Home Artigos Teoria Monitoração profissional para seu Mac Parte 2

Monitoração profissional para seu Mac Parte 2

Nesta segunda parte da série de artigos sobre monitoração profissional para seu Mac, discutiremos os diversos tipos de monitores disponíveis no mercado.

De nada adianta gastar uma fortuna no computador mais potente para edição de vídeo e finalização se um monitor não apropriado ao trabalho for utilizado. O monitor é o instrumento final de análise da imagem.

A primeira parte desta série abordou os monitores para o computador em si e a necessidade das placas de vídeo dedicadas para trabalho em cinema e televisão. Agora vamos falar dos monitores a serem ligados nestas placas.

Existem, hoje em dia, quatro tecnologias populares deste tipo de monitor: tubo (CRT), LCD, LED e plasma, sendo que uma quinta categoria vem surgindo que são os monitores OLED. Como estes ainda não estão sendo muito utilizados e seu preço ainda é proibitivo, não os discutiremos agora.

Os monitores de tubo de referência ainda são considerados os mais precisos em termos de fidelidade de cores e latitude. Principalmente para trabalhos de edição de vídeo e correção de cor.

Um bom monitor deste custava alguma dezenas de milhares de dólares, por ter circuitos especiais que garantem uma vizualização estável e uniforme. Eu disse custava, porque infelizmente eles não estão sendo mais vendidos novos.

Por esse motivo, os monitores de tubo de alta qualidade, como os Ikegami, Barco e Sony série BVM, passaram a valer uma fortuna no mercado internacional de usados. E, quem tem, geralmente não se desfaz deles.

Monitor CRT de Referência Grau 1 Ikegami com probe de auto-ajuste

A confiabilidade na imagem destes monitores é tão grande que ainda são frequentemente utilizados como referência final nas melhores ilhas de edição e finalização – quando, é claro, ainda apresentam funcionamento perfeito.

Mesmo os monitores SD (definição padrão) continuam sendo utilizados como referência final para correção de cor em projetos de alta definição, pois as cores são muito precisas.

Neste caso, funcionam lado a lado com monitores HD de outras tecnologias, que servem para visualizar os detalhes visuais a mais da imagem em alta definição e revelar defeitos como imperfeições em cenários, etc.

Os melhores monitores de tubo, considerados de referência, contam com dispositivos de auto-calibração que são posicionados no tubo e medem os parâmetros da imagem, sendo que o próprio monitor se ajusta para ficar no padrão.

Como os equipamentos em geral aqui no Brasil custam um absurdo devido as nossos exorbitantes impostos, raras são as ilhas que contam ou contavam com estes monitores de referência grau 1.

É muito mais frequente ver monitores de segunda linha, como os Sony série PVM. Estes são bons o suficiente para edição de vídeo sem correção sofisticadas de cores, mas não devem ser usados como referência de colorimetria.

Monitor CRT Sony série PVM

De qualquer forma, mesmo estes monitores de tubo de segunda linha geralmente são superiores aos monitores de computador para qualquer avaliação. Os monitores de tubo ainda têm uma vantagem única.

Como a imagem é entrelaçada, são capazes de apontar problemas como campos invertidos, que causam um batimento bem forte na imagem. Os monitores progressivos já não tem como apontar esse tipo de defeito.

Como já deu para perceber, obter um monitor de tubo hoje em dia é muito difícil. Mesmo usado, deve ser adquirido de uma empresa ou indivíduo que garanta que este esteja em perfeito estado.

Afinal, os componentes eletrônicos se desgastam com o uso e devem ser substituídos por um técnico qualificado se o monitor não estiver mais dentro dos padrões de fábrica.

Os monitores LCD são os mais populares. Infelizmente também são, em sua maioria, os piores. É muito comum, por uma questão de custo, que se utilizem TVs normais de LCD como monitores de vídeo.

Novamente, quando ligadas a uma placa de vídeo como as descritas na primeira parte deste artigo, essas TVs geralmente representam uma imagem mais fiel do que os monitores de computador, principalmente se o material editado será exibido na TV.

É muito importante lembrar que, embora TVs de LCD, LED e plasma possam ser ligadas diretamente às placas gráficas dos computadores, a precisão das cores sofre nesse processo.

Daí reforço a importância de uma placa de vídeo dedicada como as da Blackmagic ou as da AJA, mesmo que se utiliza os conectores HDMI tão comuns nestas TVs.

Agora vamos falar um pouco dos problemas da tecnologia LCD. Essa sigla significa Liquid Crystal Display, ou seja, Display de Cristal Líquido. Consiste em um painel muito fino de cristal líquido iluminado por trás, já que este não emite luz própria.

A iluminação é geralmente feita por uma ou duas pequenas lâmpadas fluorescentes, assim como as usadas em escritórios só que muito mais finas e menores, cuja luz é distribuída pala tela inteira através de espelhos.

Por causa deste sistema, a iluminação dos monitores LCD não é uniforme, sendo que há certas parte das telas com luminosidade maior do que outras. Isso pode atrapalhar muito o julgamento, dependendo do monitor, principalmente em trabalhos de correção de cor.

Por causa desse sistema de iluminação por espelhos, a luminosidade também é alterada de acordo com o ângulo de visão em relação ao monitor. Você já deve ter reparado que movendo-se para cima ou para baixo e para os lados as telas de LCD clareiam ou escurecem e as cores mudam um pouco.

Monitor LCD Sony LMD2451TD

Para piorar este efeito, existem tipos diferentes de painéis LCD. Os mais baratos possuem ângulos de visão extremamente limitados, tanto que só apresentam imagem uniforme se forem visualizados em um eixo perfeitamente central.

Os painéis de LCD de tecnologia mais sofisticada, consequentemente mais caros, possibilitam ângulos de visão mais extremos. Mas sempre sofrem um pouco com diferenças de nível de luz e mudanças na tonalidade geral das cores.

Outro defeito da tecnologia LCD é que, pela necessidade do painel ser iluminado por trás, existem frequentes vazamentos de luz nas bordas e raramente se consegue obter pretos fiéis e plenos.

Nos piores exemplares, o que se consegue é um cinza escuro – o que é péssimo para trabalhos de correção de cor. Nos monitores mais caros, consegue-se pretos melhores mas, mesmo assim, não tão bons como nos painéis de plasma ou tubos CRT.

Para mascarar esse problema, muitos fabricantes de TVs LCD alteram a curva de luminância para dar a impressão de pretos mais intensos. Mas isso esconde boa parte dos cinzas mais escuros, novamente prejudicando em muito o processo de correção de cor.

A tecnologia LCD para monitores profissionais nunca conseguiu alcançar a perfeição. Os melhore monitores precisam de muitos recursos só para corrigir as falhas da tecnologia em si, por isso são caríssimos – chegando a custar dezenas de milhares de dólares.

Mesmo assim, não conseguem se igualar aos das outras tecnologias. Monitores de referência de LCD como os da Flanders Scientific e os mais em conta da Panasonic são bastante utilizados, mas não apresentam a solução ideal para trabalhos de correção de cor mais sofisticados.

Monitor profissional LCD Flanders Scientific de 17″

Finalmente, quando os tubos envelhecem, manchas surgem na tela, equivalentes às que surgem nas extremidades de tubos fluorescentes comuns.

No entanto, conhecendo e trabalhando dentro de seus limites, pode-se obter um resultado final bem satisfatório com bons monitores LCD.

A tecnologia de LED é basicamente a mesma do LCD, pois utiliza-se os mesmos painéis. o que muda é a iluminação. No lugar dos pequenos tubos fluorescentes, usa-se uma ou mais fileiras de LEDs para iluminar o painel.

Na melhor das hipóteses, várias fileiras são distribuídas uniformemente pela parte traseira do monitor, eliminando o uso de espelhos. Esses são os monitores ou TVs de espessura menor.

Quando utiliza-se mais LEDs, melhor distribuídos pela tela, obtém-se uma luminosidade bem mais uniforme que nos monitores LCD. No entanto, a tecnologia LED apresenta dois problemas.

O primeiro é que cada LED age como uma pequena lâmpada – um ponto forte de luz. Isso pode fazer com que certos monitores sofram de luminosidade variada entre um LED e outro.

Monitor profissional LED Datavideo de 17″

O outro problema é que os LEDs emitem luz com falhas de uniformidade, apresentando picos em certas frequências de cor. Ou seja, a cor pode ficar menos precisa do que nos monitores de LCD.

Quando o projeto é muito bem feito, monitores LED sofrem menos destes picos. Mesmo assim, há uma divisão de preferências, sendo que grande parte dos coloristas prefere LCD do que LED.

Outra vantagem da tecnologia LED é a durabilidade muito maior, pois os LEDs têm uma vida útil bem mais longa que os tubos fluorescentes. Além disso, os tubos escurecem com o uso enquanto que os LEDs mantém praticamente a mesma intensidade.

Das tecnologias de painéis finos, a melhor é a de plasma. É essa tecnologia a que mais se aproxima das características dos tubos CRT. Como cada ponto do painel gera sua própria luz através de minúsculas explosões, consegue-se obter pretos excelentes.

A uniformidade da luminância em geral, assim como a parte de gamma, fazem com que os monitores de plasma sejam excelentes para trabalhos de correção de cor e color grading.

Além disso, suas cores também são extremamente precisas e naturais. Comparados, os painéis de LCD e LED apresentam cores demasiadamente saturadas.

Essa saturação artificial pode ser boa para vender TVs em grandes lojas, pois chama a atenção dos consumidores leigos. Mas não ajuda em nada nas sessões de marcação de luz e grading.

É por isso que muitas casas de finalização, principalmente nos EUA e Europa, vêm utilizando cada vez mais painéis de plasma em suas ilhas de correção de cor. Devidamente calibrados, eles representam o que há de melhor, atualmente, em termos de precisão de imagem.

Monitor de plasma Panasonic série profissional

É interessante mencionar que a tecnologia de painéis de plasma nem sempre foi tão boa. As primeiras gerações apresentavam problemas de cor porque as micro-explosões eram magenta e o sistema de correção de cor interno era primário.

Além disso, a tecnologia de plasma apresenta o famoso burn-in, ou retenção de imagem. Se você deixa na tela, durante muito tempo, uma imagem muito contrastada, esta fica marcada no painel, como um fantasma.

Esse problema ocorre com frequência muito menor em monitores de tubo CRT. É preciso que a imagem seja extremamente contrastada e fique exposta, imutável, por muito tempo.

Só que, no caso do CRT, quando o burn-in ocorre é frequentemente permanente. No caso do plasma, basta alguns minutos ou, em casos extremos, horas, com a tela exibindo uma imagem 100% branda, uniforme, de alta luminância, para que o fantasma desapareça.

Com o passar do tempo, inúmeras gerações de painéis de plasma foram sendo desenvolvidas e os problemas de cor foram totalmente eliminados, tornando o painel de plasma perfeito neste sentido.

Quanto ao burn-in, foi muito minimizado, praticamente eliminado. Mesmo assim, não é aconselhável deixar uma imagem contrastada parada na tela durante muito tempo.

A tecnologia por trás de um painel de plasma

A Panasonic praticamente domina o mercado dos monitores de plasma profissionais. Só que, para nossa alegria, suas TVs/monitores domésticos topo de linha herdaram os mesmos circuitos e precisão dos modelos Pro.

E com uma vantagem: os modelos Pro, por causa da baixa demanda, são atualizados com menos frequência que os modelos domésticos. Daí ser frequente encontrar um modelo doméstico top atual com características técnicas superiores aos de um  modelo Pro, que pode contar com tecnologia de um ou dois anos antes.

No caso de investir nestas TVs de plasma domésticas, invista somente nos modelos mais caros, pois os mais baratos economizam nos circuitos e, consequentemente, mostram imagens menos precisas.

Evite também outras marcas de monitores de plasma. A Pioneer e a Panasonic são as únicas utilizadas em ilhas de finalização de alto padrão porque são as únicas que apresentam modelos de alta precisão de imagem.

Antes de terminar, gostaria de mencionar que existe uma grande expectativa quanto à qualidade dos painéis OLED para uso em monitores profissionais. Mas ainda falta um pouco para termos uma idéia real de sua praticidade, no dia-a-dia, a longo prazo.

No próximo capítulo desta série, explicaremos como ajustar seu monitor para obter uma imagem padrão.

Gostou do artigo ?

Inscreva-se em nossa Newsletter para receber as atualizações do VideoGuru.

Artigos relacionados
0 3088

Que tal ter uma espécie de aula magna sobre cinema, edição e documentário com Walter Murch, o autor de Num Piscar de Olhos? Pois é do que você vai poder desfrutar nesse post. Mesmo lamentando o fato de não haver...
0 2229

As aplicações de design gráfico para cinema e TV foram fundamentais para a evolução do motion graphics, sobretudo pela necessidade inerente de inclusão da tipografia escrita nos projetos, interagindo com as imagens. Obviamente, desde o cinema mudo,...
96 comentários Nesse post
  1. Amigo Paulo, mas uma ajuda: com 500 dolares nos USA, qual monitor razoavel de 18 a 20 polegadas “razoavel”eu compro para o meu mac pro?
    obrigado
    clovis

    • Olá Clovis,

      Infelizmente US$500 não compram muita coisa em termo de monitores profissionais. Nessa faixa de preço a única sugestão que me vem à cabeça é o Dell Ultrasharp U2410, que custa uns US$550 nos EUA.

  2. E quanto ao uso de monitores mais simples? Sempre fico na dúvida se minhas cores estão corretas. Como posso fazer para torna-los mais fiéis? Acho que seria um artigo interessante.

    • Tiago,
      Infelizmente não existem milagres. Um bom monitor necessita de circuitos bem projetados, componentes de alta qualidade, painéis de primeira linha, fontes de alimentação estáveis, calibragem elaborada na fábrica, etc…
      É por isso que os monitores mais precisos custam caro. Mas existem algumas “jóias” que surgem no mercado de vez em quando. Os monitores Dell da série UltraSharp, por exemplo, são geralmente muito bons, com alguns modelos se destacando como excelentes, e com preços bem razoáveis. São monitores mais para computadores, embora alguns também aceitem sinais de vídeo. Mas você precisa encomendá-los diretamente pela Dell, que os importa dos Estados Unidos. O preço, pela qualidade oferecida, é realmente fantástico. O Cinema Display de 30″ da Apple também era um monitor muito bom, apesar de ser bem carinho aqui no Brasil. Infelizmente saiu de linha.
      Já nos monitores para computadores mais fáceis de achar em qualquer loja de informática, creio que os da Samsung estejam entre os que apresentam melhor fidelidade de cores quando corretamente ajustados. São monitores baratos, que não reproduzem uma gama de cores tão ampla quanto os modelos mais sofisticados, mas servem perfeitamente para trabalhos mais simples destinados à internet e até mesmo para fotografia sem grandes exigências de qualidade como, por exemplo, fotos de moda ou de publicidade.
      O que você pode fazer para garantir que seu monitor atual, ou o melhor que couber em seu orçamento, produza um resultado otimizado é calibrá-lo utilizando um colorímetro e o software apropriado. Colorímetros, assim como monitores, variam de modelos muito baratos até aqueles que custam milhares de dólares. Mas um colorímetro simples como o Spyder4 da Datacolor, que custa cerca de US$120 na B&H, já vem com um software bem decente e com certeza lhe garantirá resultados muito melhores do que nenhuma calibragem.
      Portanto, se desejar obter a melhor qualidade possível de um monitor mais barato, pelo menos invista em um instrumento desses ou pague um profissional para que ele calibre seu monitor.
      Se você deseja um monitor para vídeo mais preciso dentro de seu orçamento, qualquer um pode ser melhorado (dentro de suas capacidades e limites, é claro) com uma calibragem feita com um DVD de calibragem como o Avia. Esses DVDs são importados, mas valem muito a pena para quem deseja tornar a imagem de sua TV/monitor mais neutra. Os ajustes básicos podem ser feitos por qualquer um, mas os ajustes mais sofisticados podem exigir acesso ao menu de serviço de seu aparelho, que fica escondido, mas pode ser encontrado na internet. Mas aconselho não mexer nele sem saber o que está fazendo e, se resolver arriscar, que anote o ajuste de cada parâmetro antes de mudá-lo para poder voltar atrás caso piore alguma coisa.
      Novamente, existem raros profissionais qualificados que podem calibrar corretamente sua TV/Monitor. Procure por um em sua cidade.
      Finalmente, volto a afirmar que não existem milagres. Não espere que um monitor comum de computador comprado nas Casas Bahia sirva como referência para color grading para projetos para cinema ou TV, pois simplesmente não rola. O trabalho de colorista profissional absolutamente exige monitores precisos e caros. Não tem saída. Não tem compromissos. Senão você acha que está melhorando uma imagem quando, na verdade, está causando é maiores danos. Canso de ver isso acontecer. Mas se seus clientes consistem de pessoas normais que vão assistir seus vídeos em TVs normais, uma TV bem projetada, bem calibrada, pode servir tranquilamente como uma referência básica. Desde que consiga exibir, pelo menos, cores fiéis e uma gama uniforme de tons de cinza – coisa que o tal DVD Avia irá mostrar para você se acontece.

  3. Como um grande guru, Paulo, você poderia me indicar da serie de monitores profissionas da Panasonic, quais os melhores para colorgrade na faixa de 5 a 10mil, estamos montando na produtora um departamento só de DI, com SMOKE (esse para substituir de vez o Final, estavamos em dúvida entre smoke e avid, essa já foi sanada) e Scratch, na linha de placas o que você poderia indicar entre Aja e Blackmagic?

    PS:. Só cabe salientar que voc6e tem sido o grande guro pra minha carreira profissional, a muito tempo acesso diariamente seu site, sempre em busca de novidades e preciosas dicas que você sempre tem pra da.

    Obrigado!

    • Cristian,

      Tanto o Smoke quanto o Scratch são ótimas escolhas. O Scratch fica limitado à AJA, pois não funciona com as Blackmagic. Quanto às placas gráficas, as nVidia são as mais recomendadas porque o Scratch usa aceleração CUDA. As GeForce GTX 570 oferecem um excelente desempenho a um custo razoável. São 100% compatíveis com o Mountain Lion, mesmo os modelos para PC. O Smoke 2013 não usa CUDA ainda, mas utiliza aceleração Open GL, que também é muito boa nessas placas. A única coisa que você deve tomar cuidado é em comprar uma placa do tipo referência, sem overclocking de fábrica. Senão pode ter problemas de compatibilidade.

      Você vai precisar de pelo menos dois monitores – o(s) do display do computador em si e o de referência para correção de cor. O modelo profissional de plasma da Panasonic mais usado lá fora é o H-42BT300U de 42″ HD. Ele está na faixa de aproximadamente US$ 3.000,00 nos EUA. Os monitores de plasma são, no momento, os que mais se aproximam dos de tubo e trabalhar com eles é realmente uma maravilha. A boa notícia, porém, é que a série mais sofisticada dos monitores domésticos de Plasma da Panasonic também está sendo usada pelos profissionais lá fora pois tem praticamente os mesmos circuitos da linha profissional, com a mesma fidelidade de cor, mas com painéis ainda mais avançados já que a linha profissional demora um pouco mais para ser atualizada. O modelo doméstico TX-P42GT50 é, inclusive, considerado por muitos como superior ao modelo profissional, quando calibrado no modo THX. E o preço ainda acaba saindo um pouco mais barato.

      Quanto ao(s) monitor(es) para o computador, para o nível de trabalho para o qual vocês estão se equipando, eu recomendo o Dell Ultrasharp U2410, que é importado diretamente pela Dell do Brasil a um custo de aproximadamente R$ 1.600,00. É importante ter um monitor desses para display porque as cores dele também são muito fiéis e podem ser regulados para ficarem muitíssimo parecidos com os monitores de referência da Panasonic. Além de facilitar o seu trabalho, pois a tela do computador também terá cores fiéis, você evita o constrangimento muito comum de ter que explicar para seus clientes porque os monitores apresentam imagens totalmente diferentes um do outro e para qual deles eles devem olhar para ver o resultado real do trabalho.

      • Paulo,

        Você é de fato nosso guru, você não só responde as perguntas como da uma aula abragente. Só uma pergunta, o Dell Ultrasharp U2410 é superior ao Apple Cinema Display, porque já possuimos alguns aqui na produtora, pensei em utilizar eles nessa infra, o que você acha?

        PS:. Como monitores de trabalho.

        • Paulo,

          Só mais uma perguntinha, hhehehehe, eu sei que vamos falar de investimento auto, mais monitores como esses Dell, Hp, NEc, até mesmo Apple se comparam aos Eizo?

          • Os Eizo FlexScan e ColorEdge são superiores, mas estão em outra faixa de preço. Já a linha FORIS da Eizo, não, pois tratam-se de monitores de uso doméstico. Aliás, eis um bom exemplo da tal taxa de contraste dinâmico. O Eizo ColorEdge CG275W, que é um monitor profissional fantástico, tem uma taxa de contraste real de 850:1.

        • Cristian, o U2410 é superior aos Cinema Displays, sim. Mas, dependendo do modelo dos monitores da Apple, a diferença prática para uso como monitores de trabalho é pequena porque um Cinema Display, quando bem calibrado, pode ser muito bom. Se vocês já têm os Cinema Displays e vão comprar os Panasonic Plasma, não há necessidade de comprar os Dell.

          • Grande Guru Paulo,

            Resumidamente você pode me dizer o que dessa linha de telas da panasonic TC-P50UT50B em relação as TX-P42GT50 e H-42BT300U.

            Estou precisando urgentimente do teu aval quanto a isso, porque essa linha TC existe no Brasil, as restantes só la fora, e estamos tendo dificuldades para trazer.

          • Cristian, a linha UT é uma linha mais simples (a mas básica da Panasonic no exterior) e não está entre os modelos preferidos pelos coloristas. As linhas VT e GT são as mais recomendadas. Aqui no Brasil, se você procurar bastante, ainda pode encontrar a GT30. A VT de 42″ já é muito mais difícil de achar. Só tenho encontrado as maiores, pois a Panasonic removeu a linha intermediária de nosso mercado. No entanto, a linha UT já é superior a qualquer TV de LED ou LCD e até a muitos monitores profissionais com essas tecnologias. Você só não vai ter as funções mais avançadas de calibragem e ela não vem tão precisa de fábrica, além de ter um painel mais antigo. Mas, com um bom calibrador, é possível que você obtenha resultados satisfatórios. Outra opção seria comprar uma GT30 com pouco uso. Painéis de plasma tem excelente durabilidade e costuma se manter uniformes com o tempo.

    • Grande Paulo,

      Sempre ajudando com tanto comnhecimento.
      Prometo não lhe encher mais, só me tire essa dúvida, tenho essas duas opções para o momento:

      VIERA – TC-P55VT50B
      http://www.panasonic.com.br/produto/Audio_e_Video/TV/Plasma_3D_TV_Viera/TC-P55VT50B.aspx

      VIERA – TC-P65VT50B
      http://www.panasonic.com.br/produto/Audio_e_Video/TV/Plasma_3D_TV_Viera/TC-P65VT50B.aspx

      É o que temos condição e a disposição no momento, posteriormente em breve creio eu partiriamos para uma Panasonic TH-42BT300U 42″ HD Professional Plasma Display.

      Só gostaria do seu aval final se possível.

      Grande abraço!

      • Cristian, excelente escolha a linha VT. Você vai ficar muito satisfeito e nem creio que valha a pena depois passar para o BT300U. O painel da VT é até mais moderno. A VT já vem muito bem calibrada de fábrica no modo THX, e é a partir daí que você poderá fazer a calibragem fina com todos os ajustes disponíveis. Se possível, invista em um colorímetro como o X-Rite i1 Display Pro. Ele custa US$ 250 e é muito preciso.

        Para uma distância normal em uma ilha de finalização, eu acho o tamanho 42″ ideal. Para um monitor de 55″ você deverá ficar com a mesa de trabalho um pouco mais afastada da parede onde o monitor for colocado. O ideal é que você consiga ter uma visão geral da imagem completa e, ao mesmo tempo, possa se concentrar em detalhes. Isso deve dar aproximadamente uns 2 metros da sua cadeira até o monitor. Mas isso vai depender um pouco também da sua preferência pessoal. Só resista a tentação de ficar muito mais perto. Uma distância de 1,30m da cadeira ao monitor já seria curta demais.

        Eu desaconselho o de 65″, a não ser que sua ilha seja realmente ampla e você se sente bem afastado da parede. Além do 55″ ser mais prático, ainda sai mais barato.

        Depois escreva dando suas impressões sobre o monitor. Abraço.

        • Oi Paulo tudo bem?

          Então gostaria de compartilhar contigo que acabou de chegar a nossa tela hoje, compramos mesmo a VT 50, tenho umas dúvidas.

          Minhas dúvidas são essas:

          Nosso wokflow será esse:

          MACPRO COM PLACA AJA KONA 3G(MEU SONHO SERIA UMA BlueFish444 Epoch Ultra Video Card) + PLACA DE VÍDEO nVIDIA Quadro K5000 + 2 CINE DISPLAY APPLE + TELA DE PLASMA PANASONIC TC-P55VT50B.

          A DÚVIDA CONSISTE NO SEGUINTE, EU TEREI UMA MONITORAÇÃO MAIS FIEL E PROFISSIONAL SAINDO DA AJA EM HDMI PARA A PANASONIC OU EM SDI?

          SE EU SAIR SDI DA AJA A PANASONIC SÓ TEM CONEXÃO COMPONETE RCA FEMEA, É POSSÍVEL FAZER UM CABO DESSES OU PRECISAREI DE UM BREAKOUT BOXES PARA CONVERTER OU ALGO DO GENERO.

          MINHA MAIOR DÚVIDA CONSITE MESMO É NO QUE DIZ RESPEITO A INTERLIGAÇÃO DESSES NOVO WORKFLOW, PO ESTAC A COSTUMADO A RESOLVER TUDO PELA TELA DO CINE DISPLAY E DAR SAIDA EM BETA COM MONITORAÇÃ EM UM PVM-14M4U, AGORA ESTOU TENTANDO ME ADPATAR A UM NOVO ESPAÇO.

          NOSSOS MATERIAS HOJE SE DIVIEM EM PRODUÇÕES DE 5D, EPIC E SCARLET, ESSA É NOSSA REALIDADE HOJE.

          SE VOCÊ PUDER ME AJUDAR, FICAREI ETERNAMENTE GRATO.

          PS:. PODES ME INDICAR ALGUMA EMPRESA AI EM SP QUE FAÇA CABOS DE QUALIDADE.

          GRANDE ABRAÇO!

          • Cristian, antes de uma resposta mais completa, você pretende usar o DaVinci Resolve?

          • Cara isso ainda não esta bem definido, mais estamos pendendo para Smoke e Scratch, essas são as possíveis possibilidades.

            Muito obrigado!

          • Olá Cristian. Te perguntei porque se voc6e fosse trabalhar com o Resolve, precisaria de uma placa da Blackmagic. Mas a AJA é a indicada para o Smoke e o Scratch.

            Você deve ligar a saída da AJA em HDMI diretamente no monitor Panasonic. O sinal digital que você vai usar é praticamente igual em SDI ou HDMI, portanto não precisa se preocupar. E a ligação digital é bem melhor que a analógica. Basta comprar um bom cabo HDMI, que você encontra em lojas de eletrônicos, principalmente as que vendem componentes para sistemas de home theater mais sofisticados. Pode ser um cabo do tipo 1.3.

            De resto, recomendo que você chame um profissional para calibrar seu novo painel. Ou então compre um bom calibrador. O i1 Display Pro da X-Rite está sendo muito usado por coloristas. Ele está um passo à frente dos concorrentes em sua faixa de preço (US$250). Eu tenho um e ele é realmente fantástico.

  4. Boa noite Paulo! Pesquisando sobre o Dell Ultrasharp U2410 percebi que ele tem uma taxa de contraste dinâmico de 80.000:1. Constantemente vejo monitores lg, aoc, samsung com taxas muito superiores as do modelo Dell. Não saberia te dizer porque mas desconfio que essa diferença não quer dizer superioridade.Estou certo? Parabéns a todos que mantém o VideoGuru, ABRS!

    • Marcos, com certeza não significa superioridade. Não há comparação entre os monitores que você mencionou e o Dell. Aliás, o tal contraste dinâmico é um dos números mais utilizados na guerra do marketing, chegando a ser insignificante hoje em dia. É praticamente como os watts de pico em amplificadores de som. Esse Dell, em particular, tem uma latitude de cores que ultrapassa a do patrão NTSC, enquanto que a grande maioria dos monitores só alcança os 70%. Ele é um modelo profissional, desenvolvido para quem trabalha com imagens. Se você não desejar gastar alguns milhares de dólares para obter uma qualidade um pouco melhor em monitores LCD para computador, os únicos monitores que ficam na mesma categoria do Dell são o HP ZR24w e o NEC EA241WM. Mas esses são bem mais difíceis de encontrar por aqui.

  5. olá! estou ansioso para a “parte 3” do post. quando colocarão no site? grande abraço e parabéns pelo site. Sugestão: insiram a função RSS Feeds no site para ganhar mais seguidores ainda.

    • Obrigado pela sugestão, Clayton. Vamos conversar com a pessoa responsável pela parte técnica do site. Quanto à parte 3, sairá em breve. É que a matéria depende de uma certa produção.

  6. Já li as duas partes 3 vezes no mínimo,
    Uso o Resolve, e um cinema display onde trabalho.

    Vou pegar o Dell 2410 pra fazer algumas coisas em casa.

    Realmente melhor opção? mais pra frente pego aquela plaquinha da black magic, ai acredito mehorar o nivel.

    Ainda tenho dificuldades em calibrar corretamente, sem equipamento.

    Tem algum material para passar? vou atraz do dvd que voce citou, Paulo.

    Obrigado Ate mais…

    • Erick, aqui no Brasil – ainda mais pelo custo benefício – o Dell 2410 é mesmo a melhor opção. Em breve publicaremos a terceira parte do artigo, onde daremos dicas de calibradores acessíveis e outras técnicas para se chegar a uma imagem confiável.

  7. Passei por aqui e dei uma lida no artigo. Muito bom inclusive! Dá uma explicada legal sobre os monitores profissionais, mas na linha voltada para monitoração. Seria legal falarem um pouco dos LFD também! Abraços.

    • Os LFDs não têm muito a ver com o tipo de aplicação que discutimos, que é o da pós-producão digital.

  8. Bom dia Paulo! Eu me interessei em compra um dell 2410 mas no site da del aqui no brasil só tem esses dois modelos:
    DELL
    Monitor LED de 24 polegadas UltraSharp U2412M da Dell com ajuste de altura.

    DELL
    Monitor Dell UltraSharp de 24 polegadas Widescreen com Premier Color U2413

    Será que é um modelo mais avançado? O outro modelo deixou de existir? Gostaria de uma ajuda, pra saber se Qualquer um dos dois pode substituir o 2410. Já agradeço!

    • Pois é, o 2410 saiu de linha. O substituto é o 2413. O 2412 não tem os mesmos recursos.

  9. Boa noite Paulo, seus posts tem sido muito importantes para algumas tomadas de decisão aqui na produtora que trabalho. Temos algumas dúvidas e gostariamos da sua opinião.

    Estamos montando uma ilha dedicada para a finalização dos trabalhos por aqui. Iremos usar principalmente Premiere, After, Davinci, e Cinema 4D(muito pouco). A primeira dúvida é se investimos em um mac ou em ou Pc. Vale a pena investir em um mac, mesmo que as outras 4 ilhas sejam pcs?
    Para haver mais integração entre as ilhas, estavamos pensando em pegar um pc mesmo, o que acha?
    Preciso de placas especificas para monitoração, placa de vídeo? Se formos pegar um pc mesmo, pretendemos pegar as peças dos USA e montarmos aqui. Vimos essa configuração aqui, veja o que acha, se alteraria algo:

    http://firstplace.com.br/loja/computador/core_i7_harvest

    A outra dúvida é quanto ao monitor de referencia, como o post é de 2012, gostaria de saber quais os modelos estão sendo usados hj em dia. Você teria dois modelos, um intermediario e um Top, para nos indicar e podermos avaliar de acordo com nosso orçamento ?

    Desde já agradeço.

    • O Resolve para o Mac tem algumas pequenas funções a mais que o para Windows, além de ter uma performance melhor. Outra vantagem do Mac é o uso nativo de ProRes, que é o padrão atual do mercado para masterização. Ligado em rede com PCs Windows, você não notará nenhuma diferença em relação a outro PC. E você passa a ter o melhor de dois mundos, com as duas plataformas.

      Quanto aos monitores, veja minha resposta anterior sobre o Samsung para uma opção boa e barata. Nos EUA você ainda consegue um plasma Panasonic, que é um pouco superior e maior. Se tem mais dinheiro para gastar, o Flanders Scientific (FSI) é uma excelente opção e já vem calibrado de fábrica. Só não recomendo o modelo de 17″ pois a tela é muito pequena e você não terá uma noção muito boa do nível de ruído, quantidade de grãos, pixel morto na câmera, pequenos defeitos na imagem, etc.

  10. Paulo, como o post é de 2012, você teria como indicar alguns modelos de monitores de referencia mais recentes que podem ser adiquiridos aqui no Brasil ?

    • Douglas, como quase tudo, está cada vez mais difícil adquirir monitores de referência no Brasil. Monitores para computador a linha Dell Ultrasharp continua sendo ótima. Mas para referência mesmo temos que importar equipamentos como os monitores da Flandres Scientific ou então os Sony OLED série PVM. Nada que saia por menos de 15 mil reais pra cima. Uma grande saída que tínhamos era usar algumas TVs de plasma da Panasonic que têm circuitos idênticos aos monitores profissionais do fabricante e são usadas em algumas das melhores casas de pós do mundo. Só que a Panasonic parou de vender TVs de 42 polegadas aqui já faz um tempo e agora parou de fabricar TVs de plasma de vez.
      Uma alternativa barata que descobri, mas que falta fazer uma análise mais completa, são as TVs Samsung 5203, de 32 polegadas. Segundo descobri lá fora, esse modelo bem calibrado fica perfeitamente dentro dos parâmetros REC.709 e seu processamento de imagem é 4:4:4. Inclusive tem ajustes de RGB acessíveis pelo usuário sem entrar no menu de serviço e funções de monitores profissionais para ajustes como Blue Only. À primeira vista, em modo cinema e com uma regulagem primária (além de ter todas as funções de ”melhororia” de imagem para consumidores desligadas), a imagem parece ser mesmo muito boa. O preço é bastante acessível (menos de R$ 1.500,00) e a única desvantagem é um ângulo de visão meio limitado. Mas como é um monitor pequeno, é para ser posicionado bem na frente do colorista/editor. E os PVM da Sony, que custam bem caro, sofrem do mesmo problema.

  11. Olá Paulo blz!
    Parabéns por ajudar a todos que estão com dúvidas e parabéns ao excelente Blog!
    Vida longa!
    O que acha dessa TV de Plasma: Panasonic VIERA – TH-42PV80LB,
    Está dentro das características que citou para suporte a correção e granding?
    Quero efetuar a compra de um desses para fazer correções e granding. Em um “ranking”, qual vc sugere e qual a hierarquia?

    PLASMA Panasonic VIERA – TH-42PV80LB
    Dell UltraSharp U2413 24″ LED
    Dell 23 Monitor | P2314H
    SAMSUNG UN32FH5203G (foi essa que vc citou nos posts?)
    LG LED LCD 23″ MODELO IPS234V

    E pra fechar, qual placa devo investir pra usar com o monitor. Poderia indicar uma que tb ajudasse na edição de vídeos. As vezes tenho problemas com renders, exports de material grande e edição em multiclip. Estou usando um MAC PRO 12 CORE DUAL 6 CORE XEON 2.66GHZ / 22GB RAM 1333 MHz DDR3 – ATI5770 1GB Capacity Graphic Card.
    Não entendo porque essa máquina em trabalhos com multiclipe e renders de mais de 1h as vezes “dá pau” . Existe placa para melhor isso e tb ajude a monitoração de cor?

    Agradeço a ajuda desde já!
    Abrs a toda equipe!!!

    • Olá Marcus,

      Esse modelo da Panasonic Plasma é um dos melhores para servir de monitor de referência pois não possui o circuito ABL, que prejudicou muito as TVs de plasma mais modernas. O ABL foi introduzido devido a pressões na Europa para alcançar uma meta de economia de energia nos aparelhos eletrônicos. O que acontece é que, em uma tela de plasma, quanto mais clara a imagem, maior o consumo. Portanto, se a tela fica toda branca com intensidade 100%, o consumo aumenta bastante. É por isso que esse modelo e outros mais antigos tinham diversos ventiladores para dissipar o calor gerado pelo consumo maior. Em compensação, com uma tela 100% preta o consumo é mínimo. Com a introdução do ABL, a imagem dá uma escurecida quando aparece uma imagem muito brilhante para diminuir o consumo. E isso, dependendo do modelo, pode confundir muito na hora da correção de cor, pois os brancos nunca ficam 100%. É por causa do ABL que as TVs de plasma mais modernas são mais finas e não têm ventiladores.
      Devido à globalização, todas as TVs de plasma modernas tem ABL. Mas a intensidade do circuito varia muito de modelo para modelo. E ele não pode ser desligado, nem através do menu de serviço.

      A TH-42PV80LB é, portanto, altamente desejada para ser utilizada como monitor de referência, quando devidamente calibrada. O problema é que ela não é fabricada já faz algum tempo e encontrar uma com poucas horas de uso é difícil. E comprar uma usada é como brincar de roleta russa. Se a sua está em boas condições, você terá um excelente monitor de referência. Por outro lado, esse modelo não tem o modo THX que outros modelos mais recentes têm. Então é um pouco mais complicado de calibrar. Aconselho que você contrate um calibrador profissional, pois o processo é trabalhoso e envolve o uso de um bom colorímetro, software específico e conhecimento do menu de serviço. Lembre-se que um monitor, por melhor que seja, se não estiver calibrado vai lhe dar uma idéia totalmente errada da imagem. Quando calibrada dentro do padrão REC.709, essa Panasonic é fantástica.

      Uma boa placa de vídeo para você usar com esse monitor é a Blackmagic Intensity Pro. Além de ser econômica, é suportada pelo DaVinci Resolve, Apple Color, Final Cut, etc.

      Quanto à performance, sua máquina parece estar bem configurada. Mas você pode melhorar muito o desempenho instalando uma placa gráfica GeForce GTX 770 de 2GB ou 4GB. Você vai ter que rodar o SO Mountain Lion, que tem suporte direto para essa placa. O Mavericks não é aconselhado pois apresenta uma série de problemas de estabilidade e não funciona bem com placas CUDA, no momento.

      Se sua máquina está um pouco instável, pode ser por causa das memórias. Os Mac Pros são muito sensíveis a elas. Você comprou memórias normais de PC? Se forem genéricas, elas podem apresentar problemas. O ideal é comprar memórias top, como as Corsair, ou então memórias ECC de marcas conhecidas como Kingston.

  12. Que maravilha Paulo, obrigado pela ajuda!

    O Panasonic eu achei com uma pessoa que não faz nem idéia do que é correção de cor. Ele quer vender pois não está mais usando. Me disse que tem uns 4 anos de uso. Depois do que você falou, acho um risco pelo tempo que o monitor já tem…Fico com receio de não atender mais, o que acha?

    Se eu não optar por nele, qual desses é a melhor escolha?
    Dell UltraSharp U2413 24″ LED
    Dell 23 Monitor | P2314H
    SAMSUNG UN32FH5203G (foi essa que vc citou nos posts?)
    LG LED LCD 23″ MODELO IPS234V

    PLACAS
    Sobre a placa então troco a ATI5770 1GB por essa GeForce GTX 770(qual marca?) e pego tb uma Blackmagic Intensity Pro. Essa Intensity servirá para qualquer um desses modelos de monitor pois tem HDMI, certo?

    MEMORIAS:
    A máquina veio com 6GB (6 pentes de 1G). Comprei mais dois de 8GB OWC DDR3 EEC.
    Será esse o problema de ficar instável?

    Mais uma vez muito obrigado pela atenção e paciência em responder a tantos questionamentos!!!
    Deus te abençoe, boa tarde!

    • Marcos, o Panasonic é, de longe, a melhor opção. Se estiver funcionando perfeitamente, não tem problema pois a duração do painel é grande e ele só estabiliza mesmo depois de algumas centenas de horas de uso quando novo. Ao contrário de monitores LCD e de tubo, a imagem não costuma degradar com o tempo. É importante ver se a tela não tem nenhuma imagem permanentemente marcada, se ele está ligando sem problema (o normal é a luz piscar algumas vezes e ele ligar) e se a imagem está boa. Normalmente esses Panasonics só dão defeito na fonte. Mas, se não deu até agora, é difícil que aconteça. Ainda mais se ele era usado diariamente em ambiente doméstico. De qualquer forma, existe uma boa oferta de fontes e componentes de reposição no mercado.

      Eu recomendo a MSI para a GTX 770. A Intensity Pro tem HDMI.

      Sua configuração de memória não é a ideal para esse modelo de Mac Pro. O ideal é usar memórias em 3 pares iguais. Por exemplo, 6 pentes de 4GB. A instabilidade pode estar vindo daí, sim.

      • Obrigado Mestre Paulo,
        pra fechar:
        Se eu não optar por ele, qual desses é a melhor escolha?
        Dell UltraSharp U2413 24″ LED
        Dell 23 Monitor | P2314H
        SAMSUNG UN32FH5203G (foi essa que vc citou nos posts?)
        LG LED LCD 23″ MODELO IPS234V

        Fico imensamente grato!!!!

        • Para usar como monitor de referência?
          Seria o Samsung, pois é o mais fiel ao padrão REC 709. Mas dá um certo trabalho para calibrar, pois ele vem muito ruim de fábrica. Porém, calibrado, ele fica bom. Além disso, o ângulo de visão é bem restrito. Se você não estiver sentado perfeitamente em frente a ele, a imagem altera um pouco.

          • Não quero ser chato mas esqueci de fazer uma pergunta fundamental…
            O DaVinci Resolve 10.1 funciona com a Intensity Pro?
            Muito obrigado pelas dicas Paulo!

          • Obrigado Paulo, já vou começar a fazer esses ups, ABRS e vida longa ao VideoGuru!!!!

      • Outra coisa Paulo, que MSI GTX 770 recomenda? Fico na dúvida de qual modelo é compatível com o MAC. Sobretudo os drives, os pinos de força da placa a energia… Conhece modelos que já foram testadas? Grande abraço!

  13. Oi Paulo! Já estou com o monitor e a Intensity Pro. Andei lendo as mensagens desse link que me passou e fiquei com uma dúvida: Na minha máquina tenho instalado num slot uma placa FASTA-6GU3 2 Port USB 3.0 & eSATA 6Gb/s Host Adapter, vou instalar a Intensity Pro e agora fico pensando se eu pegar a GTX 770 de 2GB para outro slot, haverá problemas com a energia??? Tenho o costume de usar todos os HDs internos e externos via e-sata e ou USB 3.0. Não sei exatamente qual o consumo dos HDs mas penso se tenho os slots sendo usados eu não deveria utilizar os HDs externos e com isso as placas funcionariam sem problemas? Agradeço imensamente a ajuda. Ainda não fui na GTX por conta disso…Abrs!

    • Não creio que haja problema ligar tudo. A Intensity não consome muito. E a GTX 770 não é das piores.

      • Obrigado Paulo, vou tentar adquirir essa 770. A Intensity chegou hoje. Instalei os drives mais recentes, baixei no site da Blackmagic. Não estou conseguindo ter preview… Testei o cabo e ele funciona perfeitamente… A placa já é reconhecida pelo FCP7 e DaVinci, fiz a setagem de acordo com a timiline e nada ainda…. Estou pesquisando na web pra ver se cometi algum erro na setagem dentro dos softwares. Tem mais alguma dica, rsrsrs!!! Valeu!

        • Marcos, no Final Cut você tem que habilitar a monitoração no menu View > External Video > All Frames. Depois, ainda no menu View, selecione Video Playback e a opção da Blackmagic que corresponder exatamente às setagens da sua sequência. Por exemplo, se o vídeo for 1080p 29.97 FPS selecione Blackmagic HD 1080i 59.94.

          No DaVinci você tem que ir no menu DaVinci Resolve > Preferences e selecionar Video I/O e GPU. Selecione Intensity Pro e clique em Save. Feche o programa e inicie ele de novo para a saída da placa funcionar.

          • Bom dia Paulo! Eu já tinha setado assim, fiz outros testes mas ainda não tenho o sinal.
            Acredito agora em duas possibilidades: A primeira é que alguma coisa nas preferências da placa não está certo. Deixei assim:
            Set output: HDMI & Componente
            Set input: HDMI Video & HDMI Audio
            Use video setup in NTSC: At 7.5 IRE for use in the USA
            Set default video standart as: NTSC
            Select output processing: off
            Select input processing: off
            Tb modifiquei alguns parâmetros mas não tive sucesso.

            E a outra possibilidade que acredito é algum problema na placa, entretanto ela está instalada, vejo sua preferências, drives atualizados e ainda aparece nas opções de view do FCO e DaVinci.

            O que acha que pode estar acontecendo? Abrs e obrigado!

          • Marcos, se a placa está aparecendo nos dois programas eu suspeito outras coisas. Primeiro o cabo HDMI. Embora ele esteja funcionando com outros aparelhos, pode ser que não se encaixe nos requerimentos da placa. Experimente um outro cabo, novo, de preferência HDMI 1.4. Outra possibilidade é o slot no Mac. Experimente trocar. Desisntale e reinstale o software da Blackmagic ou experiemente outra versão. Experimente também tirar a placa USB 3.0. Outra possibilidade poderia ser o monitor, mas este modelo Panasonic suporta todos os modos, inclusive 24p. Portanto, se a entrada HDMI está funcionando com outras fontes, não deve ser o monitor. Se nenhuma dessas tentativas funcionar, só aí eu suspeitaria da placa, pois acho muito difícil ela vir defeituosa. Você experimentou ligar no monitor via componente?

          • Eu instalei os drives da placa… É o mesmo que software da Blackmagic? Acredito q sim! No CD que acompanha a placa instalei nada, não achei drives e outras coisas que me parece ter utilidade…

  14. Ufa!!!! Consegui resolver. Mudei pra 1.4 e agora está ok! Valeu pela força Paulo, sem sua ajuda não conseguiria! Massa!!!! Agora é comprar um calibrador pra deixar o monitor “falar bem”(o menu dele não oferece muita opções). Muito obrigado e vida longa ao VideoGuru!

    • Marcos, procure na internet e baixe o manual de serviço do monitor na internet, em PDF. Ele explica como acessar o menu de serviço para ter acesso a muito mais ajustes.

  15. Olá Paulo, Adquiri um Dell Ultrashapr 2713H. Não tenho o X rite. Você indicaria algum software para fazer uma calibragem razoável?

    • Sem um calibrador não dá pra fazer nada muito preciso pois nossa vista compensa muitas coisas e nos engana. Basta ver pelas diversas ilusões de ótica que existem por aí. Mas seu monitor vem calibrado de fábrica. Basta colocar no modo sRGB. Eu acabo de adquirir um Dell U2913WM e a calibragem de fábrica veio excelente.

  16. Boa noite Paulo!

    Primeiramente gostaria de agradecer, seu site, seus conselhos são de ouro para quem está começando como eu. Parabéns pela iniciativa.

    Estou procurando, uma tv para monitoração e encontrei dois modelos:

    Panasonic Viera TH42PY85LB (essa está na minha cidade).
    Panasonic Viera TH-42PV80LB (essa está a 600km de minha cidade)
    Qual dessas duas você me recomendaria?

    Muito obrigado mestre!

  17. Paulo, você faz calibração de monitores, ou sabe indicar alguém que faça?
    Se for em Minas Gerais, melhor ainda.

    Outra coisa: o DeckLink Mini Monitor serve para monitoração no monitor de referência?

    Obrigado.

    • Oedri, eu calibro meus próprios monitores, mas não costumo fazer isso para os outros e não sei quem te indicar. Você deseja calibrar os monitores da interface (computador) ou o monitor de referência?

      O DeckLink Mini Monitor serve para isso, sim.

  18. Olá Paulo, primeiramente gostaria de agradecer por tamanho conhecimento compartilhado, tem sido uma escola!!

    Paulo, estou pesquisando monitor de referencia para tratamento de cor para cinema e tv. Acabei me deparando com os monitores da JVC (http://jvcpro.eu/video/product/108/dt-v17g15-full-hd-lcd-17-inch-10-bit-monitor/) me pareceram um bom custo beneficio, mas gostaria de saber sua opinião ou se tem alguma indicação!

    Desde já agradeço sua atenção,

    abraço!!

    • Raphael, os JVCs são razoáveis. Melhores que uma TV normal, com certeza. Mas eu sugiro que você dê uma olhada no Flanders Scientific (FSI).
      Para tratamento de cor para TV um monitor de 17 polegadas funciona perfeitamente. Mas para cinema eu não confiaria só nele pois a tela é muito pequena e você não consegue enxergar certos defeitos que aparecerão gigantes na tela grande. Daí eu recomendo, além desse monitor, uma TV de 40 polegadas ou mais não para ser usada para avaliação de cores, mas para você poder enxergar detalhes da imagem como densidade de grãos, precisão de máscaras, etc.

      • Olá Paulo muito obrigado!

        Fiquei na dúvida entre dois Flanders que me parecem um bom custo benefício, e que seria um investimento futuro para monitor de referencia e cor:
        CM171:
        http://www.flandersscientific.com/index/cm171.php
        CM170w: http://www.flandersscientific.com/index/cm170w.php

        Como preciso urgente de um monitor, queria tentar um DELL que quebrasse o galho como referencia por agora, e futuramente serviria como um segundo monitor, só que com uma boa resolução porque aproveitaria para composição também. Separei esses:

        Dell UltraSharp U2913WM UltraWide 29″:
        http://accessories.la.dell.com/sna/productdetail.aspx?c=br&l=pt&s=dhs&cs=brdhs1&sku=225-4201

        Dell UltraSharp (QHD) – U2715H 27”:
        http://accessories.la.dell.com/sna/productdetail.aspx?c=br&l=pt&s=dhs&cs=brdhs1&sku=210-ADKB

        Dell Professional Ultra HD – P2815Q 28”:
        http://accessories.la.dell.com/sna/productdetail.aspx?c=br&l=pt&s=dhs&cs=brdhs1&sku=210-ACHO

        Dell Professional 4K – P2715Q 27″
        http://accessories.la.dell.com/sna/productdetail.aspx?c=br&l=pt&s=dhs&cs=brdhs1&sku=210-ADOF

        Dell UltraSharp PremierColor U2713H de 27″:
        http://accessories.la.dell.com/sna/productdetail.aspx?c=br&l=pt&s=dhs&cs=brdhs1&sku=225-4148

        O que acha desses dois Flanders e desses DELL Paulo?

        Valeu, abração!

        • Raphael, nenhum Dell serve como monitor de referência pois não foram desenhados para vídeo, além de trabalharem em um espaço de cor diferente. Nenhum deles trabalha em 24p, nenhum mostra vídeo entrelaçado e todos apresentam fantasmas nas imagens em movimento.

          Os FSI são excelentes. Mas eu considero um monitor de 17″ pequeno demais para trabalho de cor. A não ser que você só faça trabalhos para a internet ou TV. No que diz respeito à cor, 17″ não tem problema algum. O problema está na impossibilidade de visualizar detalhes como grão e imperfeições. Você pode quebrar o galho usando um monitor de interface de, no mínimo, 24 polegadas. E verificar esses detalhes nele, de vez em quando. Melhor ainda, revisar o material todo nele só para ver se não escapou nada. Para monitor de interface eu recomendo muito os Dell Uktrasharp. As cores dentro do padrão sRGB são excelentes e os painéis são ótimos, especialmente quando devidamente calibrados. A combinação de um Dell com um FSI de 17″ solucionaria o seu problema até que você consiga adquirir um monitor de referência maior.

          • Poxa valeu demais Paulo!

            Paulo procurando o modelo 32LB5600 da LG, achei o mesmo modelo com 39 e 47 polegadas, as especificações me pareceram as mesmas, será que é uma boa alternativa para agregar ao set?

            Valeu, abraço!

          • Raphael, esta LG é bem razoável. Mas uma TV normal nunca é 100% como um monitor de referência. Já vou avisando, pois não existe almoço grátis. O maior problema que você vai encontrar são os vazamentos de luz nos cantos das telas, que causam uma certa falta de uniformidade. Se você conseguir ajustar seu cérebro para compensar isso, o que algumas pessoas conseguem facilmente mas outras não, vai poder trabalhar bem com ela. As TVs de Plasma d Panasonic eram a melhor opção, mas saíram de linha. Se você conseguir encontrar uma nova encalhada em alguma loja eu uma usada em excelente estado, seria perfeito.

          • Olá Paulo, estou tentando comprar uma tv para juntar ao set de monitores, que sirva para ver ter uma visualizaçao maior do material, e perceber mascaras e efeitos aplicados. Gostaria de saber quais critérios tenho que me atentar para escolher a melhor tv para este uso. Tempo de resposta, taxa de contraste, taxa de brilho, taxa de atualização? O contraste dinamico quanto mais melhor? Brilho também?
            Sei que ultimamente estamos com uma certa escassez de modelos realmente bons aqui no Brasil, mas gostaria de achar uma que estivesse com uma média de boa a razoável para esse momento.
            Será que poderia me ajudar Paulo?
            Desde já agradeço pela atenção que tem dado!

          • Olá Paulo, agora estou procurando uma Tv maior para conseguir ver imperfeições na imagem, mascaras, grão, detalhes no geral. Andei procurando algumas, mas gostaria de saber quais qualificações a Tv tem que ter para ser no mínimo razoável para ver detalhes e ter uma cor próxima da referencia. Taxa de contraste? Taxa de brilho? Tempo de resposta? Taxa de atualização?
            Ainda não sei bem o que considerar, muitas marcas usam esses artifícios para vender Tv, então não sei o que é realmente relevante.

            Valeu Paulo!

            Obrigado pela atenção que tem dado!!

          • Se o orçamento não é o limite, as TVs de 4K OLED têm sido muito elogiadas pelos coloristas lá fora. Quanto às outras especificações, infelizmente não significam absolutamente nada para nós. Você vai desativar tudo que altera a imagem, mas que os fabricantes usam como “recursos” para vender TVs. Nada automático ou que altere a cadência da imagem deve estar ligado. O contraste dinâmico também deve ser desligado, daí as especificações de taxa de contraste fornecidas pelos fabricantes não servem para nada.

            Infelizmente volto a repetir que as opções de monitoração no Brasil são muito poucas. O governo dá incentivos fiscais para a produção, mas não dá incentivos para a importação de equipamentos. Só que sem equipamentos fica difícil trabalhar…

          • Entendi Paulo!

            Mas então a quais especificações eu deveria me atentar ao comprar um monitor ou Tv para referencia?

            As Tvs OLED 4k da LG parecem ser bem boas, mas ainda estão um pouco inacessíveis, acho que a LG vai trazer mais para o final do ano essa OLED 4K, e deve chegar inicialmente com um preço bem salgado. Será que as Tvs Ultra HD 4K da LG, como a LG 55UF8500 (http://www.lge.com/br/tv/lg-55UF8500) resolveriam? Mais pra frente eu vou ver uma OLED para outra ilha. Mas momentaneamente será que essa linha Ultra HD 4K é uma boa Paulo?

            Valeu, abraço!

          • Olhei as especificações e estou tentando achar nessa linha alguma que seja 10bit e 120Hz nativo, sem o TRUMOTION, mas pelo visto, nós aqui no Brasil ainda não fomos contemplados com um modelo menor que a de 65 polegadas.

          • Raphael, infelizmente não. Mas o Truemotion é um recurso que geralmente você pode desligar.

  19. Bom dia Paulo! Não entendo de aceleradoras e placas de vídeo, por isso a questão. Quero melhorar o desempenho do AMC e DaVinci. Não farei um investimento alto e dentro do que posso fazer fiquei na dúvida entre duas: Placa De Vídeo Radeon Hd 7970, 3gb Ddr5, Msi ou Nvidia Quadro Fx4800 1,5gb /384bits? E por que? Ou há uma alternativa melhor? Obrigado!
    Possuo um MacPro torre 6.1

    • Marcos, nenhuma dessas placas lhe proporcionará saída para monitoração de vídeo. São placas gráficas. Se você deseja apenas melhorar o desempenho, uma nVidia GTX 770 para PC mesmo seria uma solução perfeita. Basta você estar rodando a versão mais recendo do Mountain Lion para cima. Ela sai bem mais barato que a Quadro e oferece desempenho muito bom no DaVinci. A Radeon não roda o DaVinci direito.

      A única coisa que você vai perder com uma placa de PC é a tela com a maçã na inicialização. Fora isso, funciona perfeitamente.

  20. Bom dia Paulo!
    Pra monitorar estou com a Intensity Pro. De fato o que preciso melhorar é o desempenho tanto do AVID quanto do DaVinci. Nas pesquisas encontrei a GTX 770 MSI pelo mesmo preço da QUADRO, então fico na dúvida de qual a melhor opção e que tb funcione sem problemas (energia, drives, CUDA etc) paralelamente com a Blackmagic e o OS. Yosemite ou Mavericks? O modelo da máquina MAC PRO 12 CORE DUAL 6 CORE XEON 2.66GHZ / 22GB RAM 1333 MHz DDR3 – ATI5770 1GB Capacity Graphic Card (Que será substituída). Tenho instalado num slot uma placa FASTA-6GU3 2 Port USB 3.0 & eSATA 6Gb/s Host Adapter. Agradeço sua aula!

    • Marcos, a GTX 770 é bem mais rápida que essa QUADRO. Cerca de 6 vezes mais rápida em benchmarks 3D. Pode ir com ela que você vai ficar feliz. Desinstale mas guarde sua 5770 caso, um dia, você precisar acessar a tela de boot. Mas isso é muitíssimo raro. Fiquei anos com placas de PC nos meus Macs sem nunca ter essa necessidade.

      Quanto ao OS, o Yosemite é melhor mas ainda não instalaria por ter alguns problemas, justamente com placas gráficas. Por enquanto vá de Mountain Lion, de preferência, se deseja maior estabilidade. Ou Mavericks se precisar rodar algum programa que necessite dele. Eu rodo o Mountain Lion na minha máquina de DaVinci, pois é o que roda mais redondo esse programa.

  21. E ai Paulo beleza?

    Estou montando minha ilha de correção, e gostaria de saber se esse modelo seria uma boa escolha para monitoração:

    LG 31MU97-B

    valeu
    Abraço

    • Luiz, é uma alternativa barata para um monitor de referência. Porém não é nenhuma maravilha e não se compara a um monitor melhor. Além disso, ele tem aresentado uma série de problemas. Mas é melhor do que nada.

  22. Bom dia Paulo!

    Eu tenho um macbook pro 2013:
    2,9 GHz Intel Core i7; 8 GB 1600 MHz DDR3; Intel HD Graphics 4000 1024 MB.

    Gostaria de saber se a TV Samsung FH5203 32” é uma boa escolha para usar o DaVinci, qual o tipo de cabo para conectar o macbook com a tv e calibrador de tv seriam melhores.

    Li em algum comentário seu a respeito de upgrade do MacPro a possibilidade de upgrade do macbook se ele tiver saída Thunderbolt, sou leigo neste assunto, eu precisaria do que pra realizar esse upgrade pensando em custo/benefício?

    Suas matérias são ótimas, Abraço!

    • Rafael, infelizmente a Samsung saiu de linha e não posso recomendar mais nenhuma TV nacional nova.

      Quanto ao upgrade do MacBook, se você se refere à placa gráfica essa solução está para vir mas, por enquanto, ainda não é possível.

  23. Oi Paulo.
    Descobri o videoguru ha pouco tempo e já se tornou meu vício, parabéns pelo trabalho.
    Desculpe mas quanto mais leio mais dúvidas tenho.
    Tenho uma pequena produtora e busco sempre a melhora, mas esbarro na falta de $ para investimento, mesmo assim estou buscando o que consigo de melhor dentro do orçamento.
    Edito no final cut X, ainda num Imac Intel I5 2.5, que ainda me supre apesar de cansado. Gostaria de trabalhar com Davinci Resolve, e busco algumas alternativas com baixo investimento.
    Seria interessante investir num Mac Pro usado? nesse caso qual a configuração ? Um Xeon quad suportaria? Ou um PC apenas para tratamento de imagem me ajudaria?
    NO caso do tratamento, a necessidade de um monitor de referencia é impressindivel, ancontrei alguns sony PVM e Barco, mas são usados, tenho medo de não funcionarem apesar do preço baixo.
    Nesse caso o Monitor ultrapanorâmico Dell UltraSharp U2913WM parece perfeito pra isso. estou certo, temos alguma opcao hoje que ajude? Para qualquer opçao precisarei de uma placa blackmagic não é? com saida SDI no caso de usar um monitor de tubo e a Intensity Extreme no caso do Dell.

    Digamos que eu compre um macpro novo, o que mais necessitaria pra ele? alem do monitor de referencia? a blackmagic tb?

    Bem tenho muitas duvidas, se puder me dar uma luz, ficarei muito agradecido. nao sei realmente o que fazer e por onde começar.
    obrigado, abs

    • Ricardo, você vai precisar de um computador bem rápido para trabalhar com o Resolve. No site da Blackmagic você encontra as configurações mínimas. No caso de um MacPro usado, o 5,1 seria o indicado com um mínimo de 16GBs de RAM e uma placa gráfica nVidia recente, das mais possantes, com 2GB de RAM para trabalhar em FullHD e 4GB para 4K (ou se você usar muitos plugins OFX).

      Os monitores Dell não servem como monitores de referência. São monitores para PC que, além de não trabalharem no mesmo espaço de cor (REC.709), não reproduzem imagens entrelaçadas e têm problemas com imagens de vídeo em movimento, como a presença de fantasmas. Você precisa de um monitor de vídeo, mesmo. Infelizmente estamos com um problema sério no Brasil. A TV Samsung que eu recomendava não é mais fabricada. As TVs de Plasma da Panasonic, que viraram um certo padrão internacional, também não são mais fabricadas. Portanto, o jeito é comprar um monitor de referência importado, como os FSI, alguns EIZO ou os Sony PVM OLED, ou tentar conseguir um monitor usado em excelente estado, torcendo para não dar problema.

      Esses PVMs e Barco que você citou devem ser monitores SD. Esses não servem para monitoração HD pois o espaço de cor é diferente. Sem contar que você não conseguiria ver os detalhes tão necessários para trabalhar.

      Você vai precisar também da placa de saída de vídeo da Blackmagic, pois ligar o monitor de referência em uma saída normal do computador, mesmo que ela seja HDMI, não adianta nada pois o sinal é bem diferente.

      Infelizmente, trabalhar como um colorista profissional, sério, é algo cada vez mais caro no Brasil. Embora existam políticas de incentivo de produção cultural, não existem incentivos para a aquisição de equipamentos sem impostos.

  24. Olá Paulo M. de Andrade. Levando em consideração suas explicações decidi comprar uma TV de Plasma Panasonic. Porém só encontrei a 42pZ80lb e não a 42pV80lb. Sabe me dizer se essa teria a mesma característica de não possuir o circuito ABL? Abraço!

  25. Olá, Paulo.

    Primeiramente obrigado, seus textos tem sido de grande valia pra mim, pois estou dando os primeiros passos na criação de uma produtora e é muito difícil encontrar informação qualificada sobre equipamentos para correção de cor.

    Como meu orçamento é modesto, optei pela TV Samsung 5203, mas ela parece ter sido descontinuada, pois está indisponível até mesmo no site da Samsung.

    A única mais próxima das configurações que encontrei foi a TV LED 32” HD Samsung 32FH4205. Você acha que é uma boa opção ou a 5203 tem algum outro correspondente à altura no mercado hoje em dia?

    Grande abraço!

    • Guilherme, está ficando cada vez mais difícil encontrar uma solução barata de monitoração para iniciantes. Fora a Samsung 5203, me parece que a LG 32LB5600 também tem cores bem precisas e um bom menu de ajustes que possibilita uma calibragem razoável. Mas parece que esse modelo também está sumindo do mercado.

      Vale lembrar que nenhuma dessas opções baratas é ideal. Todas apresentam compromissos. A LG, por exemplo, tem cores excelentes e ângulos de visão ótimos por ter painel IPS. Por outro lado, existe um problema de uniformidade na tela, com vazamentos de luz nas bordas. Já a Samsung tem um ângulo de visão limitado.

      Como nenhuma dessas TVs é uma solução 100% profissional, mas é melhor que um simples monitor de computador, o que eu sugiro é que você procure o modelo que substitui a LG. Mas nada garante que o fabricante mude tudo, prejudicando o uso da TV como monitor.

  26. Olá Paulo, se me permite, estou para comprar um monitor para referencia de cor, e sinto que essas três linhas acabam ganhando espaço como custo X benefício, gostaria de saber desses três, qual você indicaria, aparentemente, tirando a peculiaridade do 4K do monitor da LG, nos outros quesitos, eles estão bem próximos.

    FSI – CM171 (http://www.flandersscientific.com/index/cm171.php)
    EIZO CG247-BK ( http://www.eizo.se/default.aspx?page=11&product=CG247-BK )
    LG 31MU97-B (http://www.lg.com/us/monitors/lg-31MU97-B-4k-ips-led-monitor)

    Valeu, um forte abraço, e muito obrigado!

    • Raphael,

      Pode descartar o LG. O FSI é o melhor. Mas é muito pequeno como único monitor. O Eizo ofereceria o melhor compromisso, se você não trabalha com imagens entrelaçadas. Se trabalha, melhor pegar o FSI como referência de cor e verificar os detalhes da imagem, como ruídos e grãos, em um monitor maior.

Deixa seu comentário

GALERIA

1 5186

A interação entre ação viva e animação tem sido explorada ao longo da história do cinema, com muitos exemplos dos estúdios Disney e o inesquecível "Uma Cilada para Roger Rabbit", dirigido por Robert Zemeckis. O resultado, em geral, é estimulante. Pensando bem, a idéia...
8 5661

Esse vídeo fantástico, feito na Rússia para o lançamento de um projeto imobiliário, foge totalmente dos padrões tradicionais e utiliza a fantasia, com imagens incríveis, no lugar do uso tradicional de plantas e animações dos prédios em computação gráfica....
1 6318

Há algum tempo, publicamos um post com um vídeo do editor Piu Gomes, criado para responder a essa pergunta essencial para quem quer entender a linguagem audiovisual: o que é montagem? Também publicamos, há mais tempo ainda, outro post chamado...