Home Notícias Color Grading Blackmagic lança DaVinci Resolve 9.1.1 corrigindo os bugs da versão anterior

Blackmagic lança DaVinci Resolve 9.1.1 corrigindo os bugs da versão anterior

A Blackmagic não perde tempo e, seguindo sua excelente tradição de rapidez na resolução de problemas com software, lança em questão de dias o Resolve 9.1.1.

A nova versão corrige os problemas da versão 9.1 como botões que deixaram de funcionar nos painéis de controle da Tangent, velocidades de vídeo erradas, panes na hora de renderizar, projetos que davam pau no programa ao abrir, etc.

Os codecs da Avid, que haviam sumido da versão Lite, também estão de volta.

Nos nossos testes, essa versão está bastante estável. Também apresenta um melhora considerável na velocidade de abertura e fechamento do programa, assim como na velocidade de salvar os projetos.

Outros usuários comentam que a reprodução ficou mais rápida. Como nosso sistema não apresentava nenhum problema de velocidade, reproduzindo em tempo real projetos bem complexos na versão 9.04, não temos como confirmar pessoalmente esse fato.

A nova versão inclui uma série de outras melhorias (introduzidas na 9.1) e melhora geral de performance e estabilidade, corrigindo todos os bugs que vieram no update anterior.

Se você é um usuário atual do Resolve ou pretende experimentar o programa, pode baixar e versão 9.1.1 aqui, sem medo.

A Blackmagic mostra, mais uma vez, que é uma empresa séria, acostumada a lidar com profissionais exigentes, que dependem de seus produtos para trabalhar. Quem usa programas como o DaVinci Resolve geralmente tem prazos rígidos a cumprir e trabalha com clientes de primeira linha, não podendo se dar ao luxo de esperar muito pela solução de problemas.

Poder contar com esse nível de atenção e rapidez é essencial, e isso consolida ainda mais a posição da Blackmagic entre  as empresas realmente sérias e dedicadas ao mercado e seus usuários.

Gostou do artigo ?

Inscreva-se em nossa Newsletter para receber as atualizações do VideoGuru.

Artigos relacionados

A Blackmagic Design disponibilizou hoje a versão final do DaVinci Resolve 11. Duas versões beta públicas ficaram disponíveis por um tempo para testes antes desse lançamento. A versão 11 do programa ampliou bastante as funções de edição online e trouxe...

Foi-se o tempo em que o colorista precisava investir em uma placa Red Rocket de vários milhares de dólares apenas para poder trabalhar com material das câmeras RED. Agora, com um novo SDK que utiliza a GPU para fazer...
30 comentários Nesse post
  1. Olá galera do VG! Tenho algumas dúvidas sobre plataformas para rodar o DaVinci…vcs já usaram o DaVinci rodando em PC? Qual sistema é melhor, Windows ou Linux? Visto a relação custo benefício e já de olho em trabalhos mais extensos de Grading…seria melhor um MAC ou PC? Valeu!!!

    • Fabio, Windows é a pior plataforma para rodar o Resolve por conta de instabilidade, expansão e compatibilidade. A plataforma Linux é a que oferece mais possibilidades de expansão, podendo usar o maior número de placas gráficas. Só que essa vantagem não faz mais tanto sentido hoje em dia, com as placas mais recentes, pois até sistemas com uma única placa já conseguem trabalhar em tempo real em qualquer resolução. O Mac é a plataforma mais popular entre os coloristas, pois oferece a vantagem de ser a mais compatível, sento tão estável quanto Linux e quase tão expansível.

      Como compatibilidade, entenda que a grande maioria dos trabalhos de grading, hoje em dia, vem de projetos criados no Mac. O Final Cut Pro é o programa de edição mais usado nesse nível de trabalho (com orçamentos decentes para grading), seguido meio de longe pelo Avid. O Premiere vem bem lá atrás, ganhando um pouco de terreno. Usuários de programs que só rodam em Windows, como o Sony Vegas, geralmente trabalhem em projetos de baixo orçamento, sem a possibilidade de contratar um colorista profissional.

      O que acontece é que você vai ter que fazer o conform do material para trabalhar e, por conta disso, vai ser praticamente obrigatório ter o Final Cut na sua máquina. E ele só roda em Mac. As casas de pós que usam Linux geralmente têm várias máquinas com painéis de controle DaVinci, ligadas em redes bem rápidas, e têm alguns Macs para fazer o conform. Embora tanto o Avid quanto o Premiere rodem em Windows, ambos rodam no Mac, também, o que torna essa plataforma praticamente universal. É por isso que a quase totalidade dos coloristas independentes usam Macs, ficando o Linux limitado a poucas casas de finalização de médio e grande porte, já que a maioria também usa Macs. Por conta das desvantagens, só tenho notícia do Resolve sendo usado em Windows por usuários de câmeras da Blackmagic que recebem o programa de graça e que querem experimentá-lo, assim como alguns amadores que desejam brincar um pouco com ele. Os poucos profissionais que usam o Resolve em Windows são geralmente pessoas que criam seu próprio conteúdo, filmando, editando e colorindo tudo sem recorrer a terceiros.

      Antes que alguns leitores nos acusem de privilegiar o Mac, quero deixar claro que estamos somente retratando a realidade do mercado, sem nenhuma influência pessoal por alguma plataforma específica. A escolha da plataforma para rodar o Resolve, ainda mais quando o colorista é independente, é muito importante para o sucesso profissional. Quanto mais seguir o padrão do mercado, maior o volume de trabalhos que irá conseguir.

      • Paulo, estou começando nessa área como colorista e não entendo muito bem termos técnicos. Esse processo que você chama de “conform” é passível de ser realizado em outros programas como Premiere?
        Estou começando uma produtora audiovisual, que ainda é pequena, possui recursos limitados. Temos algumas máquinas que atendem às nossas necessidades gráficas da ordem de uma GTX 680, mas não temos a possibilidade de fazer a aquisição de um Mac de alto padrão no momento.
        Estamos investindo em treinamento com o DaVinci Resolve mas não lidar com Windows, a priori, seria uma dificuldade.
        O Resolve pode operar plenamente com o complemento de outros editores de vídeo que não o Final Cut?

        • Felipe, o Resolve roda em Windows e trabalha com material editado no Premiere além do Final Cut e AVID. Se você vai trabalhar com material da sua própria produtora, não faz muita diferença se você trabalha em Windows ou Mac. Mas se você pretende prestar serviços para outras produtoras, aí eu não aconselho o Windows porque a maioria trabalha com Mac, Final Cut e ProRes, que é um codec que não tem suporte oficial em Windows.

          Não posso deixar de enfatizar a importância de você ter uma saída de vídeo broadcast e um monitor de referência para trabalhar, pois monitores de computador não servem para fazer grading para TV ou cinema. Você vai precisar de uma placa que converta o sinal RGB em YUV, como as da Blackmagic. Não adianta tentar usar a saída HDMI de sua placa gráfica pois o DaVinci não dá suporte e, mesmo que desse, a imagem não estaria dentro do padrão REC 709.

          A monitoração adequada não é uma opção, como muitos acreditam. Ela é obrigatória. Sem ela, você não tem condições de trabalhar a sério. O DaVinci custava um quarto de milhão de dólares (lá fora) pouco tempo atrás. Hoje a versão Lite é grátis, mas isso não significa que você possa virar um colorista sem investir. A monitoração não é barata, mas o custo é irrisório perto do que se tinha que gastar para se trabalhar como colorista.

          TVs normais de LED ou LCD geralmente não reproduzem os tons de cinza adequadamente nem as cores, e trabalhar a cor tendo elas como monitor é como mixar um CD de música com alto falantes de plástico de R$ 50,00. Você vai ver uma coisa e as outras pessoas vão ver outra. No mercado nacional temos cada vez menos opções, já que as TVs de plasma da linha (VT) top da Panasonic, que são utilizadas como monitores até lá fora (quando devidamente calibradas), estão deixando de ser fabricadas. Só tem disponível nova a de 65″, que geralmente é muito grande para uma ilha de edição. Ainda é possível encontrar no mercado de usadas a série GT de 42″. Embora não seja tão boa quanto a VT, a série GT é bem razoável.

          Se você puder, melhor ainda é importar um monitor de referência da Flanders Scientific (FSI). Eles custam à partir de dois mil e poucos dólares lá fora. Mas você vai ter que adicionar o frete e impostos.

          Outra opção, um pouco mais em conta, são os monitores da DELL série Ultrasharp modelo U2413. Eles são importados diretamente pela Dell do Brasil e custam menos de R$ 1.800,00 (preço de hoje), podendo ser parcelados em até 10x sem juros. Se utilizados via HDMI com uma placa de vídeo da Blackmagic como a Intensity Pro e devidamente calibrados, podem ser usados como referência com resultados bem satisfatórios.

  2. Parabéns pelo site, é mesmo muito útil.
    Sou estudante de media (digital media production) em Oxford e estou a começar a fazer um trabalho de correção de cor para a minha tese de mestrado com o software Da Vinci Resolve 9.
    Neste momento estou a trabalhar no laboratório da universidade. Tenho um MacBook Pro de 2009, mas que, infelizmente, não aguenta com o programa, por isso quero comprar um portátil que seja capaz de correr este software. Gostaria de saber quais são as características necessárias. Li aqui que o Retina não é, neste momento, muito aconselhável. Será que o Da Vinci corre bem num portátil? Windows ou Mac? Quais são os componentes aconselháveis para a máquina?
    Agradeço imenso a disponibilidade para o esclarecimento. Será, certamente, uma boa ajuda, pois estou com alguma pressa em arranjar uma boa máquina para trabalhar no meu projeto.
    Cumprimentos

    • Maria, nenhum portátil nem iMac consegue Rodar o DaVinci Resolve como uma torre. E a nova versão vai exigir ainda mais memória na placa gráfica. Mas se uma torre estiver fora de questão, os MacBook Pros de 15″ de última geração, com a opção de tela de alta resolução, conseguem rodar o Resolve. Quanto ao Retina, na Europa ele é mais viável que no Brasil, apesar dos limites descritos no artigo. Só que, se você partir para esse caminho, deverá comprar a configuração top.

  3. Obrigada pela resposta, mas ainda fiquei com uma dúvida: o MacBook Pro a que você se refere, é o que tem 8GB de memória? (8 GB de SDRAM DDR3 a 1600 MHz – 2 x 4 GB). Será suficiente?
    Na Aple Store não consigo configurar o Mac Book Pro 15″ com mais memória. E o recomendado pelo programa é 16GB.

    Agradeço a atenção.

    • Maria, embora a Apple só coloque como opção máxima 8 GB de RAM, o computador tem capacidade para 16GB. O ideal seria você encomendar ele com 4GB e adicionar os 16GB depois.

    • Você vai precisar de uma placa de saída de vídeo da Blackmagic e um monitor de vídeo.

  4. Olá Paulo, obrigado pela ajuda!..
    se não for pedir muito você poderia me mandar o link da placa da black magic para usar com um segundo monitor, uso um monitor Dell U2413, eu queria usar esse dell só para a imagem cheia, e tou em dúvida..
    pois tem muitas placas no site da black M.. rsrsrs..
    mais um vez obrigado 😀

  5. Olá Paulo!
    Sou apenas um novato, tenho um MacBook Pro i7 8GB RAM, e edito alguns vídeos nele, eu gostaria de saber se é possível o DaVinci Resolve rodar em minha máquina para que eu possa treinar? Gostaria de ser um colorista, por isso meu interesse. Desde já muito obrigado!

    • Depende muito do modelo. O Resolve só roda nos MacBook Pros de 15″ com placa GT650M ou nos novos Retina topo da linha. Além disso, 8 GB é muito pouco. O mínimo são 12 ou 16GB, dependendo da versão do Resolve.

      • Modelo do Grupo de Circuitos Integrados: Intel HD Graphics 4000 Barramento: Integrado VRAM (Total): 512 MB, esta é a minha placa, mas vc sabe dizer se é possível eu colocar essa placa GT650M e aumentar a memória?

        • Rogério, infelizmente não há como trocar o chip gráfico de um MacBook Pro porque ele é soldado na placa lógica. E o Resolve não roda no 4000. Só mesmo trocando de máquina.

          • Paulo obrigado por me responder, só mais uma, rsrs, vc qual máquina vc sugere, um Mac Pro? Qualquer Mac Pro rodaria o Resolve? vc sabe + ou – o preço de um Mac Pro?
            Thank you very much!!!

          • Um Mac Pro seria a melhor solução para rodar o Resolve. De preferência modelos a partir de 2009, já que os mais antigos têm o barramento mais lento para as placas gráficas. Você vai precisar trocar a placa gráfica original por uma da nVidia com processamento CUDA. Faça uma busca no VideGuru que você encontrará uma matéria sobre ao uso de placas gráficas de PC no Mac Pro. Nos comentários mais recentes existem diversas recomendação de placas e até os modelos que não funcionam. A versão 10 do Resolve exige um mínimo de 2GB de memória gráfica para Full HD e 4GB para 4K.

            Para rodar o Resolve você também precisará de uma placa de saída de vídeo, como a Blackmagic Intensity Pro, que deve ser conectada a um monitor de vídeo. É uma placa PCIe. Vai ser necessário também fazer um RAID interno para poder trabalhar em alta definição em tempo real, sem problemas. E um mínimo de 16 GB de memória RAM.

            Quanto ao preço, no caso de computadores usados procute no Marcado Livre, Bom Negócio ou outros sites de vendas pela internet. Para saber o preço de um Mac Pro novo, vá no site brasileiro da Apple. No caso de um computador novo, você precisará de uma placa de vídeo Thunderbolt para ligar no monitor de vídeo tradicional e de um RAID Thunderbolt.

  6. Paulo, primeiramente obrigado pelo post. Gostaria de saber se é vantagem eu adquirir a placa de vídeo da Blackmagic Intensity Pro + uma GeForce GTX580 Classified Ultra 3072MB (3GB) DDR5. Estou um pouco confuso quanto a essa questão, pois estou em busca de um update em meu PC e de uma placa de vídeo para o Monitor U2413 que investi recentemente.

    • Marcelo, eu substituiria a GTX 580 por uma GTX 770 de 4GB. Além de ser mais moderna e mais rápida, gasta menos energia. Quanto à Intensity Pro, pode manter na lista.

  7. Ola Paulo, primeiramente PARABÉNS pelo conteudo e obrigado por compartilhar tanta informação conosco, vamos lá. Eu estou querendo mudar de plataforma aqui na minha produtora, sempre trabalhei com PC e Premiere e agora estou querendo migrar para a Apple e editar no FC, e comecei a entrar no mundo dos coloristas e “descobri” o Da Vinci já a algum tempo (por isso quero migrar para a Apple, por causa do Da Vinci ehehehhe) e estou vendo muitas matérias de configurações, porem minha questão é! Eu não vou pegar essa mesa incrivel do Da Vinci, apenas vou baixar o software que eles disponibilizam gratis no site deles para trabalhar. Gostaria de saber contigo se eu comprar o Apple Novo Mac Pro Quad core e duas GPUs / OS X Mavericks já consigo trabalhar em real time (com o FC e o AE instalados tb na maquina) com o Da Vinci ou mesmo assim ainda tenho de comprar alguma outra coisa para instalar na maquina para rodar o mesmo em real time. Trabalho aqui tudo em HD (gravo tudo na minha canon 5D). Segue a configuração exata da maquina que estou querendo comprar.

    Especificações :

    Mac Pro Quad Core

    Dimensões:

    Processador

    Quad Core 3.7GHz

    Intel Xeon E5 com cache L3 de 10MB e Turbo Boost de até 3,9GHz

    Processador Gráfico

    Dois processadores gráficos AMD FirePro D300 com 2GB de VRAM GDDR5 cada

    – 1280 processadores de fluxo

    – Bus de memória de 256 bits

    – 160GB/s de largura de banda de memória

    – 2 teraflops de potência

    Memória

    12GB (três de 4GB) de memória ECC DDR3, 1866MHz

    Compatibilidade de vídeo

    Conecte até Três Monitores 4K e Seis Monitores Thunderbolt

    Armazenamento

    256GB Armazenamento em flash com PCIe

    *Possibilidade de configuração com 512GB ou 1TB2

    Áudio

    Miniconector de saída de áudio digital óptica/saída analógica combinada

    Miniconector de fone de ouvido

    Porta HDMI compatível com saída de áudio multicanal

    Alto-falante interno

    Wireless

    Rede wireless Wi-Fi 802.11ac3, compatível com IEEE 802.11a/b/g/n

    Tecnologia Bluetooth 4.0

    Software

    OS X Mavericks

    P.S. Se eu puder gastar menos comprando um IMac tb seria lindo, mas pelo que vi nos posts anteriores aos meus, vc comenta q alem de comprar a maquina teria de comprar coisas separadas para poder trabalhar com o Resolve nela. Desde já obrigado pela atenção.

    Halei Rembrandt

    • Halei, o modelo recomendado pra trabalhar com o Resolve é o com duas placas gráficas D500. Você ainda vai precisar de um RAID externo thunderbolt e uma placa de saída de vídeo dedicada para poder alimentar um monitor de referência para o Resolve. Pode ser uma Blackmagic UltraStudio Mini Monitor. O monitor de referência é um item obrigatório com o Resolve.

  8. Olá Paulo
    Comprei uma black magic 4k
    e chego o cd do davinci resolve
    nisso montei um hackintosh
    com essas configurações

    Placa de video : quadro k600
    memoria ram : 16g
    placa mâe : maximus iv

    só que o programa trava toda hora
    não sei o que fazer .

    você acha que devo investir na memoria ?

    • Arthur, a Quadro k600 não é apropriada para o Resolve. Ela tem um número muito reduzido de CUDA cores e pouca memória. O mínimo recomendado hoje em dia é uma placa com 2GB de memória, sendo que 4GB é ideal para usuários mais avançados. Eu recomendo uma GTX 770 se você deseja uma máquina com uma performance excelente.

  9. Olá Paulo, antes de qualquer coisa, obrigado por dividir seus conhecimentos todos nós.
    Venho tentando aprender mas sobre o DaVinci, nas últimas semanas, mas tenho dúvidas quando ao hardware ideal para seu uso.
    Li nos comentários você citar a respeito de usar o monitor Dell, com uma placa Blackmagic Intensity Pro, e gostaria de saber qual o papel dessa placa no uso? Seria para desempenho ou correta calibração de cor? E qual seria o modelo exato?
    Estou usando o DaVinci para estudo com windows em casa com a configuração:
    Core i7

    • Marcos, a placa da Blackmagic é fundamental pois dá saída de vídeo em YUV, que é o formato correto para monitoração, no padrão REC.709. A saída normal de um computador é em sRGB e não tem as mesmas características. Daí não serve para uma monitoração precisa. Quanto ao modelo, se você está usando Windows qualquer uma que seja PCIe serve.

Deixa seu comentário

GALERIA

1 4863

A interação entre ação viva e animação tem sido explorada ao longo da história do cinema, com muitos exemplos dos estúdios Disney e o inesquecível "Uma Cilada para Roger Rabbit", dirigido por Robert Zemeckis. O resultado, em geral, é estimulante. Pensando bem, a idéia...
8 5343

Esse vídeo fantástico, feito na Rússia para o lançamento de um projeto imobiliário, foge totalmente dos padrões tradicionais e utiliza a fantasia, com imagens incríveis, no lugar do uso tradicional de plantas e animações dos prédios em computação gráfica....
1 5976

Há algum tempo, publicamos um post com um vídeo do editor Piu Gomes, criado para responder a essa pergunta essencial para quem quer entender a linguagem audiovisual: o que é montagem? Também publicamos, há mais tempo ainda, outro post chamado...