Home Artigos Outros Stock Footage – A solução boa e barata para seus problemas de...

Stock Footage – A solução boa e barata para seus problemas de imagens

Quantas vezes você gostaria de obter imagens de algum local ou objeto mas não tem verba para produzir? Ou quantas vezes, na hora da edição, ficou faltando uma imagem de cobertura que faria toda a diferença no produto final? A solução para estes problemas está mais próxima do que você pensava. Aliás, basta um simples clique do mouse para conseguir. Chama-se Stock Footage (imagens de arquivo).

No Brasil temos o péssimo hábito de querer tudo de graça. Fico abismado com a quantidade de projetos onde as pessoas simplesmente baixam imagens da internet e usam descaradamente, sem autorização. Além da qualidade ser geralmente ruim, existe o problema dos direitos autorais. E isso pode parecer banal até o dia em que o uso é descoberto.

As multas chegam a dezenas de milhares de dólares e, se for parar na justiça, o custo final ainda inclui o custo de advogados e do processo em si. Isso pode facilmente quebrar uma pequena produtora. Mas muita gente argumenta que o uso é apenas interno e ninguém vai ver. Só que, hoje em dia, a probabilidade de alguém copiar o projeto e postar no YouTube, Vimeo ou Facebook é muito alta. E, cada vez mais, os detentores de direitos vasculham a internet e fica bem fácil descobrir um uso não autorizado. Além disso, muitas vezes um projeto acaba inscrito em um festival, distribuído em DVD, etc.

Não vou citar nomes, mas o uso de 30 segundos de um certo material de arquivo gerou uma multa de 60 mil dólares a uma empresa conhecida porque o material foi parar na TV. E isso foi o valor do acordo para não ir parar na justiça. Um roubo? De jeito nenhum! Se você vive da produção audiovisual, seu trabalho vale muito. Há o investimento na produção em si, equipamentos, equipe, impostos, transporte, alimentação, modelos e/ou atores, etc. Produzir um pequeno segmento, por mais simples que seja, tem um custo. E seu trabalho tem que ser valorizado. Se isso é verdadeiro para você, o mesmo deve se aplicar aos outros.

Mas, colocando o aspecto ético e legal à parte, o uso de stock footage oferece a você as vantagens da comodidade, rapidez e economia. Por apenas alguns dólares é possível, por exemplo, obter imagens aéreas perfeitas de uma grande cidade no exterior. Ou até mesmo de uma cidade local. Se você fosse produzir o mesmo material, gastaria muito dinheiro. E você obtém essas imagens instantaneamente, baixando-as da internet. Além disso, pode vasculhar um catálogo de milhares de vídeos até achar o que mais se encaixa em seu projeto. E, com um simples tratamento de imagem, pode fazer com que o material se encaixe perfeitamente em seu projeto.

O uso de stock footage é muito comum nos EUA, Europa e outros cantos desenvolvidos do mundo. Não só imagens em movimento como também fotos, elementos para motion graphics, efeitos sonoros, músicas, etc. Até os grandes estúdios de Hollywood de vez em quando usam esse recurso pois o custo/benefício é inigualável. Mas os grandes beneficiados são geralmente as pequenas produtoras pois podem transformar um projeto de baixo orçamento em algo que parece ter custado uma fortuna.

Um exemplo que vi, recentemente, foi de um curta de ficção científica de baixo orçamento onde o diretor/produtor Tom Antos queria mostrar uma cena de apocalipse pós guerra nuclear. Ele resolveu o problema de uma forma extremamente barata e criativa. Baixou uma tomada aérea de uma pequena cidade do campo, aplicou focos de incêndio no After Effects (usando também fogo de stock footage próprio para compositing) e depois fez um color grading sombrio. O resultado ficou fantástico e deu a impressão que a cena foi produzida especialmente para o filme.


A sequência de abertura deste curta só foi possível graças ao uso de stock footage.

No curta Topa Pra Diabo, do nosso guru João Velho, também foi usado stock footage para alguns efeitos de fogo e fumaça. O resultado ficou excelente. Muito melhor que se fosse criado em computação gráfica e saiu bem mais barato.

Então, como usar Stock Footage? A melhor maneira é lidar com uma firma com boa reputação, que tenha um bom catálogo e que disponiblize o material para uso livre (royalty-free). Nossos parceiros do Pond5, por exemplo, têm uma das melhores bibliotecas de stock footage do mundo e um site muito fácli de usar. Inclusive agora em português. Basta entra no site clicando no banner no canto superior direito das nossas páginas que você terá acesso a mais de dois milhões de vídeos diferentes, mais de 9 milhões de fotos, mais de 750 mil ilustrações, mais de 600 mil arquivos de áudio, mais de 400 modelos em 3D e mais de 4.900 projetos de After Effects.

Depois de fazer uma busca e escolher o material mais apropriado para seu projeto, levando em conta também a resolução desejada, basta adquirir o material, baixar pela internet e pronto. É só incluir no seu projeto e usar, à vontade, legalmente, até mesmo em projetos comerciais de alta visibilidade (recomendamos ler os termos de uso do material).

Além de oferecer Stock Footage, o Pond5 também é um excelente veículo para comercializar seu material. Com certeza você deve ter muita coisa que interessaria a outros e o Pond5 oferece uma parceria bastante generosa na venda de seu material de arquivo. Você dá seu preço e o Pond5 fica com 50% do preço total das vendas.

Agora que o Brasil está ganhando muita visibilidade fora, com a copa e as olimpíadas, a demanda por material brasileiro está explodindo. São redes de TV, produtoras e estúdios de cinema sedentos de imagens daqui. Seu material pode lhe render um bom dinheiro extra. E você pode, inclusive, produzir material específico para isso. Além disso, muitas vezes precisamos de material nacional para nossas produções e passa a ser bem interessante oferecer aos nossos colegas o bom material filmado que já temos em mãos. Para saber mais sobre esse programa, acesse o site do Pond5.

Gostou do artigo ?

Inscreva-se em nossa Newsletter para receber as atualizações do VideoGuru.

Artigos relacionados
8 4141

A Blackmagic Design, guardadas as proporções, está fazendo uma revolução muito semelhante à que a Apple operou na computação de uso pessoal, e Grant Petty, fundador e CEO da Blackmagic Design, aos poucos vai se consagrando como uma espécie de "Steve Jobs"...
30 16251

Um dos problemas que enfrentamos como profissionais do audiovisual, no Brasil, é a falta de oferta de ferramentas de trabalho para venda, especialmente porque quase 100% delas são de fabricação estrangeira. É difícil de achar, ainda mais para pronta...
2 comentários Nesse post
  1. Caro Paulo M. de Andrade, apesar de não ser profissional na área do audiovisual sou admirador desta área pois gosto de gravar vídeos, faz pouco tempo que me interessei por edições mais complexas e programas para realizar isso, descobri o blog vídeo guru e me tornei mais curioso ainda sobre o assunto, já melhorei muito meus vídeos depois que comecei a ler os artigos do blog, muitas dúvidas são tiradas e as matérias são ricas em detalhes, mas como já disse sou amador e se você pudesse me tirar uma dúvida eu ficaria muito grato.
    Tenho uma câmera que filma em 1080 60i ou seja ela filma entrelaçado, mas quando pesquiso algo em fóruns quase todos condenam o vídeo entrelaçado como se fosse algo demoníaco que deve ser banido, Paulo M. de Andrade você tem vários anos nessa área então já deve ter trabalhado em vídeos entrelaçados com certeza, porque o vídeo entrelaçado tem essa fama tão ruim ? essa má fama tem fundamento ou é apenas falta de conhecimento do grande público que se “mete” a profissional ?

    • Geraldo, não há nada de errado com o vídeo entrelaçado em alta definição, ainda mais se o projeto for parar na TV, em DVD ou em bluray. Se for para cinema, aí é melhor filmar em 24 quadros (ou 23.976) progressivo. Se sua câmera só filma em 60i, você pode usar um programa como o JES Deinterlacer para fazer a conversão. É grátis. E, se for para a internet, você pode desentrelaçar facilmente usando esse mesmo programa.

      O maior problema com vídeo entrelaçado é quando ele é filmado em baixa resolução e convertido para alta e progressivo. Aí o serviço de conversão tem que ser bem feito, senão aparecem muitos serrilhados na imagem. Mas fique tranquilo que esse não é o seu caso.

Deixa seu comentário

GALERIA

1 4810

A interação entre ação viva e animação tem sido explorada ao longo da história do cinema, com muitos exemplos dos estúdios Disney e o inesquecível "Uma Cilada para Roger Rabbit", dirigido por Robert Zemeckis. O resultado, em geral, é estimulante. Pensando bem, a idéia...
8 5300

Esse vídeo fantástico, feito na Rússia para o lançamento de um projeto imobiliário, foge totalmente dos padrões tradicionais e utiliza a fantasia, com imagens incríveis, no lugar do uso tradicional de plantas e animações dos prédios em computação gráfica....
1 5923

Há algum tempo, publicamos um post com um vídeo do editor Piu Gomes, criado para responder a essa pergunta essencial para quem quer entender a linguagem audiovisual: o que é montagem? Também publicamos, há mais tempo ainda, outro post chamado...