Home Artigos Hardware Um comparativo cheio de surpresas entre a Canon 6D e a Nikon...

Um comparativo cheio de surpresas entre a Canon 6D e a Nikon D600

Jeff H. realizou um comparativo prático entre as duas HDSLR full frame que vieram redefinir o mercado pelo preço. O resultado foi cheio de surpresas.

Pouco se sabe, na prática, sobre essas duas câmeras tão esperadas. O que tenho observado até agora é uma tremenda dor de cotovelo dos donos da 5D Mark III, para justificar seu investimento bem maior.

Nos poucos testes práticos em vídeo, existem muitas crítica à presença de moiré e serrilhados nas imagens. No entanto, fica claro que muitos confundem os dois termos.

Em um teste mais popular, os críticos chamam um serrilhado mínimo de moiré pronunciado. Moiré é a presença de uma interferência que gera um certo padrão sobre a área afetada,  geralmente acompanhado de cores oscilantes. Serrilhado é quando a câmera não consegue reproduzir perfeitamente linhas retas ou diagonais.

Na verdade, pelo tal teste, dá para constatar que os problemas são bem menores que nas câmeras anteriores da Canon. Os pequenos serrilhados são mínimos e comparáveis aos de câmeras tradicionais muito mais caras. Realmente a Mark III é superior nesse aspecto, mas o preço também é maior.

Foi com alívio que descobri este teste que apresentamos aqui, pois ele é muito mais subjetivo. Embora o foco seja mais em fotos still, a parte de vídeo revela algumas surpresas inesperadas.

A maior delas é que a 6D tem uma performance em ISO alto ainda superior à da 5D Mark III. Isso é realmente incrível, pois a Mark III era a campeã absoluta em baixo ruído e alta sensibilidade.

Outra surpresa é a ausência de moiré e serrilhados, no telhado da tomada por helicóptero, nas imagens da 6D. Você verá como a D600 apresenta esses defeitos, em um nível semelhante às Canon mais antigas.

Assista o vídeo e comprove. Uma tradução rápida, transcrita, segue logo abaixo.

Tradução: 

Olá, meu nome é Jett e esse é o meu review da Canon 6D.

Estive com a câmera por alguns dias e tinha a impressão de que era apenas uma 5D Mark III encolhida. Mas, depois de testá-la, descobri alguns fatos surpreendentes que podem interessar a possíveis compradores.

Tive a sorte de ter nas mãos uma 6D e uma D600 para comparar. Essas são as mais recentes câmeras full frame acessíveis da Nikon e da Canon.

Devo dizer que não sou um fotógrafo ou videógrafo profissional. E que meus testes são baseados nos recursos que uso mais frequentemente nessas câmeras.

A 6D é remanescente da 60D. Elas até compartilham o mesmo disco molenga de controle, que parece um pouco melhorado na 6D.

A construção é muito boa, sendo metade magnésio e metade policarbonato. Parece sólida e parruda o suficiente para ser usada sob condições extremas.

Essa é a primeira DSLR da Canon que vem com WiFi e GPS embutidos. Você pode baixar um aplicativo para seu telefone (Android e IOS) e acionar a câmera à distância. Mas eu tive dificuldades de fazê-lo funcionar no meu iPhone 5.

Uma coisa que você notará logo é a falta do flash embutido. Como em todas as Canon full frame, ele está ausente. 

Você pode comprar um Speedlite, mas isso significa um custo adicional e é bem inconveniente de levar para tudo que é lugar. Mas isso não é crucial, já que a 6D tem uma performance excelente com pouca luz.

Então, como ela compara com a D600? Os tamanhos são bem parecidos. A Canon é a mais leve das duas. Mas isso nem se nota no uso.

No papel, a D600 supera a 6D em quase todos os aspectos. Tem foco automático mais rápido, fotos sequenciais mais rápidas, um visor LCD maior – 3.2 polegadas contra 3 polegadas da Canon. Saída HDMI sem compressão e, meu favorito, dois cartões SD.

Vamos começar com um simples teste de ISO. Essa é uma cena mal iluminada para privarmos o sensor de luz. Isso mostrará até onde é possível ir até que a imagem se desintegre.

Com ISO 1.600, a imagem da 6D é muito limpa. A da D600 tem um pouquinho de ruído, mas ambas são muito boas.

Com ISO 3.200 a 6D domina o ruído muito bem. A Nikon começa a exibir um pouco de ruído colorido. Mas, quando afastadas, isso não é um problema tão grande.

Com ISO 6.400 ambas as câmeras exibem algum ruído, mas o da 6D é muito pequeno – quase como o grão de filme. Mas a imagem da D600 já está deteriorando.

Com ISO 12.800 a D600 pode ser considerada inutilizável. Claro que a maioria não usaria esse ISO a não ser em emergências. Mas em termos de performance de ISO, eu considero a 6D 1 stop melhor que a D600.

E, só para comparar, aqui vai a 5D Mark III. Elas parecem bem semelhantes, mas eu observei a imagem por um pouco mais de tempo e posso confirmar que a 6D tem um pouco menos de ruído.

E, só para confirmar, aqui vai um exemplo com ISO 25.600. O Ruído na 6D é menor que na 5D Mark III. Acredito que isso se deva aos pixels maiores no sensor da 6D.

Você deve estar se perguntando por que pagar mais pela 5D quando pode ter a mesma performance na 6D? Onde a 5D justifica seu preço é no foco automático.

Ele acerta mais rápido, segue melhor e é mais preciso. Também tem dois slots de cartão, um SD e um CF. Fotografa mais rápido a 6 quadros contínuos por segundo.

A câmera tem uma vedação melhor em caso de uso na chuva. Saída de fones de ouvido e entrada de microfone. Tela melhor, menos moiré e serrilhados. E mais recursos profissionais.

Agora mudamos para vídeo. Com ISO 1.600 a Canon é um pouco mais limpa, mas ambas são perfeitamente utilizáveis.

Com ISO 3.200 o ruído na 6D é mais controlado, mas na D600 ele aparece em tudo que é lugar.

Com ISO 6.400 o ruído na D600 é quase inaceitável.

Resolvi, então, me divertir um pouco mais com essas câmeras. Nossos amigos da Turbo Ace nos forneceram esse helicóptero de 8 hélices. Ele foi desenhado para DSLRs.

Se alguém se interessar, posso falar mais sobre esse sistema no próximo vídeo.

As fotos da Nikon são ótimas. Há mais detalhe e as imagens são mais nítidas. Mas a nitidez pode ser subjetiva com lentes diferentes.

O propósito principal desse helicóptero é vídeo, e conseguimos imagens fantásticas que seriam muito difíceis alguns anos atrás.

Tomadas como essa adicionam muito mais valor de produção aos seus vídeos.

A Nikon foi mais nítida e mais detalhada nas fotos. Mas no vídeo foi totalmente o oposto. A Canon saiu na liderança com imagens mais detalhadas e com menos defeitos.

Você poderia adicionar sharpness na pós nas imagens da D600, mas isso só aumentaria os problemas com moiré e serrilhados vistos aqui.

O maior problema que tive com a Nikon foi o controle de abertura. Você tem que ir para o modo de foto para poder mudá-lo e depois voltar para vídeo. Isso pode ser frustrante se você não está filmando em um ambiente sob controle.

Você pode ajustar o ISO em modo de vídeo, mas não é muito prático.

Então, qual das duas câmeras comprar? Honestamente, ambas são câmeras muito boas, com seus pontos fracos e fortes particulares.

A Canon é melhor com pouca luz e é melhor para vídeo. Também tem WiFi e GPS embutidos. É a escolha para quem filma em condições de luz mais difíceis.

A Nikon é feita para aqueles que desejam mais flexibilidade. Pode gerar ampliações fotográficas maiores com seus 24.3 megapixels e você tem dois slots de cartão para maior capacidade ou backup.

Tem 39 pontos de foco automático, com 9 cruzados, que é muito mais que os 11 pontos da 6D com 1 cruzado.

Ela fotografa mais rápido, a 5.5 fotogramas, comparados aos 4.5 da 6D e tem flash embutido.

Se você já tem um investimento em lentes Nikon, fique com a Nikon. E se já tem investido em lentes Canon, fique com a Canon.

Esses são upgrades sólidos se você vem de um sensor crop, como a D7000 ou a Canon 60D.

Queria agradecer à Turbo Ace por ter nos fornecido o Octocóptero. Se você se interessar por mais informações, o link está abaixo.

Se você tem perguntas, deixe um comentário que eu entrarei em contato. Obrigado por assistir.

Gostou do artigo ?

Inscreva-se em nossa Newsletter para receber as atualizações do VideoGuru.

Artigos relacionados
12 5250

O cinema digital nunca viveu um período tão interessante. Se a câmera de cinema digital chinesa iniciou a revolução dos preços baixos, foi a Blackmagic que venceu a corrida e lançou no mercado as verdadeiras câmeras revolucionárias. Agora...
30 6408

Eles são a última novidade do mercado. Monitores bem mais largos que o normal e que oferecem muito mais espaço para trabalhar. Além disso, são perfeitos para reproduzir filmes em formato cinemascope. Com um desses monitores você consegue praticamente o...
2 comentários Nesse post

Deixa seu comentário

GALERIA

1 5231

A interação entre ação viva e animação tem sido explorada ao longo da história do cinema, com muitos exemplos dos estúdios Disney e o inesquecível "Uma Cilada para Roger Rabbit", dirigido por Robert Zemeckis. O resultado, em geral, é estimulante. Pensando bem, a idéia...
8 5717

Esse vídeo fantástico, feito na Rússia para o lançamento de um projeto imobiliário, foge totalmente dos padrões tradicionais e utiliza a fantasia, com imagens incríveis, no lugar do uso tradicional de plantas e animações dos prédios em computação gráfica....
1 6367

Há algum tempo, publicamos um post com um vídeo do editor Piu Gomes, criado para responder a essa pergunta essencial para quem quer entender a linguagem audiovisual: o que é montagem? Também publicamos, há mais tempo ainda, outro post chamado...