Home Artigos Software Final Cut Pro X 10.0.6 deixa Adobe Premiere Pro comendo poeira num...

Final Cut Pro X 10.0.6 deixa Adobe Premiere Pro comendo poeira num iMac

A atualização 10.0.6 do Final Cut Pro X mudou para melhor a forma como o programa utiliza as placas gráficas para auxiliar no processamento. Agora o render dos efeitos ocorre em segundo plano com ajuda da GPU, enquanto o programa executa outras tarefas baseadas na CPU.

Resultado, o programa, que já era um foguetinho, disparou de vez e deixou para trás o Adobe Premiere Pro num iMac da geração imediatamente anterior à que foi anunciada semana passada.

Alex Gollner, especialista em FCPX e Motion e que usa o codinome Alex4D, fez um teste com resultados reveladores. Publicado em seu blog e no seu canal do Youtube, o teste já provoca polêmica.

Ele utilizou a seguinte configuração: iMac i7 3.4 GHz com 16GB de RAM e placa gráfica Radeon 6970M com 2MB. Os aplicativos rodam num drive SSD, enquanto os arquivos ficam armazenados em um disco rígido 7200rpm. O arquivo usado por Alex foi um Quicktime ProRes 422 (HQ) 1080p25.

Alex também fez uma segunda rodada de teste com o update 6.0.2 do Premiere, obtendo resultados um pouco melhores com o programa da Adobe:

– Render da Timeline: Os tempos foram 80, 61 e 62 segundos (comparado com 75 segundos no video).

– Exportação: Os tempos foram 109, 100 e 101 segundos (comparado com 117 segundos no video).

Questionado a fazer um teste similar comparando o FCP7.0.3 com o FCPX 10.0.6, ele encontrou o seguinte resultado:

– Render da Timeline: 111 segundos (vs 43 segundos para o 10.0.6).

– Exportação: 105 segundos (vs. 37 segundos para o 10.0.6).

Alguns reclamaram que o teste não havia sido feito com uma placa da nVidia com GPU do tipo CUDA como a GTX480 ou GTX570 ou Quadro, cuja arquitetura favorece a performance do Premiere. Teve até gente que postou resultados que invertiam a colocação em alguns casos, mas sem tanta diferença.

Alex respondeu dizendo que o teste visava avaliar a performance dos programas num iMac padrão, sem placas especiais.

De fato, mesmo considerando que placas CUDA podem realmente fazer diferença no uso do Premiere, o que o teste prova de verdade é que o FCPX ficou muito rápido, chegando a índices de performance surpreendentes em máquinas comuns. E a diferença para o FCP7.0.3 é ainda mais absurda.

No fim das contas, tudo indica que a Apple está conseguindo fazer desse casamento de software e hardware, no caso do FCPX e os seus computadores mais recentes, um completo sucesso. Vamos ver como a coisa fica com os novos iMac que acabam de ser anunciados.

Se quiser conhecer mais do trabalho de Alex4D, acesse o seu blog clicando aqui.

Gostou do artigo ?

Inscreva-se em nossa Newsletter para receber as atualizações do VideoGuru.

Artigos relacionados
1 6109

Seguindo a tendencia de ofertar pacote de produtos na área vídeo digital, a Red Giant comercializa o Shooter Suite, que traz um conjunto de aplicativos e filtros adequados para produções profissionais. Seus componentes vão desde ferramentas para facilitar a...
0 5670

Não é novidade que o Mocha é a principal referência hoje na área de motion tracking (rastreamento de movimento). O programa já tem uma história e segue se renovando, como faz agora. E muito bem, por sinal, como vamos...
8 comentários Nesse post
  1. Realmente o teste mostra que o FCP melhorou muito com a tão esperada atualização. Mas não foi justo com o Premiere. A desculpa de que queria rodar sem placas especiais não é pertinente. Hoje, cada desenvolvedor esta buscando parcerias com fabricantes de hardware para desenvolver e melhorar seus aplicativos. Foi o caso da Apple que como você mesmo citou no início do artigo “Agora o render dos efeitos ocorre em segundo plano com ajuda da GPU, enquanto o programa executa outras tarefas baseadas na CPU”.

    Então seria mais que justo usar o Premiere em um Mac com uma placa Nvidia com tecnologia Cuda e Mercury Playback Engine ativado por hardware. O resultado seria completamente oposto. Não me parece justo um teste rodando render na GPU com um programa e o outro rodando o render apenas pela CPU.

    No estagio atual da linha Apple, jamais um Mac será mais rápido que um PC para editar vídeos. Tanto usando o Final Cut quanto o Premiere.
    O PC agora está muitoa frente da tecnologia dos Macs. Basta olhar os resultados do site PPBM5 que testa computadores usando as diversas versões do Premiere Pro e atualmente é citado até nos informes da Adobe como um guia para configurações. Atualmente contando com mais de 1900 máquinas testadas, não se vê um Mac nos primeiros lugares.

    Não estou querendo criar guerra entre fabriacantes. E como disse antes, o teste é validosim para avaliar quanto o FCP ficou melhor. Mas ainda há um grande caminho a percorrer pela Apple, que no entanto parece não estar mais disposta a participar do mercado de workstations. Há rumores de encerramento da produção dos MacPro tipo torre inclusive, já que as vendas não suportam mais os custos de desenvolvimento.

    E os Macbook Pro, inclusive é meu computador portátil pessoal de escolha faz muitos anos, não pode ser considerado uma workstation portátil. Eu gosto demais deles, mas para tarefas que não sejam prioritariamente edição de vídeos.

    Grande abraço!

    Marcelo Ruiz

    • Veja que o texto do post alerta para esse aspecto de que as placas nVidia alteram o resultado do teste.

      Quanto ao Mac Pro, os rumores mais recentes vão na direção contrária do que você afirma, com notícias de que está para sair uma nova máquina desktop de ponta agora na primavera do hemisfério norte, ou seja, não vai demorar muito. Eu aposto que ela será anunciada em data próxima à NAB 2013.

      Fora isso, os novos iMacs, nas configurações mais parrudas, segundo relatos, estão maravilhosos para edição, sobretudo no FCPX, e, provavelmente no Premiere também, uma vez que as placas gráficas são da nVidia.

      O mesmo se pode dizer dos novíssimos MacBooks. Eu mesmo, faz mais de seis meses, substituí meu Mac Pro por um MacBook Pro de 15″ trabalhando via Thunderbolt com um monitor da Apple de 27 polegadas, um disk array Promise Pegasus R6 e o dispositivo Aja ioXT.

      Edito com ele em full HD sem engasgos, no mesmo nível ou mais rápido do que editava no Mac Pro. Sem dúvida, com essa última geração, a Apple viabilizou esse esquema de configuração simultaneamente de mesa e portátil.

      Claro que, se você quiser uma estação de trabalho para editar e fazer computação gráfica em altíssimo nível, você vai precisar de uma máquina bem mais parruda. Nesse caso, acho que editor estará melhor servido de um Hackintosh.

      Não é fácil de configurar, mas seguindo os passos dos experts que já testaram todos os tipos de componentes, é altamente viável. O melhor é que você sai dessa experiência com um PC de ultima geração que roda um OS bem melhor do que o Windows.

      • João,

        Quanto aos Mac Pro, eu estava mais me referindo a um sentimento dentro da Apple, segundo artigos como o citado abaixo e outros, sobre o descontentamento com as vendas do modelo e também a opinião de outros analistas especializados em Apple, de que a empresa estava nitidamente voltando seu foco para produtos hi-end para pessoas físicas, como pads, celulares e notebooks.

        “According to these people, the consensus among sales executives for the Cupertino-based company was that the Mac Pro’s days — at least in its current form — were inevitably numbered. In particular, internal discussions were said to focus around the fact that sales of the high-end workstations to both consumers and enterprises have dropped off so considerably that the Mac Pro is no longer a particularly profitable operation for Apple.” (http://www.macrumors.com/2011/10/31/apple-questioning-the-future-of-its-mac-pro-line/)

        Mas como no mundo veloz de hoje as coisas mudam da noite para o dia… pode ser que tenha havido outra percepção nos cabeças de Cuppertino. Realmente os boatos atuais, dos quais eu nào estava muito atualizado, apontam para um novo Mac Pro para abril desse ano. Vamos ver o que vem. inclusive dão conta que eles voltarã a usar as placas NVidia para se beneficiarem também da tecnologia CUDA.

        O que percebo, dentro das possibilidades econômicas de nossas micro e pequenas produtoras, é que a linha MAC Pro, iMAC e MBP estão aquém das possibilidades financeiras, ainda mais quando se pensa que são configurações cada vez mais fechadas, sem possibilidades de upgrade, como o novo MBP, onde a até a memória é onboard e o SSD HD de um modelo proprietário.

        Não tenho dúvidas do desempenho da configuração que vc usa, mas em termos de preço, um MBP top de linha, mais um “MacBook Pro de 15″ trabalhando via Thunderbolt com um monitor da Apple de 27 polegadas, um disk array Promise Pegasus R6 e o dispositivo Aja ioXT” é um conjunto avaliado em mais de R$ 20 mil, valor suficiente para comprar 2 workstations muito bem equipadas.

        Eu mesmo, ainda não criei coragem para trocar meu velho MBP 3.1 de 2007 por um novo, por conta do preço salgado e da impossibilidade de upgrades futuros. Afinal R$ 15 mil por um note é muita grana!

        Abraços,

        Marcelo Ruiz

        • Sem dúvida, Marcelo, com R$ 20 mil, dá pra fazer muita coisa, inclusive montar até tres ou quatro workstations Hackintosh incrivelmente poderosas. Mas se você quiser adquirir um PC de marca top de linha, seja de mesa ou portátil, vai precisar gastar bastante, praticamente o mesmo que um Mac Pro ou um Macbook Pro. Porque? Por que todas essas máquinas são importadas prontas legalmente, e a política de impostos no Brasil as torna proibitivas para os nossos bolsos. Diante disso, cada um encontra as alternativas possíveis de acordo com as suas condições e interesses. E obrigado pela menção ao nosso trabalho no seu blog. Apreciamos muito isso!

  2. João, Infelizmente sua manchete não condiz com a realidade. O Final Cut não tem como deixar o Premiere comendo poeira a verdade é o contrário, a não ser que o Premiere esteja muito mal configurado(o que os testes que vc citou demonstram), mas isso todo mundo sabe fazer, né? Agora, se é para pagar mais e ter um design cool aí nem discuto, é só queimar dinheiro… Outro detalhe, o objetivo principal dos testes é tirar conclusões que possam favorecer o usuário e não este ou aquele software, então, por favor… O Final Cut precisa remar muito para ser mais veloz que o Premiere.

    • George, a manchete condiz e reflete perfeitamente o que o post informa: que o FCPX rodou mais rápido que o Premiere no iMac mais recente que estava no mercado naquele momento. E o texto ainda ressalta que o resultado do teste apresentado provavelmente seria outro caso a comparação fosse feita numa máquina diferente, com uma configuração mais favorável ao Premiere.

      A maquina do autor do teste não estava mal configurada, ela apenas continha a configuração padrão da Apple. Eu creio que as conclusões do teste favorecem ao usuário que tem ou pretende adquirir esse tipo de máquina, uma vez que ele passa a estar informado de qual programa rende mais com o equipamento em questão.

      Agora, se a maquina usada para o teste é a melhor para editar com esse ou aquele programa, ou se um usuário escolhe a sua máquina porque o design é cool ou por qualquer outro motivo, e tem dinheiro pra isso, já são outros quinhentos. E lembre que o teste foi feito por um estrangeiro residindo no exterior, onde os preços dos iMac são bem mais acessíveis do que no Brasil.

      O que fica de positivo do post é o seguinte: o FCPX roda muito bem nas máquinas atuais da Apple, em certos casos, até melhor que outros programas, como foi o caso. É sabido que o Premiere melhorou muito nas ultimas versões e roda bem com certas placas gráficas, mas esse não foi o assunto do post, que nem de longe questiona isso.

  3. João, parabéns pelo site é excelente; embora eu também goste muito da apple, não posso deixar de ratificar que a máquina embora padrão do fabricante, é sim mal configurada para esta função específica de edição, tanto que os novos equipamentos com placas Nvidia tem como objetivo compensar este problema, o que vai dar a oportunidade aos usuários de extrair o máximo do equipamento usando o melhor sistema operacional (apple) aliado ao programa que na atualidade é o mais veloz para edição, o Premiere. Vamos aguardar os novos testes. Um abraço !

    • George, obrigado por apreciar o Videoguru. Está claro para mim também que o iMac usado no teste não é a melhor máquina para edição nos dias de hoje. Mas o que o teste mostra é que ela rodou melhor com FCPX do que com o Premiere, que, também sabemos, é muito rápido em outras configurações mais favoráveis a ele, talvez até o mais rápidos de todos (embora eu nunca tenha lido nada realmente conclusivo nesse sentido).

      E pelo que tenho lido de testemunhos, com FCPX, os iMac, mesmo os que não estão no topo de linha, são viáveis para editar, sim, dentro de um certo nível de performance suficiente para muitas aplicações e tipos de trabalhos profissionais. Mas concordo com você que a Apple está nos devendo máquinas mais rápidas para substituir a linha Mac Pro, e ela já anunciou que está providenciando isso.

      Apenas quando essa nova geração de máquinas vier, é que poderemos comparar de igual pra igual, ambos os programas. Talvez, hoje, isso até seja possível, mas num Hackintosh super configurado. Agora, é claro que velocidade é muito importante, mas não é o único critério para escolher uma ferramenta de edição.

      De minha parte, fico feliz em ver que a nova versão do FCP é bem eficiente em termos de performance nas máquinas Apple atuais. No entanto, assim como muitos outros, espero sinceramente que o hardware da Apple continue evoluindo cada vez mais para rodar bem todas as ferramentas de edição naquele que, como você mesmo diz, é o melhor sistema operacional que existe atualmente.

      Dessa maneira, independente do programa adotado, todos ficarão felizes com suas ferramentas de trabalho.

      Eu, por exemplo, hoje em dia, edito com o FCPX num MacBook Pro de última geração com um monitor Apple 27″, um disk array e um dispositivo de E/S da Aja, todos baseados na porta Thunderbolt. E posso lhe dizer que estou bem satisfeito. Por isso, nem sei se vou querer ou sentir necessidade de partir para o sucessor do MacPro. Essa função híbrida portátil-mesa me agrada bastante.

      Fora isso, quero esclarecer que nós, do Videoguru, preferimos e abordamos mais o FCPX do que outros programas, mas consideramos tanto o Premiere como o Avid Media Composer boas alternativas para edição em nível profissional no Macintosh. No mais, obrigado mais uma vez por prestigiar o blog como leitor e também pela sua preciosa participação nos comentários.

Deixa seu comentário

GALERIA

1 5186

A interação entre ação viva e animação tem sido explorada ao longo da história do cinema, com muitos exemplos dos estúdios Disney e o inesquecível "Uma Cilada para Roger Rabbit", dirigido por Robert Zemeckis. O resultado, em geral, é estimulante. Pensando bem, a idéia...
8 5658

Esse vídeo fantástico, feito na Rússia para o lançamento de um projeto imobiliário, foge totalmente dos padrões tradicionais e utiliza a fantasia, com imagens incríveis, no lugar do uso tradicional de plantas e animações dos prédios em computação gráfica....
1 6313

Há algum tempo, publicamos um post com um vídeo do editor Piu Gomes, criado para responder a essa pergunta essencial para quem quer entender a linguagem audiovisual: o que é montagem? Também publicamos, há mais tempo ainda, outro post chamado...