Home Artigos Outros Película vs Digital – Um rápido comparativo entre o Kodak Vision 3...

Película vs Digital – Um rápido comparativo entre o Kodak Vision 3 e a Canon 7D

Foi um comparativo improvisado. Em meio a uma filmagem de um curta, em película, o cineasta Alex Walker aproveitou para rodar algumas tomadas com sua Canon 7D. Veja o resultado.

Esse teste não é para ser considerado um comparativo definitivo entre película e digital. Até porque as lentes eram totalmente diferentes e a 7D nem tripé tinha.

O material em película foi filmado em uma câmera Arri BL 4 com lentes Arri Master Primes. O material digital foi rodado em um 7D com uma lente Tamron 17-50mm 2.8 – a mesma recomendada pelo Video Guru neste artigo.

O material em película foi telecinado em 2K diretamente para ProRes 444, com marcação de luz primária no telecine. Em seguida passou pelo Media Encoder CS 5.5 da Adobe para poder ser editado no Avid em MXF 1:1.

O Material da Canon foi filmado com o estilo de imagem Technicolor Cinestyle e convertido de H.264 para Avid DNxHD, 175x também utilizando o Adobe Media Encoder CS 5.5. A correção de cor foi feita no próprio Avid.

Como podemos ver, a 7D não fez nem um pouco feio frente ao Kodak Vision, que tem uma latitude entre 13.5 e 15 stops. E isso apesar de diversas desvantagens. Primeiro, uma zoom comum – embora muito boa –  contra as fabulosas primes Zeiss de cinema.

Segundo, um estilo como o Technicolor Cinestyle que tem uma latitude de cores bem limitada quando comparado a estilos como o VisionColor, que emula justamente a película da Kodak.

Comparamos este estilo ao Cinestyle (publicaremos em breve) e podemos ver que as cores da 7D ficariam praticamente iguais às da película caso o VisionColor tivesse sido utilizado, eliminando a tendência ao verde e a compressão não otimizada da luminância causadas pelo Cinestyle.

Terceiro, se a correção de cor tivesse sido feita em um programa dedicado a este propósito como o DaVinci Resolve, Scratch ou Color, o resultado final sairia bem melhor, já que a correção de cor de um programa de edição como o Avid ou o Final Cut não chega aos pés dos recursos e da qualidade obtida com programa especializados.

Apesar de todas essas desvantagens, a 7D saiu-se muito bem, como podemos ver no vídeo abaixo. Recebendo o tratamento adequado, a HDSLR da Canon surpreenderia mais ainda, provando que a tecnologia digital – mesmo em câmeras baratas – veio para ficar.

 

Gostou do artigo ?

Inscreva-se em nossa Newsletter para receber as atualizações do VideoGuru.

Artigos relacionados
8 4223

A Blackmagic Design, guardadas as proporções, está fazendo uma revolução muito semelhante à que a Apple operou na computação de uso pessoal, e Grant Petty, fundador e CEO da Blackmagic Design, aos poucos vai se consagrando como uma espécie de "Steve Jobs"...
30 16497

Um dos problemas que enfrentamos como profissionais do audiovisual, no Brasil, é a falta de oferta de ferramentas de trabalho para venda, especialmente porque quase 100% delas são de fabricação estrangeira. É difícil de achar, ainda mais para pronta...

Deixa seu comentário

GALERIA

1 4910

A interação entre ação viva e animação tem sido explorada ao longo da história do cinema, com muitos exemplos dos estúdios Disney e o inesquecível "Uma Cilada para Roger Rabbit", dirigido por Robert Zemeckis. O resultado, em geral, é estimulante. Pensando bem, a idéia...
8 5386

Esse vídeo fantástico, feito na Rússia para o lançamento de um projeto imobiliário, foge totalmente dos padrões tradicionais e utiliza a fantasia, com imagens incríveis, no lugar do uso tradicional de plantas e animações dos prédios em computação gráfica....
1 6022

Há algum tempo, publicamos um post com um vídeo do editor Piu Gomes, criado para responder a essa pergunta essencial para quem quer entender a linguagem audiovisual: o que é montagem? Também publicamos, há mais tempo ainda, outro post chamado...