Home Notícias Câmera Canon 6D e Nikon D600 – As full frame que chegam para...

Canon 6D e Nikon D600 – As full frame que chegam para redefinir o mercado

Nem deu tempo de anunciarmos o lançamento da Nikon D600 e a Canon anuncia a 6D. Saiba porque essas duas câmeras vão redefinir o mercado das HDSLRs full frame.

Nos últimos dias, o mercado foi inundado por lançamentos de câmeras de vídeo de todos os tipos, incluindo as HDSLRs capazes de filmar. Mas são esses dois lançamentos que certamente irão mudar o mercado da produção independente de baixo orçamento.

Trata-se de duas câmeras de altíssima qualidade, com sensor full frame, a preço de câmeras com sensor crop. Com um preço anunciado de aproximadamente US$ 2.100, cada, pode-se esperar que ambas sejam encontradas por menos de dois mil dólares.

Não basta serem as HDSLRs full frame mais baratas já lançadas, ambas prometem qualidade de vídeo semelhante à de suas irmãs maiores – a 5D Mark III e a D800. A maior diferença para estas está na resolução um pouco menor para stills.

Mas, como nosso foco é vídeo, vamos nos concentrar neste assunto. Ambas são câmeras capazes de filmar em 1920 x 1080, o vulgo Full HD, assim como a maioria das HDSLRs.

A Canon conta com um sensor de 20.2 megapixels enquanto que a Nikon conta com um de 24.3 megapixels. Fisicamente, ambos tem o mesmo tamanho. Para stills, a Nikon leva um ligeira vantagem, mas para vídeo a vantagem deverá ser para a Canon.

Isso porque, quanto maior a densidade de pixels por polegada, menor a sensibilidade para pouca luz e, consequentemente, maior  o nível de ruído. Constatamos isso pessoalmente quando fizemos um breve teste com a Nikon D800, que se apresentou bem mais ruidosa que a Canon 5D Mk III.

Isso fica mais aparente considerando que a parte eletrônica das novas baby full frames é semelhante ou idêntica à de suas irmãs maiores. Aliás, como utiliza o mesmo processador que a 5D Mark III, espera-se que a 6D tenha a mesma imagem livre de moiré e altíssima sensibilidade em situações de pouca luz.

Do mesmo modo, a D600 deve oferecer a mesma latitude e processamento de cores que tanto nos impressionaram na D800. Ou seja, decidir entre as duas, para variar, não vai ser fácil.

Se filmar com pouca luz e baixo ruído é uma necessidade constante, a Canon oferece uma bela vantagem, com ISO normal indo até 25.600, enquanto que a Nikon só vai até 6.400.

Embora ambas ofereçam visores de 3.2″, o da Canon leva uma ligeira vantagem por ter uma densidade maior de pixels: 1024k contra 921k. Claro que fatores como luminosidade irão influir muito na qualidade final dos visores.

Aliás, nenhum dos visores é escamoteável. No quesito de foco automático, a Nikon sempre levou vantagem e continua assim. Enquanto que ela oferece 39 pontos de foco, a Canon oferece apenas 11.

Nenhuma das câmeras oferece foco automático contínuo como a Canon T4i. Ambas as câmeras oferecem GPS e WiFi. Só que a Canon vem com esses recursos de fábrica, enquanto que a Nikon os oferece como acessórios separados.

Ambas as câmeras são bem mais compactas fisicamente que suas irmãs maiores, tornando-as as menores e mais leves HDSLRs full frame do mercado.

Então fica a pergunta que nunca desiste: qual das duas câmeras comprar? Se você tem pressa, a Nikon D600 já está à venda. A Canon 6D só estará disponível no mercado em dezembro (Papai Noel, não se esqueça de nós!).

Mas existem outros fatores mais importantes a considerar. Um deles são as lentes. Se você está começando do zero, isso não importa tanto porque seu investimento neste item será semelhante.

Tanto a Nikon quanto a Canon fabricam lentes da mais alta qualidade, sem contar que os outros maiores fabricantes de lentes disponibilizam modelos para ambas as marcas.

A coisa só pega quando você já possui um investimento considerável em lentes. Ambos os fabricantes oferecem suas vantagens e desvantagens. A Nikon aceita sem problemas praticamente todas as lentes já fabricadas para a marca, desde as mais antigas manuais até as mais modernas automáticas.

E vale lembrar que as primes Nikkor tem exemplares que são considerados dentre as melhores lentes já fabricadas. A Canon, por outro lado, não aceita as lentes manuais mais antigas de sua própria marca, como a série FD.

Neste caso, existem adaptadores, mas com elementos óticos que anulam a qualidade das lentes. Por outro lado, existe uma série de adaptadores para lentes de outros fabricantes para a Canon, inclusive para lentes Nikon manuais.

Ou seja, você tem a possibilidade de utilizar lentes prime Zeiss M42, Yashica/Contax, Leica, Pentax, etc. Isso sem nenhum elemento ótico adicional para degradar a imagem. O que significa que as melhores lentes do mundo estão à sua disposição.

Não é o caso da câmera da Nikon, pois devido a uma distância diferente do plano focal, só as lentes fabricadas especificamente para Nikon servem na câmera.

Portanto, se você é um usuário Nikon com um investimento considerável em lentes de qualidade, a D600 passa a ser a opção mais atraente a não ser que você esteja disposto a vender tudo e começar do zero, a não ser pelas suas primes Nikkor manuais.

O mesmo acontece se você já é usuário Canon, pois nenhuma de suas lentes servirá nas Nikon. Como o investimento em lentes facilmente ultrapassa o valor das câmeras, esse é um item muito importante a ser considerado.

Independente da sua escolha, uma coisa é certa – a 6D e a D600 certamente irão dominar o mercado com seu baixo custo e alta qualidade. É a revolução HDSLR dando mais um largo passo à frente. E, quem ganha, somos nós.

NOTA DO AUTOR:  Agora que as primeiras versões da Canon 6D foram disponibilizadas para pré análise, verificamos que, ao contrário da Nikon D600 e da 5D Mk III, esta não possui saída para fones de ouvido.

Gostou do artigo ?

Inscreva-se em nossa Newsletter para receber as atualizações do VideoGuru.

Autor
Paulo trabalhou na Rede Globo de Televisão como roteirista, diretor e editor e também escreveu sete longa metragens do grupo Os Trapalhões. Em 1991, abriu uma produtora nos EUA, onde conquistou vários clientes importantes, recebeu diversos prêmios e escreveu centenas de artigos como editor contribuinte para algumas das mais importantes publicações profissionais americanas e internacionais. Hoje Paulo trabalha como colorista para TV e cinema, com clientes no Brasil, Estados Unidos e Europa.
Artigos relacionados
0 7246

A O2 Filmes está utilizando várias Blackmagic Pocket Cinema Cameras (BMPCC) como câmeras principais nas gravações da nova comédia de sucesso da GNT, “Lili, a Ex”. A carga do conteúdo no set foi feita pela White Gorilla e toda a...
2 5727

Faz poucos dias que a Blackmagic lançou mais um firmware para suas Cinema Camera 2.5K (BMCC) e Pocket Cinema Camera (BMPCC). Esse firmware 1.9.7 adiciona a funcionalidade de poder formatar os cartões de memória nas próprias câmeras sem precisar...
30 comentários Nesse post
    • Olá Gerson,

      A GH3 está na nossa pauta, inclusive merecendo uma atenção especial junto com um texto sobre a GH2. Aguarde!

  1. A D600 tem saída pela porta HDMI. Essa saída pode ser gravada assim como a do modelo D800. Vc tem alguma informação sobre isso. Essa característica torna essa câmera mais interessante do que a cânon. Obrigado.

    • Cesar, a D600 tem saída limpa em HDMI, assim como a D800. Porém não considero que só esse item a torne mais interessante que as Canon, até mesmo porque você consegue saída limpa nelas com o firmware alternativo Magic Lantern, sobre o qual você pode ler aqui no Video Guru. Na prática, a compressão de ambas as câmeras quando gravam em cartão não é nada mal para 90% dos trabalhos. A gravação via HDMI só traz vantagens maiores quando se deseja fazer chroma key e em situações especiais onde a compressão H.264 é ineficiente (como muito movimento em todo o quadro da imagem – como grama ao vento, por exemplo – e cenas muito escuras). Além disso, dependendo do gravador utilizado via HDMI, você ganha na latitude da imagem em geral. É aí que está a grande vantagem de utilizar um codec melhor. A Arri Alexa, por exemplo, grava em ProRes 444, 12 bits. Fazer o color grading (marcação de luz) com esse tipo de material em um programa avançado como o DaVinci Resolve é um sonho, pois é possível fazer mudanças e correções extremas na imagem sem defeitos colaterais. Tanto a latitude de luminância quanto a de crominância são incríveis.

      A Nikon D800, à qual a D600 é semelhante, oferece vantagens e desvantagens em relação às Canon. Em teste realizado recentemente por nós, constatamos que as cores e a maneira com que a câmera processa as altas luzes nos agradaram mais do que as Canon. Além disso, a câmera oferece uma latitude um pouco maior quando a cena é bem iluminada. Para ser sincero, adoramos a imagem dela. A desvantagem maior das Nikon é o altíssimo nível de ruído quando se filma com pouca luz, perdendo até dos modelos mais baratos da Canon como a T2i. Junta-se às vantagens e desvantagens fatores como disponibilidade de lentes, custo e disponibilidade de acessórios, firmwares alternativos como o Magic Lantern, etc. Sem contar a preferência pessoal.

      Como uma regra geral, a mesma que se aplica para fotografia still, a Nikon é muito mais interessante para quem já usa Nikon e tem um belo estoque de lentes e acessórios. O mesmo se aplica à Canon. Mas, se você está começando do zero, ambas têm vantagens e desvantagens que devem ser consideradas para se adequar melhor às suas necessidades.

  2. Boa tarde. Encontrei seu site faz pouco tempo e tem sido de grande valia. Parabéns pelo seu trabalho. Estava lendo os comentários e achei interessante a gravação via HDMI. Aqui em seu site há algum tutorial de como gravar deste modo?

  3. Paulo obrigado pela atenção.

    É mais um investimento.. talvez para publicidade valha a pena. Há uma diferença de preços absurdas entre os gravadores. O Blackmagic Design HyperDeck que tem o preço mais acessível atende bem? A mark III tá com saída limpa agora né? Será que com esse novo magic lantern eu consigo saída limpa pra 7d? abraço!

    • Não experimentei o HyperDeck pessoalmente, mas tenho lido coisas positivas sobre ele. É típico da Blackmagic Design fazer produtos de qualidade por um preço bem acessível. Além disso, eles têm uma experiência enorme com imagens de alto nível. Parece que a tecnologia do HyperDeck é a mesma utilizada na câmera deles.
      A Mark III terá saída limpa em Full HD de fábrica, mas o firmware só sai mês que vem. Quanto à 7D, o pessoal que desenvolve o Magic Lantern acaba de anunciar que em testes preliminares conseguiram saída limpa para ela. Embora não tenham dado maiores detalhes, pela velocidade que as coisas geralmente andam com eles, não creio que vá demorar.

  4. Olá, acabo de comprar a Nikon D600 para produção de vídeo. Estou tendo bastante dificuldade com o ruído quando utilizo ISO elevado. Além disso a saída HDMI direta é de apenas 95% do frame, existe uma borda preta na imagem quando selecionado esta opção (a D800 não apresenta este problema). Não tive a oportunidade de comparar pessoalmente com uma canon, mas achei o movimento das imagens em vídeo na D600 um pouco facetado demais. Nem chego a utilizar o framerate de 24p pois não consigo uma imagem adequada (mesmo com velocidades de 1|60 ou 1|50). Vocês notaram algo semelhante nos testes ou eu estou utilizando o equipamento erroneamente? Faria muita diferença trocar minha D600 pela canon 5D mark III?

    • Não tenho experiência pessoal com a D600, ainda, mas a D800 tem o vídeo semelhante e não apresenta nenhum problema. Também não ouvi falar desse tipo de problema com a D600 em nenhum lugar e os testes que assisti mostram um vídeo muito bom.

      Existem várias causas para o batimento de seus vídeos. A primeira é um cartão de memória lento demais, que não consegue acompanhar a velocidade de gravação. Use no mínimo um Classe 6, de preferência um Classe 10. É importante, também, que sejam de boa procedência pois existem muitos cartões falsificados no mercado. Outra causa pode ser a máquina onde você está vendo os vídeos. Se for um computador mais antigo e/ou com uma placa gráfica muito simples, ele pode não ter a capacidade de reproduzir os vídeos em tempo real. Finalmente, se você está acostumado com câmeras de vídeo tradicionais, entrelaçadas, a imagem progressiva da D600 pode parecer mais batida. Mas não se preocupe, se for esse o caso, pois isso é normal.

      Não há diferença alguma quanto à batimentos de vídeo entre a D600 e a 5D Mark III.

  5. Caro Paulo,

    Sou coordenador do Programa de História Oral da Fundação Arquivo e Memória de Santos. Queremos adquirir um equipamento DSLR para gravar nossas entrevistas, e pensamos nessas avaliadas por você. Gostamos bastante das câmeras, no entanto temos uma dúvida: é possível realizar gravação de cerca de duas horas, sem interrupções, com essas câmeras DSLR? É característica do nosso trabalho não interromper os entrevistados, por isso a preocupação.

    Abraços, e parabéns pelo blog.

    • Caro José,

      Essas câmeras HDSLR têm um limite de gravação de aproximadamente 30 minutos por tomada. Ou seja, você sofrerá 3 interrupções durante um evento de duas horas. Nesses casos, recomendo uma câmera que não tenha esses limites, como a Canon XA10 HD. Esta permite gravar mais de 5 horas em um único cartão. Além disso, não esquenta e não requer gravador de audio separado – duas preocupações a mais com HDSLRs em situações como a sua.

          • Boa tarde Paulo, trabalho com o José e estou a procura de orçamentos (tá difícil :) para a minha instituição comprar a câmera que você recomendou, minha dúvida é sobre cartões de memória SDXC, tem diferencial entre as marcas? um cartão de 4G tem melhor desempenho que um de 16 ou 32?

            Adorei o blog^^

            Bjus

          • Erika, contanto que seja um cartão original (aconselho comprar em lojas com boa reputação, pois existem muitas falsificações no mercado) de marca conhecida, não tem problema. A câmera funciona com cartões SDHC, também, que são mais fáceis de achar e mais baratos.

            A diferença entre os dois, na prática, não é nenhuma em relação à câmera. A velocidade maior do SDXC não vai melhorar a imagem porque o SDHC tem velocidade de sobra pro codec utilizado. A única diferença que pode acontecer, na teoria, é na hora de transferir os arquivos para o computador. Mas isso se o leitor de cartões for muito rápido, para USB 3.0, por exemplo.

            O SDXC usa formatação ExFat, que só é compatível com as versões mais atuais dos sistemas operacionais. Se os computadores de vocês forem mais antigos, pode dar problemas.

            Quanto à capacidade, não faz diferença. Um cartão de 4GB tem a mesma performance de um de 32GB. O que faz a diferença é a “classe” do cartão. Se você reparar bem, vai ver este número envolto em um círculo. Eu recomendo os cartões classe 10, mas os classe 6 também funcionam muito bem nessa câmera, já que o mínimo recomendado pela Canon são os classe 4. Esses funcionam bem, mas o classe 6 funcionam com folga.

            Ainda quanto à capacidade dos cartões, a câmera já vem com 64GB internos, o que dá pra gravar mais de 5 horas. Você só utilizaria os cartões se precisasse ir além desse tempo. Mas é sempre bom tê-los, por precaução. Minha única recomendação é optar por cartões de 16GB, se possível. A câmera tem 2 slots, o que possibilita gravar quase 3 horas nos dois. Recomendo 16GB porque já vi diversos casos de cartões dando problemas. Nesses casos, você arrisca perder apenas metade do material em relação ao um cartão de 32GB. E, coincidência ou não, tenho visto mais defeitos em cartões de 32GB do que em de 16GB.

    • Erika, se for para backup então pode usar dois de 32GB que fica perfeito. Obrigado pela indicação. :-)

  6. bom dia, tive acesso ao seu blog e fiquei muito entusiasmado, com a qualidade das perguntas e respostas.
    gosto muito de fotografias, e gostaria de saber a sua opinião, relativamente ao seguinte: não sou fotografo profissional, no entanto gosto imenso de fotografia e video, aconselaram-me a nikon d600, devido a ser full frame, após ler tudo e tomar conhecimento da diferença e dessa mais valia, estou hesitante se vale a pena gastar 2.500€ no kit ou então ir para a nikon d7100. por favor pode ajudar, grato.

    • Luis, a D7100 é uma câmera excelente, com um custo/benefício fantástico. Já que você não é profissional, a diferença de preço entre as duas lhe dará dinheiro a mais para investir em boas lentes, o que fará muito mais diferença em suas fotos do que o fato da câmera ter um sensor full frame ou não. Na prática, o sensor full frame lhe possibilita basicamente duas coisas – que as lentes mais abertas (grande angulares) tenham um campo maior de visão e um controle um pouco maior da distância focal, pois o fundo fica mais desfocado com esse tipo de sensor. No entanto, nenhuma dessas características são essenciais para uma boa fotografia e podem ser contornadas facilmente. No caso da distância focal, por exemplo, basta uma lente mais longa e com abertura maior para obter o mesmo efeito de desfoque. E existem, hoje em dia, muitas lentes abertas para suprir a necessidade de grandes angulares em sensores crop. E, se esse tipo de sensor perde nas lentes abertas, ganha nas teleobjetivas porque as lentes aproximam mais as imagens em relação aos sensores full frame.

      Lembre-se que o investimento em lentes é muito mais duradouro, pois você pode trocar só o corpo da câmera e manter suas lentes. Portanto, invista nas melhores lentes que puder.

  7. Paulo, Parabéns pelo site. Trabalho com Filmagem convencional HD da linha Panasonic para eventos sociais (casamento, festas, congressos, assembleias, shows, etc). Estou entrando no mundo da HDSLR pela qualidade e o efeito desfoque de fundo. Pelo custo x benefício comecei com a Canon T4i estou gostando muito e quero adquirir outra câmera vejo o pessoal da minha região utilizando a 60D, 7D muitos comentários da 5D Mark III e esse lançamento da 6D, vendo alguns vídeos na internet não vejo grande diferença de imagens dessas câmeras para vídeo HD entre uma e outra. Gostaria de saber na linha Canon qual o melhor custo x benefício para uso exclusivo para vídeo e qual a especificação de lente 70-200 2.8 adquirir. Fico grato com seu retorno, se puder me enviar também por e-mail fico grato.

    • Ricardo, a Canon com o melhor custo/benefício é… a T4i! Como você mesmo notou, não existe nenhuma diferença entre as imagens dela pra 60D ou 7D. Todas usam o mesmo sensor. A 6D é muito boa para baixa luz, o que pode ser muito útil nas festas de casamento. Mas ela apresenta mais moiré que as outras HDSLRs Canon. a 5D Mark III é que está em outro patamar, com muita sensiblidade para pouca luz e sem moiré. Além disso, acho que ela tem uma imagem um pouco mais refinada. Ou seja, vai depender do seu orçamento. Se der pra comprar a Mark III, vá fundo. Se não der, a T4i oferece o melhor custo x benefício das câmeras Canon com sensor crop (para vídeo). Com o dinheiro que você economiza, pode investir em boas lentes – o que faz uma diferença maior que o corpo em si, em muitos casos.

      Quanto à lente, você tem duas opções da própria Canon. Uma com estabilizador de imagem e uma sem. A com estabilizador é mais para fotografia, pois o estabilizador não funciona bem para vídeos em pans e outros movimentos suaves. Daí é melhor comprar sem e economizar US$ 1.000,00. Com essa grana você compra umas lentes prime, que são muito melhores para filmar. Por exemplo, dá pra comprar uma Rokinon 35mm T1.5 Cine Lens na B&H por US$ 549,00 e uma Rokinon 14mm T3.1 Cine Lens por US$ 449,00.

      Outra opção é a Tamron 70-200mm f/2.8 Di LD (IF) Macro AF Lens. Gosto muito das Tamrons, e o preço é bem mais em conta: US$ 769,00 na B&H.

  8. Ola amigo, muito bacana seu site e as informações. To com um dilema… to começando do zero, ja uso cameras Sony NX70, NX5, e quero comprar uma fotografica pra filme… to entre a 6D e a D600… outra coisa; Vale a pena a diferença ente t5i e 6d ? abs…

    • Dhan, as duas são bem semelhantes. O que vai pesar mais são as lentes. Se você ainda não tem investimento em lentes Canon, tanto faz. Mas, se tem, as Nikon só aceitam lentes Nikon (ou de outras marcas feitas especificamente com encaixe para Nikon). Você não poderá usar lentes Canon nem M42 com adaptadores. A Canon agora está levando vantagem por causa do Magic Lantern, que aumenta muito os recursos da câmera e, inclusive, irá possibilitar a filmagem em RAW (embora não seja prática para documentários, programas de TV e peças mais longas por causa do espaço enorme que ocupa nos cartões).

      Quanto às diferenças entre a t5i e a 6D, a primeira por ser sensor crop é mais fácil de focar. Isso passa a ser importante em filmagens de eventos e produções menos controladas e/ou de orçamento muito baixo. Você também encontra lentes mais baratas para ela, de excelente qualidade, como a Tamron 17-50 2.8 avaliada aqui no VideoGuru. Já a 6D tem uma sensibilidade incrível para pouca luz. Ela praticamente filma no escuro, com muito pouco ruído. Para fotografia still ela tem uma resolução maior e, sendo full frame, o controle da profundidade focal passa a ser maior (também para stills por conta de se poder ajustar livremente o obturador).

      Mas, pra te confundir um pouco mais, a Canon acaba de anunciar a 70D, que promete foco automático de precisão com detetor de faces. Dizem que essa vai ser a melhor HDSLR para vídeo por conta disso. Ela é crop, mas conta com um sensor com resolução de full frame. Só que vai demorar um pouco mais para sair. Portanto, se você puder esperar, pode ser uma boa opção.

  9. Olá, parabéns pelo site. Suas dicas são muito boas.
    Estou utilizando a nikon d600, e estou com dificuldade de escolher o ponto de foco, com a lente no automatico.
    Você saberia tirar a minha duvida?
    Quando eu coloco foco automatico na lente, os pontos de focos, somem, e como trabalho como freelancer em casamentos, acabo perdendo vários focos. pois ela acaba focando aonde não quero.
    Só consigo isolar o ponto de foco, com a lente no manual.
    Att.

    • Fred, confiar no foco automático para filmar é um problema, como você tem percebido. Muitas vezes a câmera acaba escolhendo o ponto errado e gente perde o foco no objeto principal. É por isso que a maioria acaba filmando com o foco manual. Dá mais trabalho mas, pelo menos, a gente passa a ter mais controle sobre o resultado final. O grande problema é que as HDSLRs filmam somente e modo Live View e, nesse modo, o sensor principal de foco não funciona. A Canon, com a 70D que foi anunciada recentemente, está tentando superar esse obstáculo dividindo cada ponto do sensor em dois para poder focar com precisão mesmo em Live View. Assim, funções como reconhecimento facial deverão funcionar em modo de filmagem, em modo continuo, o que será realmente revolucionário. Só que já prometeram tantas coisas que não funcionaram direito no produto final que só mesmo vendo para crer.

      Eventos como casamentos apresentam um desafio ainda maior, pois não temos muito controle e frequentemente temos que filmar com pouca luz. Sei que é ainda mais difícil focar manualmente, mas isso pode melhorar com o auxílio de uma lupa na frente do visor.

      • Obrigado Paulo, perdão pela minha pergunta, ficou confusa. No meu caso estou falando em relação a fotografia. Não consigo fazer com que a camera tenha apenas um ponto de foco fixo para fotografar.
        Att.

        • Não tem problema, Fred. Só que nosso foco (desculpe o trocadilho não intencional) é mais na parte de vídeo digital. Fico mais à vontade em deixar algum leitor mais experiente em stills com a Nikon responder sua pergunta. Alguém se habilita?

Deixa seu comentário

GALERIA

1 5232

A interação entre ação viva e animação tem sido explorada ao longo da história do cinema, com muitos exemplos dos estúdios Disney e o inesquecível "Uma Cilada para Roger Rabbit", dirigido por Robert Zemeckis. O resultado, em geral, é estimulante. Pensando bem, a idéia...
8 5718

Esse vídeo fantástico, feito na Rússia para o lançamento de um projeto imobiliário, foge totalmente dos padrões tradicionais e utiliza a fantasia, com imagens incríveis, no lugar do uso tradicional de plantas e animações dos prédios em computação gráfica....
1 6368

Há algum tempo, publicamos um post com um vídeo do editor Piu Gomes, criado para responder a essa pergunta essencial para quem quer entender a linguagem audiovisual: o que é montagem? Também publicamos, há mais tempo ainda, outro post chamado...