 60mm.

Outra coisa. Olhe bem para essa linda câmera e perceba que, a não ser que você seja um robô com dedos quadrados, ela não é nem um pouco ergonômica, ainda mais para empunhá-la durante horas de filmagem.  Não é à toa que a Blackmagic vai vender, como acessório, o Blackmagic Cinema Camera Handle, por US$195. Aliás, um acessório praticamente obrigatório a não ser que você utilize um tripé o tempo todo, um rig, ou seja masoquista.

Ei, não reclame que estamos cortando o seu barato! Estamos apenas esclarenedo nossos leitores, expondo os fatos escondidos por trás dos 2.5K em RAW e outros aspectos imediatamente atraentes desta câmera. Aliás, respeitamos muito e adoramos os outros produtos da Blackmagic, e as especificações gerais da câmera são muito interessantes. Essa pode ser apenas a primeira das câmeras da empresa e, quem sabe, eles lançam uma mais ergonômica e com um sensor maiorzinho?

Com certeza não podemos reclamar do preço, que é extremamente atraente. Aliás, se você pretende adquirir o DaVinci Resolve full, pague um pouquinho mais e leve essa câmera como brinde. Mas, para afirmarmos que essa câmera chegou para derrubar o mercado das HDSLRs, seriam necessárias especificações bem diferentes. Aliás, em nenhum lugar foi mencionado que ela também tira fotos. A princípio, a Cinema Camera da Blackmagic parece mais com uma câmera tradicional de vídeo que vem sem lente.

E, embora o preço inicial de compra seja atraente, tenha em mente que drives SSD custam bem mais caros que cartões SD ou CF e são muito mais difíceis de achar. Além disso, cadê o lugar para enfiar a bateria? Não tem, porque a bateria é integrada e dura apenas 90 minutos. Você precisará, então, de uma ou mais baterias externas ou um adaptador de AC. Ligados à câmera através de fios, é claro.

E pode dizer adeus aos excelentes microfones direcionais que encaixam nas sapatas de flash das HDSLRs e câmeras de vídeo tradicionais, porque essa câmera não tem uma. Outras incógnitas são: será que ela apresenta moiré? Será que tem rolling shutter? Será que esquenta demais? Isso nós vamos ter que esperar mais um pouco pra saber.

Outro detalhe é que a câmera não tem botões dedicados, a não ser para o transporte. Ou seja, qualquer ajuste depende de navegação por inúmeros e inconvenientes menus – o que certamente não é prático em filmagens de documentários ou eventos. E acessar esses menus, por toque, na mesma tela onde se monitora a imagem, resulta em inúmeras impressões digitais – a não ser que você filme usando luvas capacitivas especiais ou uma daquelas canetas desenhadas para tablets.

Assista aqui, os vídeos feitos com a câmera e nos diga se é impressão nossa ou mesmo depois de terem as cores corrigidas no excelente Resolve eles são lavados e desbotados.

Não nos leve a mal, pois queríamos muito nos apaixonar por esta câmera da Blackmagic. Só que este primeiro encontro não foi exatamente o que esperávamos…

Gostou do artigo ?

Inscreva-se em nossa Newsletter para receber as atualizações do VideoGuru.

Autor
Paulo trabalhou na Rede Globo de Televisão como roteirista, diretor e editor e também escreveu sete longa metragens do grupo Os Trapalhões. Em 1991, abriu uma produtora nos EUA, onde conquistou vários clientes importantes, recebeu diversos prêmios e escreveu centenas de artigos como editor contribuinte para algumas das mais importantes publicações profissionais americanas e internacionais. Hoje Paulo trabalha como colorista para TV e cinema, com clientes no Brasil, Estados Unidos e Europa.
Artigos relacionados
0 7246

A O2 Filmes está utilizando várias Blackmagic Pocket Cinema Cameras (BMPCC) como câmeras principais nas gravações da nova comédia de sucesso da GNT, “Lili, a Ex”. A carga do conteúdo no set foi feita pela White Gorilla e toda a...
2 5727

Faz poucos dias que a Blackmagic lançou mais um firmware para suas Cinema Camera 2.5K (BMCC) e Pocket Cinema Camera (BMPCC). Esse firmware 1.9.7 adiciona a funcionalidade de poder formatar os cartões de memória nas próprias câmeras sem precisar...
8 comentários Nesse post
  1. Paulo, talves uma versão II da Black Magic resolva o problema do tamanho do sensor, bateria, microfone etc. Porque será que os projetistas nao sentam com os videomakers e desenvolvem uma solução final? Em cada câmera falta um pequeno detalhe! Imagine a Black Magic com um preço em torno dos 5 mil (USD) e com todos estes detalhes solucionados? Estarei em junho ( dia 10) nos USA e não sei que câmera vou comprar!!
    Abraços
    Clovis

    • Clovis, sei que essa é uma decisão difícil, mas tudo depende do uso principal que você vai fazer da câmera e de seu orçamento. A matéria de hoje sobre o uso das HDSLRs Canon no filme Os Vingadores prova que elas são boas o suficiente para as mais caras produções de Hollywood. Eles poderiam ter utilizado qualquer câmera, inclusive dos competidores da Canon, mas escolheram a 5D Mk II e a 7D. Portanto, uma HDSLR da Canon (como a 5D Mk III ou até mesmo a Mk II), ou de um concorrente pode ser uma boa opção. As Sony FS também são opções excelentes, dependendo das suas necessidades e preferências.

      Na verdade, considere-se sortudo por ter tantas opções de qualidade para escolher. A falta de um pequeno detalhe ou outro em cada modelo é uma coisa normal, que data desde o início de nossa profissão. Acho que nunca existiu uma câmera “perfeita”. Mas também nunca existiram tantas câmeras baratas com uma qualidade tão alta.

      Mas aqui vai uma dica importante: uma boa lente faz mais diferença na qualidade da imagem que a maioria das especificações técnicas de uma câmera. Portanto, pense bastante no investimento em uma boa ótica, já que uma câmera mais barata com uma excelente lente lhe oferecerá imagens melhores que uma câmera cara com uma lente mediana.

  2. OLA PAULO EU TENHO LIDO SOBRE ESTA CAMERA E ACHEI MUITO INTERESSANTE PARA O MEU SEGMENTO,ALGUNS FALAM QUE PODE SER UM TIRO NO PE E OUTROS JA FALAM TOTALMENTE O CONTRARIO .
    FACO MUITOS FILMES DE CASAMENTO E CLIPS COM A 5D MK2 E MUITO CROMA O QUE VC ME DIS DESSA MUDANÇA ?,TENHO DUVIDAS EM RELAÇÃO A
    ACESSÓRIOS ,QUE NAO DEIXA MUITO CLARO O QUE VEM E O QUE NAO VEM NO CONJUNTO ,TIPO BATERIA RESERVA CARTÕES .JA ESTOU JUNTANDO OS TROCADOS PARA ENTRAR 2013 COM A NOVA BLACKMAGIC NO MERCADO NACIONAL .

    • Frank, acho que para casamentos a câmera é totalmente contra indicada. A operação dela é muito lenta, toda feita por menus em várias camadas, e faltam ajustes finos. Além disso, o uso dela na mão é praticamente impossível, a não ser por períodos muito curtos de tempo. Mesmo assim, você vai precisar de um rig. Ela parece ser pequena, mas é muito maior que uma HDSLR. E lembre-se que você vai ficar preso a uma bateria externa (ligada por um cabo) o tempo todo, pois a interna não pode ser trocada (é como a bateria de um iPhone – lacrada dentro da câmera) e só dura 90 minutos.

      Casamentos também se beneficiam muito de lentes abertas e, devido ao tamanho do sensor, as lentes passam a ser o equivalente a pouco mais do dobro de uma lente na MK2. Ou seja, para você conseguir o equivalente a uma grande angular de 18mm vai precisar de uma 8mm. Essas lentes são mais caras e oticamente piores que lentes normais, geralmente apresentando áreas desfocadas nas bordas e aberrações cromáticas. Uma 50mm na BMCC equivale a pouco mais de 100mm. Como você vai fazer aqueles planos gerais abertos de igrejas pequenas ou fazer o making of da noiva em um quartinho pequeno?

      Uma simples mudança de temperatura de cor exige que você use o menu por toques da câmera por algumas camadas para chegar ao lugar desejado. Aí já se foram embora preciosos segundos que, em um casamento, não podem ser repetidos caso você perca algum momento especial. Ao contrário de uma HDSLR, ela não possui diversos botões físicos.

      A BMCC, como o próprio nome indica, foi projetada para o uso em produção de cinema. Ou seja, com tempo de sobra para preparar cuidadosamente cada take, montada em um tripé, com vários acessórios pendurados. Para esse tipo de uso, ela pode funcionar bem. Mas, para casamentos, ela será um trambolho difícil de operar. Em termos de qualidade final de imagem, principalmente no que diz respeito aos noivos e família que assistirão o material final em um DVD, internet ou, raramente, em um bluray ligado à uma TV mediana, você não terá melhora alguma em relação a uma HDSLR.

      E pode esquecer o charmoso desfoque das HDSLR para casamentos, também. A imagem será como a de uma câmera de vídeo tradicional, com o fundo todo em foco.

      Outro problema sério para uso em casamentos é o uso exponencialmente maior de armazenamento. Além disso, a pós é muito mais complicada. Você não pode simplesmente sair editando o material, pois ele é gravado em RAW. Você é obrigado a fazer correcões de cor. Não é à toa que a Blackmagic dá o DaVinci Resolve de graça com a câmera. Quer dizer, no fluxo normal de trabalho, você carrega as imagens no Resolve, faz uma correção básica, converte para ProRes, edita, carrega novamente no Resolve e faz uma correção de cor final.

      Para rodar o Resolve direito você precisa de um computador muito parrudo, com uma placa para monitoração externa como a Blackmagic Decklink. E, se você não é colorista, além de ter que aprender a usar o Resolve, vai ter que entender bem de sinais de vídeo, cores, etc. Ou então terá que contratar um colorista para tratar as imagens.

      Já deu pra ter uma idéia do tamanho do pepino? Por outro lado, para a filmagem de clips e comerciais de orçamento decente, programas de dramaturgia para TV e filmes para cinema, a Blackmagic se torna uma câmera interessante. Mas sempre tendo em mente que ela é complicada de operar, exige uma série de acessórios caros e a pós exige tempo, espaço de armazenamento muito maior, computadores parrudos e um colorista. Ou seja, tempo e dinheiro.

  3. Paulo boa tarde

    Estou iniando no ramo de cinema e antes de mergulhar de cabeça no mundo dos curtas, e quem sabe um dia um longa, decidi fazer um teste em minha capacidade de roteiro direção edição dentre outras funções quando se cria um filme.
    Note no site http://www.mellphordvillage.com que fiz um trabalho (o primeiro) e divulgando nas redes sociais obtive uma boa aceitação por parte do público, e isso me deixou contente e empolgado para continuar.

    Meu texto aqui vem lhe pedir orientação a respeito de equipamento como cameras se iria me ajudar na qualidade do material que estou criando, pois a gravação do episódio em questão foi com uma, apenas uma camera nikon D5100 ..

    Estou interessado na Canon mk lll e também de olho na BM.

    Qual devo considerar e comprar?

    Sua opinião será muito importante.

    • Elias, parabéns pelo filme. Mandou muito bem, ainda mais para o primeiro projeto.

      A escolha de uma câmera depende de uma série de fatores que incluem seu orçamento, lentes existentes, máquina(s) em que irá trabalhar o vídeo, etc. Levando em consideração o seu talento e seus objetivos, creio que a Blackmagic Cinema Camera 2.5K vá oferecer a melhor qualidade de imagem e maiores recursos para pós. Eu recomendo a versão com o bocal EF, já que conta com uma quantidade enorme de lentes disponíveis no mercado. A Canon 5D Mark III é uma câmera bem superior à 5D Mark II. Porém, você ficará limitado à compressão bem inferior (a não ser que use um gravador externo) e terá uma latitude menor para trabalhar. A BMCC vai te oferecer um nível de imagem mais próximo à de câmeras bem mais caras como a ARRI Alexa. É importante você levar em conta o preço total do investimento. Se seu orçamento é limitado, esqueça os rigs caros e sofisticados, por exemplo, pois eles não são necessários. É melhor investir em boas lentes, um bom monitor portátil, etc. A BMCC sai na frente da 5D Mk III em relação ao preço e os periféricos têm um custo bem parecido. Portanto, além de qualidade de imagem superior, você acaba gastando um pouco menos.

      Seu filme mostra mas uma vez que o que importa mesmo é uma história bem contada. Você conseguiu passar isso com uma simples D5100 (apesar de alguns defeitos técnicos da câmera qua muitas pessoas que não sejam do meio nem devem notar). Tendo essa parte, que é a mais importante, a qualidade da câmera só fará crescer o seu trabalho e creio que a BMCC vá lhe possibilitar resultados que o deixarão bem satisfeito. Boa sorte!

  4. Bom dia Paulo, Em fim paragens pela sua ajuda aqui ,a outros curiosos, mas eu só gostaria de saber se a Blackmagic também é Fotográfica , ou se ela só tira foto como algumas filamdoras ?

    • Jorge, aa câmeras da Blackmagic são dedicadas à produção de cinema digital, portanto não tiram fotos.

Deixa seu comentário

GALERIA

1 5232

A interação entre ação viva e animação tem sido explorada ao longo da história do cinema, com muitos exemplos dos estúdios Disney e o inesquecível "Uma Cilada para Roger Rabbit", dirigido por Robert Zemeckis. O resultado, em geral, é estimulante. Pensando bem, a idéia...
8 5718

Esse vídeo fantástico, feito na Rússia para o lançamento de um projeto imobiliário, foge totalmente dos padrões tradicionais e utiliza a fantasia, com imagens incríveis, no lugar do uso tradicional de plantas e animações dos prédios em computação gráfica....
1 6368

Há algum tempo, publicamos um post com um vídeo do editor Piu Gomes, criado para responder a essa pergunta essencial para quem quer entender a linguagem audiovisual: o que é montagem? Também publicamos, há mais tempo ainda, outro post chamado...