Home Artigos Hardware Philip Hodgetts confirma a opinião do Videoguru: 4K está sendo usado apenas...

Philip Hodgetts confirma a opinião do Videoguru: 4K está sendo usado apenas para vender mais equipamentos.

O conhecido e respeitado veterano do vídeo digital Philip Hodgetts, em uma entrevista em vídeo, confirmou o que já afirmamos faz tempo: 4K não passa de uma maneira dos fabricantes de equipamentos venderem mais.

Ele menciona, em particular, os fabricantes japoneses de câmeras que estão passando por dificuldades financeiras por não terem se adequado ao novo mercado.  Para quem não conhece, Philip tem mais de 30 anos de experiência em produção e pós e, desde 1994, trabalha com vídeo digital. Ele é autor de vários artigos e também é um veterano em podcasting.

Segundo estudos, apenas 3.5% das residências americanas terão telas 4K em 2017. Imagine, então, no Brasil… E, embora 4K teoricamente tenha suas vantagens, como explicamos em nossos artigos prévios (clique aqui, aqui e aqui para ler), as vantagens reais são muito pequenas.

Segundo Hodgetts, nós que trabalhamos com vídeo e cinema digital ganhamos dinheiro com o uso de nossas ferramentas. Só que os fabricantes só ganham dinheiro quando nos vendem essas ferramentas. E como 1080p e 2K já foram anunciadas, por esses mesmos fabricantes, poucos anos trás como sendo o máximo necessário para produção profissional, o mercado de certa forma ficou parado – a não ser pelos fabricantes inovadores como os de HDSLRs e de câmeras como a Blackmagic. Daí, empurrar um novo (e desnecessário) formato como o 4K é uma forma de vender mais TVs, câmeras, equipamentos auxiliares, computadores, armazenamento, etc.

Sony-FDR-AX1A Sony FDR-AX1 é uma tentativa desesperada de vender o formato 4K
para o consumidor doméstico como tendo 4 vezes a qualidade
da imagem de uma câmera 1080p, segundo a fabricante.

Outro argumento de Philip é que o formato 2K para cinema tem tido bastante sucesso nos últimos 5 anos e que o que interessa para o público é a história em si, e não a quantidade de pixels que formam a imagem. Ninguém sai do cinema comentando o número de pixels de um determinado filme. Se as pessoas choram, riem, ou cantam junto com os filmes, estão pouco ligando se estes foram rodados em 1080p, 2K ou em mini DV – como alguns filmes de sucesso de um passado recente foram.

O comentário mais forte de Hodgetts, quando indagado se há necessidade de termos 4K em casa, é que precisamos tanto de 4K quanto precisamos de um furo na cabeça. Isso porque, segundo ele, sentados a uma distância normal de uma TV relativamente grande, já é difícil perceber toda a resolução de 1080p. É um limite físico da nossa visão.

Outro comentário interessante é que, embora algumas poucas salas de cinema já tenham projetores capazes de projetar em 4K, o conteúdo nesse formato é praticamente inexistente, até mesmo por uma questão de quantidade de dados para armazenamento e distribuição. Por isso, o material acaba sendo exibido em 2K, mesmo em projetores 4K. Ainda segundo Philip, a indústria de equipamentos tem se valido muito da mídia para criar esse frenesi pelo 4K. Os consumidores típicos, que desconhecem a realidade técnica, acreditam que o formato vai oferecer 4 vezes mais qualidade na imagem. E certos produtores acabam acreditando ma mesma coisa e passam a pedir dos realizadores que o projeto seja filmado em 4K. E é isso que os fabricantes planejaram desde o começo pois, se os produtores passarem a achar que 4K é melhor, haverá uma demanda por esse tipo de equipamento.

Só que 1080p bem produzido já é suficiente para uma projeção cinematográfica de altíssima qualidade, ainda mais se o equipamento utilizado oferecer uma textura mais cinematográfica do que de vídeo. E, mais importante ainda que a resolução, é o trabalho por trás das produções. Um bom roteiro, uma boa fotografia,  uma boa direção de arte, uma boa direção, boa interpretação, boa edição, bom tratamento de cor e som… Isso tudo é muito mais importante para um bom filme que o número de pixels anunciado por um fabricante.

Confrontado sobre a inevitabilidade da existência de 4K no mercado devido a esse esforço tremendo dos fabricantes para vender mais equipamentos, Philip acredita que nos próximos anos 95% das produções serão filmadas em 1080p, 1% anda serão filmadas em SD (nos próximos 5 anos) e 4% apenas serão rodadas em 2K ou mais. Segundo ele (e segundo já comentamos aqui, em artigos anteriores), é muito mais importante que os fabricantes passem a oferecer maior latitude e banda dinâmica em 4:2:2 10 bits (como as câmeras da Blackmagic) ou 4:4:4:4 12 bits (como a ARRI Alexa) do que um número maior de pixels em 4:2:0 e/ou 8 bits.

Assista o vídeo completo (em inglês) abaixo.

Gostou do artigo ?

Inscreva-se em nossa Newsletter para receber as atualizações do VideoGuru.

Autor
Paulo trabalhou na Rede Globo de Televisão como roteirista, diretor e editor e também escreveu sete longa metragens do grupo Os Trapalhões. Em 1991, abriu uma produtora nos EUA, onde conquistou vários clientes importantes, recebeu diversos prêmios e escreveu centenas de artigos como editor contribuinte para algumas das mais importantes publicações profissionais americanas e internacionais. Hoje Paulo trabalha como colorista para TV e cinema, com clientes no Brasil, Estados Unidos e Europa.
Artigos relacionados
12 5226

O cinema digital nunca viveu um período tão interessante. Se a câmera de cinema digital chinesa iniciou a revolução dos preços baixos, foi a Blackmagic que venceu a corrida e lançou no mercado as verdadeiras câmeras revolucionárias. Agora...
30 6375

Eles são a última novidade do mercado. Monitores bem mais largos que o normal e que oferecem muito mais espaço para trabalhar. Além disso, são perfeitos para reproduzir filmes em formato cinemascope. Com um desses monitores você consegue praticamente o...
12 comentários Nesse post
  1. Disseram o mesmo quando lancaram o FullHD, disseram a mesma coisa quando lancaram a 5dMk2, disseram o mesmo quando lancaram o VHS, disseram o mesmo quando lancaram o iPhone com uma super resolucao de tela e depois o iPad e MacBookPro com tela retina. Se faz diferenca numa tela de 13″ de notebook por que nao faria numa tela de 60″ ou 84″. O 4k veio pra ficar e ele tem inumeras vantagem. Uma pena que isso demande um gasto enorme em equipamento para edicao tambem. Mas quem ja trabalhou, quem ja filmou e quem ja editou material 4k sabe que existe diferenca e ela é valida. Isso nao quer dizer que uma tv full hd de 21″ nao ofereca uma boa qualidade e nem que seja interessante uma tela 4k de 21″ mas quando pensamos em telas de 60″ ou 84″ ai a coisa muda.
    Voce pode achar estranho, talvez até absurdo telas de 60″ ou 84″ mas voce se lembra que nao muito tempo atras a maior tv que alguem da classe media podia sonhar era uma TV de 29″ e hoje temos na sala das kit nets telas de 42″? Compare uma CRT29″ e uma FullHd 42″ e me diz se nao vale a diferenca!!! Naquela epoca muitos falavam como voce fala hoje, que era ridiculo uma resolucao full hd e uma tela de 42″ que tudo isso era só para vender mais e bla bla bla…. E ai, vc tem em casa qual tela? Duvido que vc esteja parado no VHS ou no Beta Cam se preferi!

    • Teodoro, a diferença de SD para Full HD é muito grande. Mas a diferença de Full HD para 4K é mínima. Isso porque está comprovado cientificamente que a visão humana não consegue distinguir a diferença entre 1080p e 4K a uma distância normal. Do mesmo jeito que a tela retina trabalha no limite da visão e tenho um tablet Nexus 10 com mais resolução ainda. Lado a lado, é impossível ver a diferença entre os dois. Para ser notada, só se entrarmos na era biônica, com implantes oculares.

      Você já viu um monitor verdadeiro, profissional, 4K com imagens em 4K? Pois eu vi. E realmente é impossível perceber a diferença de Full HD a não ser que você fique a uns 30cm da tela de 40“… E olha que eu fui torcendo pra ver essa diferença e escrever exaltando a qualidade da imagem.

      Só para sua informação, sou fanático por tecnologia e vibro com cada passo da evolução. Daí torço sempre para que inovações aconteçam. Fui um dos primeiros defensores do Full HD, um dos primeiros a divulgar as 5D no Brasil, um dos primeiros a ver uma projeção (analógica) em HD em 1982 (isso, mil novecentos e oitenta e dois) na Sociedade dos Engenheiros de Televisão e Cinema (SMPTE), da qual fui membro, em Hollywood. E como vibrei!

      Tenho uma tela profissional de 100“, com um projetor profissional Panasonic Full HD totalmente calibrado. Sei muito bem, no meu dia a dia, o quanto a qualidade de uma imagem faz diferença. Se 4K fizesse essa diferença toda, eu seria o primeiro a exaltar a tecnologia. Infelizmente, não é. Você chegou a ler os outros artigos sobre o assunto?

      Muitos argumentam que uma imagem filmada em 4K, quando reduzida para 1080p, fica melhor que uma filmada em 1080p. Isso é verdade. Mas só se a câmera 1080p for inferior, pois uma boa câmera 1080p como a ARRI Alexa ou a BMCC continuam com a imagem melhor. E qual a vantagem de ter que filmar em 4K para depois reduzir para 1080p? Só vejo desperdício de tempo, espaço de armazenamento e dinheiro.

      Outro argumento que usam a favor do 4K é que pode-se filmar apenas um plano aberto (geral) e depois cropar os planos fechados na pós. Isso é um dos maiores retrocessos na história da cinematografia, pois qualquer diretor de fotografia que se preze sabe que se deve reposicionar a câmera para fazer os planos fechados, obtendo assim o melhor ângulo, a melhor profundidade, etc. Essa preguiça de deixar tudo pra pós está acabando com a produção de qualidade. Como finalizador, recebo material cada vez pior, com mais problemas para consertar em vez de receber material bom para só melhorá-lo.

      Agora, com toda essa pressão dos fabricantes, é inevitável que o 4K ganhe mercado. Só que, enquanto não houver uma vantagem real, os méritos da tecnologia continuarão questionáveis. Enquanto isso, quem investiu em uma boa câmera FullHD/2K continuará firme no mercado bastando converter o master final para 4K, caso esse modo de projeção um dia fique popular. Porque até nisso ficou comprovado que um upconversion de uma câmera boa pode ficar melhor que o original em 4K de uma câmera normal.

      Em tempo: essa opinião sobre 4K não é exclusivamente minha nem do Philip. Existem milhares de profissionais de alto nível, como nós, que questionam o formato mundo afora.

  2. Realmente, latitude e banda dinâmica… muita coisa pra melhorar pra se falar ainda em 4k.
    E sem falar que realmente as boas ideias, histórias bem contadas sempre vem em primeiro lugar. Quem lê esse blog e tem mais de 30 anos praticamente passou a infância e juventude assistindo filmes em vhs e sobreviveu muito bem. Ideias em primeiro lugar sempre!

  3. Estão falando até em celulares que filmam em 4k, uma lente pequena e um sensor medíocre sinceramente em ri quando vi tal notícia, o pior é que a grande massa que pouco ou mesmo nada entende de qualidade de filmagem ficam se torturando psicologicamente achando que seus aparelhos estão ultrapassados e que o aparelho super moderno do outro que “filma em 4k” é muito superior.
    Uma das táticas mais empregadas pelo comércio, lucra em cima da falta de informação do “povão” ou preguiça mesmo de se informar pois é bem mais cômodo pra quem não gosta desse assunto esperar que as empresas “mostrem” quais são os equipamentos “melhores”

  4. Boa Paulo! Creio que o Teodoro é daqueles que vão mais pelo tamanho do que pelo peso… rs… Em resumo, não deve viver no Planeta Terra, e pior, um mero consumista que vai no embalo dos “Wow!!! Se a Câmera é bonita por fora e tem um monte de botõezinhos com certeza faz uma bela imagem!”
    Coitado. Mal sabe ele que ainda se rodam belos e premiados filmes gravados na velha película dos anos 90.

    • O poder do marketing é muito forte e, se você realmente não entende da tecnologia, é fácil se deixar levar.

      Sempre me vem à mente o Buena Vista Social Club, rodado em uma Mini DV prosumer pelo genial Wenders. Nunca vi ninguém reclamar da qualidade técnica do filme. O público em geral não tem a mínima ideia se foi rodado em película 35mm, HD ou em uma câmera comprada na loja da esquina.
      Não adianta nada uma câmera na mão sem uma ideia na cabeça e um talento por trás… Basta visitar os fóruns da Blackmagic para ler um bando de posts de gente reclamando dessa câmera fantástica porque, no fundo, não conseguem fazer nada que preste com ela.

      Todos queremos trabalhar com o melhor equipamento possível, é claro. Mas existe um motivo para a ARRI, fabricante da melhor câmera digital do momento (e fabricante de câmeras de película há décadas) não se meter com 4K e acabar de lançar a Amira, que roda em 2K.

  5. Particularmente eu acho que o 4k vai se “firmar” como uma tecnologia de transição para a 8k. Parecido com a tecnologia HD e FullHD. Há poucos televisores HD e, quando o formato começou a se popularizar, logo apareceu o FullHD dominando o mercado.

  6. Eu penso resumidamente o seguinte: o PS4 está sendo feito para rodar em 4k e isso irá forçar os consumidores a adquirirem tvs 4k (de preferência da sony) e muito provavelmente a própria sony vai invadir o mercado com novas tvs assim q o videogame for oficialmente lançado. Acredito que a demanda de 4k doméstico será uma imposição de todo produto audiovisual assim como foi o fullHD.
    Mas apesar de tudo eu sou só um comentarista na internet…

  7. Ótimo Post – a maioria não sabe nem extrair tudo de uma simples HDslr e ficam sonhando com este tipo de bobagem. – Al Pacino disse uma vez que para ter um bom filme bastam 2 bons atores 1 mesa e 1 cadeira – e como esta certo… talento, a câmera é só uma das partes do mecanismo todo da indústria.
    Tenho conhecidos que o Papai ajudou a abrir uma produtora e fechou em 6 meses – com os melhores equipamentos, cada o conhecimento , experiência e sensibilidade. Belo exemplo do Buena Vista !!!
    – Outro dia estava com muita pressa e tinha que entregar um trabalho no dia seguinte – editei no PINNACLE STUDIO ao invés da suíte da Adobe – sabe qual foi a diferença para o cliente ???? – nenhuma ! porque ele nem sabe o que é isso. nós sabemos ele não. 4K ??? eles vão achar que é nome de bebida…
    Falando em Marketing – todos devem lembrar aquele filme horrível chamado BRUXA DE BLAIR – pois bem ele foi gravado simplesmente com uma câmera HI8 da Sony 403 , absolutamente amadora. Tudo bem que o filme éra horrível, mas simplesmente bombou na época por conta da então “novidade” internet – e os produtores que na época tinham gasto apenas 10.000 dólares ficaram milionários da noite para o dia. E ai ???? todos se esquecem que Cinema , Vídeo é tão somente um negocio que envolve dinheiro – e se foi filmado com “xereta” e deu dinheiro, para os estúdios é o que vale. Não vamos nos esquecer que o maravilhoso ” O Curioso Caso de Benjamin Button” – para mim sensacional – tomou o maior pau no Oscar do “como ficar Milionario” uma produção indiana, para mim pobre em todos os sentidos, mas talvez pelo Lobby da distribuidora e outros interesses ocultos levou a estatueta. No nosso negocio o que vale é $$$$$ e ponto. como em tudo na vida.

  8. Legal esse debate!

    Falar em 4K no Brasil é piada. O Paulo já escreveu muito aqui sobre 4K e a “artimanha” usada por trás disso para enganar o consumidor, e a maior das enganações foi a verdadeira quantidade de pixels e o real tamanho do sensor que demandaria para ser um material 4K VERDADEIRO!
    Outra piada é que ainda em nosso País se tem o sinal SD chegando nas casas, tem gente assistindo TV de tubo e lojas que ainda tem TV’s dessa nas prateleiras “agonizando” para serem vendidas. Quem trabalha com eventos sociais sabe que o cara filma com uma DSLR e o iscambau e no final o cliente quer no maldito DVD, e o pior, para assistir em TV de LED de 42″. Isso é não é uma piada! Se falar para entrgar em Blu-ray ele pergunta: O que é isso? Vai ficar pelo mesmo preço? Ha, se é mais caro eu não quero não!
    O cidadão vai em uma loja e ainda compra um aparelho de DVD ao invés de um BD que hoje se encontra por até menos do que 500 Reais.
    Os artistas gravam seus shows ao vivo e lançam em que? O raio do DVD, sendo que o BD está aí já fazendo filho.
    E o pior, foi o tal JOBS abrir a boca que não acreditava no Blu-ray para ele ficar boiando na vala. Se o cliente quiser em HD, quer no pendrive. Hoje se querem assistir um filme, vídeo ou algo do gênero é só na internet, essa para eles que é a boa. O negócio super comprimido, pixelando, travando, atraso no áudio e vai ver lá, 200.000 visualizações em questão de horas. No vimeo ninguém quer assistir porque demora a carregar, é um trabalho sério… Para eles é melhor ficar curtindo um vídeo de uma velha cantando: “Nada, nada, nada, nadaaa! Isso é ou não é uma piada!
    Nem o padrão Full HD está 100% como deveria ser! Cheio de “problemas” como rolling shutters, imagens dando pulinhos e tremidinhas, problemas com serrilhados por causa de padrões e campos invertidos, brigas entre o progressivo e o entrelaçado onde as emissoras de TV adotam o formato entrelaçado, etc.
    Se alguém acha isso pouco, que me ensine a fonte de onde ele está arrumando dinheiro porque esse cidadão está jogando “o concorrido faz-me rir” fora!
    Falar que o 4K veio para ficar em um País onde uma TV dessa deve ficar em torno de 15 a 20.000 “suadinhas”.

    Como eu disse: Parece ou não uma piada!

    Com minha humilde sugestão e opinião, saudações para todos.

  9. O áudio parou em 196000 amostras por segundo, o que já é um exagero e tanto. Acredito que 4k é o ápice na área visual mais que isso é perder a dimensão do humano. Imagem não é só pixels .

Deixa seu comentário

GALERIA

1 5186

A interação entre ação viva e animação tem sido explorada ao longo da história do cinema, com muitos exemplos dos estúdios Disney e o inesquecível "Uma Cilada para Roger Rabbit", dirigido por Robert Zemeckis. O resultado, em geral, é estimulante. Pensando bem, a idéia...
8 5661

Esse vídeo fantástico, feito na Rússia para o lançamento de um projeto imobiliário, foge totalmente dos padrões tradicionais e utiliza a fantasia, com imagens incríveis, no lugar do uso tradicional de plantas e animações dos prédios em computação gráfica....
1 6318

Há algum tempo, publicamos um post com um vídeo do editor Piu Gomes, criado para responder a essa pergunta essencial para quem quer entender a linguagem audiovisual: o que é montagem? Também publicamos, há mais tempo ainda, outro post chamado...