Home Artigos Software PRHelper – ProRes no Windows

PRHelper – ProRes no Windows

O formato de codec ProRes, utilizado nos Macs, virou padrão na indústria – tanto para entrega de material em certas emissoras de TV como também para exibição em diversos festivais de cinema. Tratando-se de um formato com compressão praticamente sem perdas, o ProRes ganhou popularidade também como um formato muito prático para edição e criação de masters. Sem contar que câmeras como as Blackmagic e ARRI Alexa utilizam o formato também na captação.

Existem vário sabores de ProRes. A diferença entre eles tem a ver com o grau de compressão e qualidade da imagem. O ProRes Proxy, por exemplo, foi criado há alguns anos para possibilitar a edição offline em sistemas que não tinham potência suficiente nem espaço de armazenamento para editar com o ProRes normal. Geralmente eram laptops mais antigos ou limitados. Assim, era possível trabalhar em uma resolução mais baixa e, depois da edição ser finalizada, substituir os clipes pelo material de mais alta qualidade em uma máquina capaz de executar edição online.

Hoje em dia esse problema praticamente acabou e qualquer computador novo, mesmo os laptops, tem condição de trabalhar já na qualidade final. Isso fez com que a Apple substituísse o Proxy pelo ProRes LT, que oferece uma qualidade bem maior porém inferior ao ProRes 422, que é o padrão normal do formato. Dependendo do meio final de exibição, muitos chegam a usar o LT como o formato final. Mas nós recomendamos o uso de ProRes 422 por este não apresentar perdas visíveis de qualidade e ter sido abraçado como o formato normal de entrega de masters (alguns locais especificam o HQ).

Para se ter uma idéia da quantidade de dados exigida por cada variação do codec, reproduzimos abaixo uma tabela retirada do manual do Final Cut Pro 7.

Tabela ProRes
Clique na imagem para ampliar

Note que, da direita para a esquerda, a quantidade de dados necessária por segundo de vídeo (Megabits por segundo – Mbps) vai aumentando de acordo com a qualidade. O ProRes 4444 é geralmente utilizado como master em projetos de alto orçamento, nas câmeras ARRI ou como formato para trabalhar com efeitos e outros processos que exijam o máximo de qualidade. O formato funciona em 12bits e ainda pode conter um canal alpha. Além de oferecer um sub sampleamento de cor em 4:4:4, o que significa que cada canal de cor tem o mesmo peso e latitude.

Do Proxy ao HQ, o ProRes oferece sampleamento em 10 bits, o que oferece mais latitude na hora da correção de cor. Já o sub sampleamento de cor acontece em 4:2:2 – o padrão escolhido como broadcast já faz um bom tempo.

Vale mencionar que uma das vantagens que o ProRes oferece em relação ao DNxHD, que é o padrão mais utilizado em Windows, é a capacidade de exceder a resolução Full HD (1920 x 1080). Em ProRes pode-se trabalhar em 2K e até em 4K. Além, é claro das resoluções SD.

Como podemos ver, não é por acaso que o ProRes tornou-se um padrão universal. Além de suas ótimas características técnicas, o codec exige muito pouca da máquina, possibilitando trabalhar sempre em tempo real e alta qualidade. Outro fator importante é a confiabilidade, pois o codec tem provado sua grande estabilidade durante os diversos anos (desde 2007) em que está em pleno uso profissional.

O problema que muitos dos profissionais que trabalham na plataforma Windows enfrentam é que o codec muitas vezes pode ser lido, mas não gravado. E, quando um cliente ou uma finalizadora solicitam que o material final seja entregue nesse formato, surge um problema. É aí que uma solução simples e barata como o PRHelper entra em cena.

O programa age como uma interface gráfica para o codificador/decodificador FFMBC (uma versão profissional do popular FFMPEG) e é compatível com os formatos mais populares de vídeo, desde HDSLRs e GoPro até RED .R3D. O desenvolvedor recomenda a versão 0.7 rc7 (32 bits) do FFMBC, que pode ser baixado gratuitamente daqui.

O PRHelper é bem fácil de usar e custa apenas US$ 14,95. Você pode obter maiores informações, baixar uma versão de teste com duração de 15 dias, ou comprar e baixar o programa clicando aqui.

A possibilidade de entregar material no formato ProRes é uma das poucas barreiras que o profissional usuário de Windows enfrenta. Esperamos que essa solução seja útil para estreitar a distância entra as plataformas.

Gostou do artigo ?

Inscreva-se em nossa Newsletter para receber as atualizações do VideoGuru.

Artigos relacionados
1 5620

Seguindo a tendencia de ofertar pacote de produtos na área vídeo digital, a Red Giant comercializa o Shooter Suite, que traz um conjunto de aplicativos e filtros adequados para produções profissionais. Seus componentes vão desde ferramentas para facilitar a...
0 5309

Não é novidade que o Mocha é a principal referência hoje na área de motion tracking (rastreamento de movimento). O programa já tem uma história e segue se renovando, como faz agora. E muito bem, por sinal, como vamos...
9 comentários Nesse post
  1. Boa a explicação da utilização do Apple Pro Res, eu utilizo já faz algum tempo, substituiu os formatos animation e o photo-jpeg na hora de exportar os arquivos do after effects, porém não consigo exportar com a camada alpha, há algum plug-in para utilizar este recurso?
    Todos os meus trabalhos são finalizados no formato Apple Pro Res 422 e depois exportados para MP4 para postar na internet eles estão postados no site http://www.video-institucional.com que tiver interesse em assistir.
    muito obrigado pela dica e informações Paulo, o site Video Guru, sempre vem acrescentando algo a mais nos meus conhecimentos.

  2. Olá, tudo bem? Gostei muito do seu site, está me ajudando muito.Então, estou começando agora a estudar sobre isso e gostaria de saber como faço para instalar o FFMBC no Windows. Obrigada

  3. Paulo, Boa tarde! Meu sistema é win7. Bom, baixei o RPhelper 0.9.11 beta, baixei o FFmbc-0.7-rc8 (a pasta não contém o arquivo .exe), baixei o executável tanto 32 quanto 64 bits. O programa faz a conversão do meu arquivo h.264 da t3i mas não é possível importá-lo para o Premiere CS6. A mensagem é que não há stream de audio/video. O Premiere também não reconhece o Quicktime 7.7. Posso trabalhar com o DN&HD tranquilamente, porém gostaria de estudar esta opção do ProRes 422. O que estou fazendo de errado? Grato pela sua atenção.

    • Rudinei, o problema é que o Windows não suporta o ProRes nativamente. Portanto você não vai conseguir trabalhar direto nesse formato. O PRHelper possibilita que você consiga fazer conversões para importar e/ou exportar em ProRes. Mas você ainda tem que trabalhar em DNxHD ou outro codec suportado por Windows.

  4. Paulo, beleza? Pode me dar uma força? Comprei o PRHelper e baixei o ffmbc. Exportei em DnxHD e ele converteu para o ProRes normalmente na primeira vez. Depois disso parou de funcionar. Sempre dá Skipped – Incompatible, com qualquer formato. O único que aceita é o .mov. Já teve problema semelhante? Tem idéia do que pode ser?

    Obrigado. Abraço.

    • Thiago, não é normal dar esse erro. Aconselho que você desinstale completamente o programa e instale novamente a versão mais recente.

      • Olá Paulo. Muito obrigado pela resposta. Eu acabei encontrando uma outra solução. Um codec da Miraizon. Com ele é possível exportar para ProRes diretamente do Premiere. A empresa não comercializa mais, mas depois de inúmeras buscas consegui encontrar para download. Infelizmente não guardei o link, mas tenho o arquivo. Se você quiser ou mais alguém se interessar posso enviar ou disponibilizar em algum site de compartilhamento.

        Abraço!

Deixa seu comentário

GALERIA

1 4867

A interação entre ação viva e animação tem sido explorada ao longo da história do cinema, com muitos exemplos dos estúdios Disney e o inesquecível "Uma Cilada para Roger Rabbit", dirigido por Robert Zemeckis. O resultado, em geral, é estimulante. Pensando bem, a idéia...
8 5347

Esse vídeo fantástico, feito na Rússia para o lançamento de um projeto imobiliário, foge totalmente dos padrões tradicionais e utiliza a fantasia, com imagens incríveis, no lugar do uso tradicional de plantas e animações dos prédios em computação gráfica....
1 5979

Há algum tempo, publicamos um post com um vídeo do editor Piu Gomes, criado para responder a essa pergunta essencial para quem quer entender a linguagem audiovisual: o que é montagem? Também publicamos, há mais tempo ainda, outro post chamado...