Home Tutoriais Outros Quais os melhores ajustes de codificação para o Vimeo e o Youtube?

Quais os melhores ajustes de codificação para o Vimeo e o Youtube?

OK, você quer subir o seu mais novo vídeo para o Youtube ou Vimeo. E aí vem aquela pergunta, como fazer isso? Subir o video no formato orginal? Converter para um outro formato com maior compressão?

Idealmente, faz-se necessário converter o vídeo para um formato de distribuição. Mas qual seria esse formato, com que ajustes e taxas de compressão ideiais?

As respostas não estão muito longe de você. Aliás, ela está a um clique do seu mouse, nos endereços mais óbvios possíveis: nos sites do Youtube e do Vimeo. Ambos têm páginas especialmente publicadas para orientar o usuário nesse serviço.

No site do Youtube tem umas orientações gerais que são válidas para ambos os sites que reproduzo em seguida na forma de um resumo.

1. Subir os vídeos na resolução original – Faz tempo que não é mais recomendável subir vídeos em matrizes de pixel menores do que a original. E não se deve mexer na proporção do vídeo. Os vídeos em 16:9 encaixam perfeitamente na janela de exibição padronizada pelo Youtube. Os vídeos em 4:3 são adaptados no modo pillar-box, com barras pretas nas laterais.

2. Subir os videos com taxas de dados altas – Como o seu vídeo será recomprimido pelo Youtube após o upload, em tese, quanto melhor a qualidade original, melhor será o resultado da compressão. Isso significa não subir um video com uma compressão muito grande.

3. Subir os vídeos com proporção de píxel 1:1 – No vídeo NTSC SD (definição standard), a imagem utiliza pixels retangulares. No video HD no formato HDV, isso também ocorre. O ideal é trabalhar com imagens com pixel quadrado, caso contrário seu vídeo poderá não encaixar de modo apropriado no reprodutor do Youtube.

4. Subir os vídeos em formatos e codecs compatíveis e aceitos pelos sites de compartilhamento de vídeo. Quando eles não são compatíveis, antes de subir os seus vídeos, uma conversão prévia se faz necessária. O codec mais recomendado atualmente é o H.264, por exemplo.

5. Subir os vídeos na qualidade original sempre que possível – Se seu vídeo tiver uma duração pequena e não ficar muito pesado no formato original (desde que compatível com o Youtube), procure subir o arquivo na qualidade original com que ele está sendo editado.

6. Subir os vídeos com duração idêntica para áudio e vídeo – Cuide para que as trilhas de áudio e vídeo do arquivo final tenham a mesma duração.

Para mais informações, entre na página de suporte do Youtube para codificação de vídeo, com informações bastante detalhadas, clicando aqui. Para acessar a página de suporte para ajustes de codificação do Vimeo, com informações resumidas e pequenos tutoriais para diversos programas, clique aqui.

Gostou do artigo ?

Inscreva-se em nossa Newsletter para receber as atualizações do VideoGuru.

Artigos relacionados
0 2783

A Avid sabe que precisa alargar a base de usuários do Media Composer, e também está investindo nos tutoriais do programa, considerado mais "difícil" e "complicado" do que o outros programas de edição da concorrência. Ela está publicando uma...
2 2279

A Autodesk é outra empresa que, a exemplo da Avid, vêm ajustando o modelo de negócios da sua linha de produtos para as  indústrias de cinema e TV. Não sei se tem a ver, mas até a identidade visual...

Deixa seu comentário

GALERIA

1 4914

A interação entre ação viva e animação tem sido explorada ao longo da história do cinema, com muitos exemplos dos estúdios Disney e o inesquecível "Uma Cilada para Roger Rabbit", dirigido por Robert Zemeckis. O resultado, em geral, é estimulante. Pensando bem, a idéia...
8 5397

Esse vídeo fantástico, feito na Rússia para o lançamento de um projeto imobiliário, foge totalmente dos padrões tradicionais e utiliza a fantasia, com imagens incríveis, no lugar do uso tradicional de plantas e animações dos prédios em computação gráfica....
1 6027

Há algum tempo, publicamos um post com um vídeo do editor Piu Gomes, criado para responder a essa pergunta essencial para quem quer entender a linguagem audiovisual: o que é montagem? Também publicamos, há mais tempo ainda, outro post chamado...