Home Notícias Câmera Sony faz campanha contra a popularização das DSLRs

Sony faz campanha contra a popularização das DSLRs

A recente popularização das cameras HDSLRs é inegável, tanto no seu nicho original de fotografia como no nicho de vídeo digital.

No caso do uso para vídeo profissional, o tamanho do sensor, as lentes intercambiáveis, a profundidade de campo estreita, a textura da imagem, e o look cinematográfico resultante é que fazem diferença.

Por conta disso, hoje é cada vez maior o número de profissionais de vídeo que as adotam para suas produções.

Esse fenômeno mexeu com o mercado de cameras digitais como um todo de tal modo, que todos os fabricantes parecem estar revendo suas estratégias para não perder espaço, seja tentando embarcar na onda ou se contrapor a ela com novas alternativas tecnológicas.

No caso desse post, mostramos uma campanha viral da Sony na Austrália, “DSLR Gear No Idea”, criada no contexto do lançamento de novos modelos de cameras da lina NEX, de cameras compactas de maior qualidade do que as point-and-shoot comuns, sem espelho mas com lentes intercambiáveis.

A campanha tenta explorar o lado cômico do uso das DSLRs por amadores e profissionais que estariam adotando esse tipo de equipamento por modismo, em situações fora de propósito.

A avacalhação evidencia que a Sony deve ter perdido muito mercado para as HDSLRs, que não é o seu forte, ao contrário da Canon e da Nikon, por exemplo.

Alguns dos filmes são realmente hilários. Em geral, eles exploram o aspecto “complicado” de operação das DSLR, atrapalhando o registro das cenas.

O filmete reproduzido nesse post é o “The Videot”,  sobre o uso de uma HDSLR para vídeo, com toda a parafernália de rigs e acessórios que se pode imaginar, para filmar um churrasco entre amigos.

Ao mesmo tempo em que a campanha da Sony expõe aspectos mercadologicos importantes, ela nos faz pensar que, como toda a ferramenta, as DSLRs devem ser utilizadas apenas por pessoas preparadas em situações em que elas são realmente indicadas, inclusive entre profissionais.

Recentemente, assisti um programa de humor no canal a cabo Multishow, em que um apresentador entrevista um convidado, gravado com duas cameras HDSLR. A imagens simplesmente saiam de foco o tempo todo.

Para usar cameras desse tipo nesses casos, é preciso saber trabalhar com lentes e iluminação apropriadas, e muita gente que as utiliza negligencia ou desconhece essas pontos, fazendo com que o recurso se volte contra o objetivo de registro de qualidade das cenas.

Por outro lado, esse tema traz a tona a questão de que as camcorders tradicionais continuam mais indicadas para certos trabalhos, sobretudo quando a agilidade na operação é fundamental.

A Sony também está de olho nesse aspecto, e lançou vários modelos inovadores de camcorder em 2012, com recursos mais generosos a preços mais baixos, em outra frente da sua reação às HDSLRs.

Estamos com um post sobre esses lançamentos da Sony no forno e deve ser publicado em breve.

Os outros filmes da campanha “DSLR Gear No Idea”, você acessa aqui, ou no final do vídeo postado.

 

Gostou do artigo ?

Inscreva-se em nossa Newsletter para receber as atualizações do VideoGuru.

Artigos relacionados
0 7213

A O2 Filmes está utilizando várias Blackmagic Pocket Cinema Cameras (BMPCC) como câmeras principais nas gravações da nova comédia de sucesso da GNT, “Lili, a Ex”. A carga do conteúdo no set foi feita pela White Gorilla e toda a...
2 5695

Faz poucos dias que a Blackmagic lançou mais um firmware para suas Cinema Camera 2.5K (BMCC) e Pocket Cinema Camera (BMPCC). Esse firmware 1.9.7 adiciona a funcionalidade de poder formatar os cartões de memória nas próprias câmeras sem precisar...
14 comentários Nesse post
  1. A Sony esta desesperada por causa das HDSLR, a alguns anos para se ter uma qualidade aceitável era necessário gastar em torno de 15 mil numa câmera da Sony hoje, por 3 mil você tem uma Canon que é 100 vezes melhor que a melhor filmadora Sony de 5 anos atrás, pela Sony a gente ainda tava pagando 15 ou 20 mil pelas câmeras dela, ainda bem que a Nikon com a D90 deu o ponta pé inicial nesta briga que é a melhor coisa que aconteceu para nós consumidores. Agora a Sony faz uns vídeos ridicularizando quem usa as HDSLR em suas produções ou mesmo no dia a dia, prova do desespero de quem sempre foi líder em vendas e agora perdeu seu trono, ao invés de fazer videozinhos desrespeitos com o nome de “VIDIOT” (vídeos idiotas pelo que entendi) a Sony deveria se preocupar em melhorar seu produtos e colocar valores mais competitivos.

    • Verdade, Fabio. A situação da Sony e de outros gigantes nipônicos está bem complicada. A coisa tá feia principalmente no mercado de produtos eletrônicos de massa, sobretudo com a invasão dos smartphones e tablets da concorrência.

      Hoje mesmo saiu uma notícia de que ela está pondo à venda um prédio de mais de 1 bilhão de dólares para manter as contas em dia. (http://oglobo.globo.com/tecnologia/em-apuros-sony-poe-venda-edificio-em-toquio-deve-obter-us-11-bilhao-dizem-fontes-7247416)

      Especificamente no mercado de vídeo profissional, foi-se o tempo dos monitores Trinitron, das cameras e decks Betacam, e até dos equipamentos DV e DVCAM. Vivemos hoje uma era de tecnologias disruptivas que a Sony custa a acompanhar.

      Ela até que está tentando. 2012 foi o ano em que ela mais lançou novos modelos de camera. Estamos, inclusive, com um post no forno sobre isso. Fique ligado. Nós, do Videoguru, torcemos para a Sony acertar o passo, e nos oferecer melhores produtos.

  2. “A vaca esta indo pro brejo” A tempo a Sony e a panasonic vinha enganando o pro-consumidor com seus sensores de câmera amadora (saboneteira) e cobrando muito caro por isso. Agora é a vez do mercado dar o troco a eles.

    • Eu penso que a dinâmica de desenvolvimento da indústria de eletrônicos não é tão simples assim, mas o que você disse não deixa de fazer sentido.

  3. Não é com humor adolescente que a Sony vai conseguir reposicionar equipamentos de um mercado que pensa em resultado de imagem. Eu vejo a galera do social ralando e suando frio dia a dia utilizando HDSLRs só para conseguir imagens com estética diferente.

    Quando comecei também queria a tal “cara de cinema” para os meus comerciais, mas pra isso tinha que comprar uma câmera de sensor 1/2, adaptador redrock pra profundidade de campo legal, tinha que produzir em progressivo, sem falar no trabalho de iluminação.

    As HDSLRs facilitaram 60% nosso trabalho, mas é uma desgraça pra trabalhar. A Sony teve um tempo considerável para responder no mercado pro-sumer, mas deixou o concorrente comer pelas beiradas. Agora fica difícil de recuperar esse público, ainda mais pelo investimento em lentes das HDSLRs.

    • Concordo, Douglas. Mas devemos considerar que há espaço para a Sony e outros fabricantes produzirem camcorders que ofereçam a qualidade das DSLRs em corpos de camera mais amigáveis e com mais recursos para vídeo. Eles até estão tentando algo, e acho essa é uma tendência para competir com as DSLRs. Aí fica a questão das lentes. O mais provável que vingue são as camcorders com lentes intercambiáveis, de preferencia aceitando adaptadores para funcionar, ao menos no modo manual, com lentes de fabricantes diversos. A área de camera no Videoguru é coberta, preferencialmente, pelo Paulo. Quem sabe ele tem algo a acrescentar nesse debate. Estamos com alguns posts no forno para falar desse assuntos também.

      • Concordo plenamente com o João. Nem todo mundo se adapta às HDSLRs e elas também não são a resposta para todas as situações. As câmeras tradicionais têm seu espaço. Mas podemos ver a influência das HDSLRs até nessas. A câmera da Blackmagic é um exemplo. Não é uma HDSRL, mas o fabricante adotou o mesmo formato compacto. O uso forma hábitos e tenho observado que muitos usuários de HDSLR, que reclamavam do formato no começo, agora reclama das câmeras tradicionais quando passam para elas. Recentemente o respeitado diretor de fotografia Phillip Bloom, que utiliza todos os tipos de câmera, ficou encantado com a Canon 1Dc e afirmou que se acostumou tanto com as vantagens das HDSLRs que considera essa câmera – cujas funções e qualidade se equiparam a uma câmera tradicional – que considera essa super-HDSLR a câmera ideal. O baixo peso, a portabilidade, a capacidade de filmar sem chamar muita atenção, a facilidade de manuseio e troca de lentes realmente se tornam cada vez mais atraentes com o uso.

        O que não ha como questionar é que s HDSLRs redefiniram o mercado e não há mais volta. Os fabricantes que não se adaptarem às novas tendências vão ficar para trás. A JVC, por exemplo, que fabricava ótimas câmeras. Alguém ouviu falar recentemente de um fotógrafo que acaba de adquirir uma câmera da marca? Não basta apenas adaptar as câmeras ao uso de lentes intercambiáveis – embora isso seja essencial no mercado atual. Existe a necessidade de adaptar a imagem da câmera em si. Um dos maiores obstáculos para a Sony é sua insistência no look de vídeo. O maior fator do sucesso das HDSLRs foi justamente o look cinematográfico. E esse look já se tornou tão popular que até as TVs estão adotando. A Rede Globo, por exemplo, que tem acesso à Sony F65 acabou utilizando a ARRI Alexa na série O Canto da Sereia justamente por essa ter imagens 100% cinematográficas.

        Em um seminário com diretores de fotografia de Hollywood, quando a Sony apresentou a F65 como sendo sua resposta à Alexa, ouviu reclamações que a imagem era muito “vídeo”. A resposta foi que a Sony gostava desse look e ponto final. Resultado: apesar de ter especificações maravilhosas, no papel, até superiores às da ARRI, esta última continua dominando o mercado de filmes de alto orçamento.

  4. Sou um amador que comprou uma T3i há cerca de um ano e acompanho quando posso este excelente blog.

    De fato, o “look cinema” invadiu tudo, tinha uma novelinha que se passava enm Gramado que abusava de bokeh nas cenas. Reportagens do Fantástico falam cada vez mais a linguagem. Achei excelente uma recente sobre a seca do NE, com Sônia Bridi (e Paulo Zero filmando). Conteúdo e roteiro fortes, complementados pela linda fotografia. Enfim, o look ‘VHS’ está morto e sepultado.

  5. This kind of videos only shows a crack in Sony. Why……
    Dr. House – Canon 5D Mark II

    127 Hours – Canon 1D Mark IV, Canon 5D Mark II, Canon 7D

    Act of Valor – Canon 5D Mark II, Canon 7D, & Canon 1D Mark IV

    The Avengers – Canon 5D Mark II & Canon 7D

    Black Swan – Canon 7D & Canon 5D Mark II

    Captain America – Canon 5D Mark II

    Iron Man 2 – Canon 5D Mark II

    Like Crazy – Canon 7D

    The Pirates! Band of Misfits – Canon 5D Mark II

    Red State – Canon 7D

    Red Tails – Canon 1D Mark IV, Canon 5D Mark II, & Canon 7D

    Secretariat – Olympus PL1…etc, etc.

    Use DSRL s, are they so stupid?.
    Don t make me laugh please!

  6. Esse vídeo revela apenas o desespero da Sony no ápice da sua decadência. Um gigante desatualizado que não soube perceber (ou entender) os ventos de uma nova era.

  7. Ainda em tempo: muito suspeito terem desabilitado os comentários e avaliação para essa série de vídeos no Youtube. Estariam com medo de ouvir algumas verdades?

  8. Muito legal as DSLR, mas como foi dito sobre o programa da multshow, elas vieramcom um monte de pessoas inventando um monte de “novidades”. Fora o caso dos desfoques do programa ainda tem aquele monte de balançar de câmera, tudo tremendo e ainda não bastasse, dão aquela torcidinha de lado onde uma porta parece que está despencando (risos…). Até a Globo agora está fazendo isso… Veja a nova novela das 09, vi outro dia uma cena dos atores em um parque e a mulher ia embora andando pelo gramado e a câmera ia tremendo, balançando acompanhando ela. Não dava para ver praticamente nada! E dizem que isso passa emoção. Vocês que são grandes conhecedores na área do vídeo, gostaria que me falassem sobre essa “nova” forma de captura de vídeo… Porque dizer que essa tal imagem passa sentimento, eu posso dizer que em mim passa sentimento de raiva de não conseguir ver nada, somente um monte de coisa balançando, de lado e tremendo. Ainda aposentaram os steadycam, esses sim que faziam uma caminhada exemplar. O último filme que vi foi Thor no cinema, mas quando passou uma cena onde a rua, o poste estava de lado e veio um carro que andava pela estrada onde parecia que estava em 02 rodas, foi a gota d’agua. Desisti de ver filmes, até os de cinema. Ver na TV é de graça! Ainda vai lá, mas pagar para ver uns troços de lado é sacanagem. E ainda tem uns que pega a câmera e fica fazendo movimentos igual criança quando imita dirigir com tampa de panela rodando para um lado e para o outro. Não dá para dizer que são as pessoas das pequenas produtoras. Porque esses filmes são de grandes diretores e de orçamentos gigantescos. Então qual será o problema?
    Parabéns pelo Blog, Muito bom!

    • O problema é que há falta de critério estético, entendimento do que é correto do ponto de vista técnico, bom senso, tudo isso aliado a falta de pudor em imitar modismos da da TV americana, ou mesmo uma certa mania de inventar moda achando que é coisa de gênio quando na verdade é coisa de bobo. Valeu pelo apoio!

      • Boa João – Escalpella – eu tenho o mesmo sentimento, tem gente que nem percebe, mas imagem que começa a balançar o minimo que seja me incomoda muito. Como ambos disseram lindamente são “conceitos Modernos” !!! Pior esta nova novela da Globo ( amor a vida) – que por prazo, pressa ou qualquer outro motivo, esta sempre balançando e cenas gravadas cheias de ruido !!! Sem comentar o tom azulado / cinza muito feio que o diretor de fotografia adotou – Numa Globo…e gastam milhões…

Deixa seu comentário

GALERIA

1 5186

A interação entre ação viva e animação tem sido explorada ao longo da história do cinema, com muitos exemplos dos estúdios Disney e o inesquecível "Uma Cilada para Roger Rabbit", dirigido por Robert Zemeckis. O resultado, em geral, é estimulante. Pensando bem, a idéia...
8 5661

Esse vídeo fantástico, feito na Rússia para o lançamento de um projeto imobiliário, foge totalmente dos padrões tradicionais e utiliza a fantasia, com imagens incríveis, no lugar do uso tradicional de plantas e animações dos prédios em computação gráfica....
1 6318

Há algum tempo, publicamos um post com um vídeo do editor Piu Gomes, criado para responder a essa pergunta essencial para quem quer entender a linguagem audiovisual: o que é montagem? Também publicamos, há mais tempo ainda, outro post chamado...